domingo, 31 de outubro de 2010

Maikon Leite vai sair do Atlético

"Até pretendíamos continuar com ele, mas o Santos já nos passou que deseja contar com ele para 2011, então, acabando o seu contrato, ele deve ser devolvido", disse o dirigente BolicenhO para Rádio Globo, confirmando que Maikon Leite deve seguir os passos de Wesley e retornar à Vila Belmiro ao final de seu empréstimo com o Furacão.
Foi assim com Wesley e não foi surpresa saber, que Maikon Leite vai voltar para o peixe. A verdade de tudo é que nosso Atlético, está servindo de vitrine para os outros clubes.
Uma vergonha! Ou nossa diretoria muda seu pensamento, ou estamos perdidos!

Vamos correr, vamos suar...

Trecho de uma das músicas da nossa querida torcida organizada Os Fanáticos, condiz com a atual situação do nosso time, nós torcedores que não abandonamos nosso clube, seja em que situação esteja, não pedimos nada mais do que raça e superação, o time sabe da nossa força nas arquibancadas, do nosso empenho em ajudar vocês. Temos consciência que vocês se esforçaram pra caramba nesse campeonato, caso contrário não estaríamos aonde estamos, e sabemos também que vocês já devem estar saturados, afinal, vários jogos consecutivos é cansativo, mas o que queremos é somente um pouquinho mais de força para a reta final desse campeonato, nós ainda temos chance de buscar a libertadores, é só querermos e aposto que das arquibancadas esse desejo é supremo, intão só falta a parte de vocês. Um pouquinho mais de dedicação não mata nínguem, lembro - me de uma antiga música do legião urbana já dizia que muitos temores nasçem do cansaço e da solidão. Sendo assim, vamos com força total contra o Palmeiras em busca da vitória, como de costume a arquibancada fará o seu dever de incentivar e apoiar até o ultimo minuto, sempre cantando, não podemos parar de apoiar porque se continuarmos perdendo força desse jeito, vamos levar no máximo sul-americana, e nosso Furacão não é time pra sul-americana, é time pra libertadores ou pra ser campeão.

Fora do meu Atlético... Por Cadu

Questionado se a queda de produção do time refletia a falta de qualidade do elenco, o gerente de futebol acabou admitindo a situação. E lamentou não poder fazer mais nada. “Nós obviamente temos de reconhecer que o grupo não era o excelente. Todos nós reconhecemos. Mas agora, passado o prazo das inscrições, não há mais nada o que fazer. É tirar leite de pedra, não tem saída. Nós temos consciência de que algumas coisas andaram erradas. Agora não temos como consertar. É brigar com as armas que temos”, afirmou Bolicenho.
Pois bem, DEVOLVAM o dinheiro que torraram, que jogaram fora nesse monte de "perebas" trazidos a peso de ouro. Vocês não têm amor ao dinheiro suado dos sócios, OU TÊM AMOR ATÉ DEMAIS?
Tenham dignidade e sumam do cenário do Atlético Paranaense, espirrem antes que sejam espirrados!!!
No Atlético, só pode trabalhar quem ama o rubro-negro. Somente quem se emociona com nossa torcida, que fica puto e não dorme com uma derrota...
Tenho certeza, que o Bolicenho não sente isso. O lugar dele é no Parané Clube!

O próximo ídolo. Por Cadu

Salve, salve, amigos da maior torcida do estado do Paraná. Hoje, um domingo muito importante para o nosso Brasil, afinal é o dia de elegermos o próximo presidente da república. Eu não escondo o meu voto, e digo que vou no Serra.
Mas cada um tem seu ponto de vista e que ganhe o melhor.
Vamos falar do nosso Atlético, o nosso grande amor. Então, hoje escrevo pra dizer, minha admiração pelo futebol do meia Branquinho.
Vivemos na fase Baier e que dure por muito tempo. O vovô é um maestro, e que dure mais alguns anos. Mas como a idade chegou pra ele, vejo com bons olhos, o próximo ídolo da nossa torcida. Branquinho em 2011, vai ser o cara da vez.
Gosto da forma que ele joga, sempre procurando o jogo, e chegando para finalizar de longa distância. Essa boa campanha que estamos fazendo, devemos muito a ele, afinal muitos jogos ele foi o cara!
Na minha opinião, jogador tem que jogar com tesão, e por muitas oportunidades, percebi o Branquinho cobrando dos seus companheiros, empenho e vontade. E quando ele mesmo erra, ele se cobra, balança a cabeça e tenta melhorar.
Isso é a cara do Atlético. Jogador, tem que se doar e sempre procurar o melhor.
Jogador molenga, que não se importa em ficar no banco de reservas, não é pro Atlético.
Sempre fomos o time da raça, o time que mostra amor ao manto sagrado atleticano.
Tenho certeza, que no próximo ano, Branquinho será o principal jogador atleticano e vai nos dar muitas alegrias!
E que os molengas desse atual elenco, sumam do Atlético! E aí amigo leitor, quem você acha molenga no atual elenco? Bruno Mineiro, Netinho... queremos saber sua opinião. Participe!

sábado, 30 de outubro de 2010

Iván Gonzales deve voltar ao time

Iván Gonzales, que cumpriu suspensão frente ao São Paulo, pode ser o companheiro de ataque de Bruno Mineiro, com a ausência de Guerrón, que cumprirá suspensão pelo terceiro cartão amarelo.
O paraguaio também ressalta que o time não jogou a toalha e que enquanto tiver chance matemática manterá o foco na Libertadores. “Ainda existe a possibilidade de classificação, e vamos lutar até o fim. Ao perdermos para o São Paulo ficou mais difícil, mas não impossível”, disse Iván.

O sonho não acabou

A derrota por 2 x 1 para o São Paulo não abalou as esperanças do Atlético de chegar à Copa Libertadores. O elenco continua acreditando, mesmo tendo apenas 10% de chances de classificação, segundo o site Chance de Gol.
Para seguir acreditando, o Rubro-negro tem de escrever o seguinte roteiro: buscar pontos fora de casa e não perder nenhum na Arena da Baixada. Com 47 pontos, o clube é o 8.º colocado na classificação.
A estratégia para continuar na briga pelo G4 ou G3 também passa pela torcida. A ponto de o técnico Sérgio Soares fazer um apelo aos torcedores para a partida da próxima quinta-feira, contra o Palmeiras. “O time tem que estar consciente de que o jogo com o Palmeiras é decisivo para nós. Eu convoco o torcedor para comparecer à Baixada, por que vamos fazer um grande jogo e nos doar ao máximo. Com o apoio do nosso torcedor, vamos para cima do Palmeiras”, destacou Sérgio Soares.
Atenção galera atleticana.
Convidamos você para escutar o programa mais rubro-negro do Brasil. À partir das 13:00hs, a Radio Mais 1120, se torna o canal de comunicação da torcida rubro-negra.
Vários assuntos relacionados ao Furacão, sobre os Fanáticos e sobre a sociedade, são abordados e sempre com a participação do ouvinte, através de email ou ao vivo por telefone.
CONTAMOS COM A AUDIÊNCIA DOS NOSSOS LEITORES!

Enquanto houver chance, há esperança. Por Aline

Dois jogos com resultados negativos e o que ficou em destaque contra fluminense e bambis não é novidade pra ninguém: nos falta (e muito, mais muito mesmo) um centroavante, existem peças fundamentais para o nosso time se desempenhar bem (Maestro, Branquinho, Rhodolfo e Élder Granja) e há arbitragens com o dom de nos prejudicar.
E você pode me perguntar se ainda dá pra sonhar com Libertadores. A minha resposta é sim, pois eu vou sonhar com a classificação enquanto houver nem que seja 1% de chance. Hoje pensando no Atlético Paranaense me veio um trecho de música em mente, e essa é a nossa trilha sonora para esse fim de brasileiro: E não tão longe que eu não possa voltar, e nada tão díficil que eu não possa superar, pois águas do passado não vão mais me encomodar.
As derrotas já foram, já era. Nada disso deverá ser levado em consideração quando o Furacão entrar em campo na quinta feira, contra os verdinhos paulistas. Espero que os 4 fundamentais que eu havia citado voltem à campo. O discurso é o de sempre, o apoio incondicional. Nós continuamos há alguns passos do paraíso, e temos a obrigação de empurrar o time rumo a essa tão sonhada vaga.
A nossa força é a nossa paixão e contra o palmeiras, todos os caminhos nos levarão ao estádio Joaquim Américo Guimarães novamente. O amor pelo Rubro Negro com certeza não se reestringe apenas à vitórias. Esse amor é o que nos move, nos fazendo torcer e depositar todas as nossas esperanças em nossos guerreiros mesmo que ninguém mais acredite neles.

Saudações Rubro Negras à todos e quinta feira espero todos para que façamos o Caldeirão ferver como sempre.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Netinho e Rafael Santos criticam Carpegiani

O meia Netinho além de sair satisfeito com a apresentação, deixou o gramado aliviado por ter “dado uma resposta” ao técnico, que enquanto esteve no comando do Furacão chegou a afastar o meia. “Eu pude mostrar para ele que tenho meu potencial, o dom que Deus me deu.”
Passado o momento ruim, Netinho tenta esquecer o período Carpegiani e focar no restante de seu contrato com o Furacão. O jogador deixa o clube no final do ano. “Não teve nenhuma conversa, o Atlético deixou bem claro que não quer renovar.
Enquanto eu tiver contrato vou dar minha vida pelo Atlético. São cinco anos de clube e tenho um carinho enorme. Ano que vem será vida nova”, disse. Rafael Santos, que já foi uma das apostas do time, reclamou do sofrimento que passou quando retornou após uma passagem pelo futebol italiano.
“Eu merecia um carinho especial. Saí do clube como jogador importante, mas são coisas do futebol. Você nunca vai agradar a todos. Com a chegada do Sérgio (Soares), ele me deu uma motivação ainda maior. Com Carpegiani, eu trabalhei o dobro, até porque não vinha sendo utilizado nem nos coletivos”, desabafou o zagueiro.

Neto é seleção

O goleiro atleticano Neto foi convocado pela segunda vez para a Seleção Brasileira. O técnico Mano Menezes convocou 23 jogadores, nesta sexta-feira, para o amistoso contra a Argentina, dia 17 de novembro, em Doha, Catar, e mais uma vez o arqueiro rubro-negro foi lembrado.

Especial para as crianças

Neste sábado, o Pelotão Feminino da Torcida Os Fanáticos estará promovendo a Festa de Dia das Crianças na Sub Sede.
Mais uma vez, as meninas da Caveira, dão um verdadeiro show! Com muita garra e vontade de ver a criançada sorrindo, o Pelotão promete dar de presente para as crianças, um sábado inesquecível.
As crianças poderão se divertir em diversos brinquedos, dentre eles: piscinas de bolinhas, camas elásticas, fliperamas e camarim de maquiagem. Também haverá uma série de atividades e brincadeiras como dança da cadeira, cabo de guerra, corrida de balões, pula corda, ovo na colher, futebol, oficina de desenho e muito mais. Além das brincadeiras também serão distribuídos cachorros-quentes, bebidas e guloseimas.
Toda programação será gratuita e voltada para as crianças em geral.
Leve seu filho para ter um sábado especial. Participe!

Dia 30/10:
Local: Sub-sede Região Oeste
Rua São Matias, 79 - Porto Belo / Fazendinha
Horário: das 13h às 18h

Informações pelo fone: 41-3079-1977.

"Não existe nada melhor, do que uma mulher atleticana."

Já virou rotina!

Não é mais novidade, o Atlético ser roubado descaradamente pelos árbitros. Ontem logo no ínicio do jogo, o juiz marcou impedimento do atacante Bruno Mineiro, com dois minutos de jogo. No lance, Miranda (zagueiro adversário) fez o cabeceio, a bola pegou na trave, chegou ao Bruno, que mandou paras as redes de Rogério.
Seria o primeiro gol do Atlético, antes dos 5 minutos da primeira etapa. Mas pra variar, meteram a mão no Atlético.
Cadê nossa diretoria? Cadê o homem forte no Atlético? Infelizmente, nosso clube não possui, uma pessoa que tenha pulso.
Amigo leitor, pode se acostumar, pois nosso Atlético vai ser por muitas vezes prejudicado. Enquanto nossa diretoria não tomar frente e ser mais representativa, vai ser sempre a mesma vergonha nos gramados!
O ATLÉTICO PRECISA DE UM HOMEM FORTE E NÃO DE DIRETORES CAGÕES!

E o jejum continua...

Não foi dessa vez! O Furacão perdeu ontem para os bambis por 2x1. Com o resultado negativo, o maior clube do estado do Paraná, manteve o longo jejum de 27 anos, sem vencer o tricolor paulista, fora de casa.
A última vez, que o Furacão venceu o São Paulo, foi no Morumbi em 1983, por 1 x 0. Nesse time, tinha nada mais, nada menos, que o casal 20, Washington e Assis. Na opinião de muitos torcedores, a melhor dulpa de avantes que o time já teve.

Mais problemas no Furacão

O volante Deivid e o meia-atacante Guerrón receberam o terceiro cartão amarelo na partida contra o São Paulo, na noite desta quinta-feira. Desta forma, ambos não encaram o Palmeiras, na próxima quinta-feira, na Baixada.

Declarar o fracasso. Por Diogo Rodrigues Manassés

Seria muito fácil, após a saída do Carpegiani (e a evidente queda de rendimento do time) e de resultados ruins com o novo técnico (1 vitória, 2 empates e 2 derrotas), dizer que a Libertadores “se foi”. Afirmar que o Furacão não conseguirá essa vaga. Declarar o fracasso do time. Mas não o farei.

Não vou declarar o fracasso porque o campeonato ainda não acabou. Porque matematicamente ainda estamos na briga. Porque o time, com os titulares, não é ruim (no jogo de ontem, por exemplo, jogamos com muitos reservas). Porque a arbitragem nos tem sido prejudicial. Porque o Furacão é um time de garra, com a vontade ainda é possível conseguir a almejada vaga no G-4. Porque sou um torcedor e nunca abandonarei tampouco deixarei de acreditar no meu time de coração.

O time é limitado, o elenco tem jogadores fracos, o técnico ainda não convenceu sequer minimamente e o CAP vem mostrando lamentável queda. Mas o futebol reserva surpresas. O campeonato ainda não acabou. A vaga na Libertadores não está tão distante ainda. Dependeremos de outros resultados.

Há certo tempo se afirma que a busca do Furacão é pela competição continental. Como posso declarar o fracasso deste time? Não. Não vou abandonar. Ainda acredito. É evidente que não é fácil. Mas é possível. Continuarei torcendo. Comparecerei à Arena e continuarei apoiando incondicionalmente. Ainda acredito. Peço que você também, caro leitor, ainda não declare o fracasso do time, pois ainda é possível. SRN.



Desempenho dos jogadores. Por Diogo Rodrigues Manassés

Extremamente desfalcado, o FURACÃO perdeu do São Paulo, na Arena Barueri, com o placar de 2x1 (Ricardo Oliveira, Guerrón (CAP) e Miranda).

  • NETO: fez excelentes defesas e não teve culpa pelos dois gols que sofreu. No setor de defesa, foi o único com boa apresentação. Nota: 7,5.
  • MANOEL: bateu cabeça com seu colega de zaga, teve bons momentos, mas foi mal. Rhodolfo fez falta, pois supre erros do Manoel. Nota: 4,0.
  • RAFAEL SANTOS: antes de qualquer coisa, é preciso lembrar que estava há muito tempo sem jogar. Além disso, entrou para substituir um dos melhores zagueiros em atividade no Brasil. Não foi mal, mas um jogo foi insuficiente para fazer boa dupla com Manoel. Até teve bons momentos, mas contou com a sorte em outros. Recebe nota maior que o Manoel pois seu lado foi mais explorado. Nota: 5,0.
  • DEIVID: até uma parte do segundo tempo, atuou improvisado como lateral-direito. Como volante é muito melhor e mostrou isso. Discreto, não foi bem. Desarmou bastante e recebeu algumas faltas. Nota: 5,5.
  • PAULINHO: teve um bom lance de ataque (com espetacular defesa do goleiro adversário), mas foi, novamente, muito mal. Como a concorrência foi forte, não chegou a ser o pior em campo, mas se esforçou. Foi o que mais errou passes na partida (ironicamente, também o que mais acertou, mas apenas defensivamente). Nota: 2,5.
  • VITOR: um dos piores em campo. Do meio, de longe, o pior. Teve raros bons desarmes, mas parecia que pouco se esforçava. Foi uma de suas piores apresentações com a camisa rubro-negra. Nota: 1,5.
  • CHICO: regular, fez apresentação razoável. Foi o melhor do nosso meio, todavia, como os companheiros de setor pouco ajudavam, sentiu dificuldade. Mas foi um dos mais esforçados, além de, taticamente, muito útil. Nota: 7,0.
  • CLAITON: não foi bem. Teve uma função importante dentro de campo, orientando os jogadores e tentando (sem sucesso) apitar o jogo (função do capitão). Saiu exausto no segundo tempo. Nota: 2,5.
  • NETINHO: desnecessário dizer que foi inútil em campo, não armou nada, não ajudou nada. Até correu (nada espetacular, mas correu), mas, diante das limitações técnicas, não fez nada. As ausências de Branquinho e Baier fizeram muita diferença, Netinho não armou. Nota: 1,5.
  • GUERRÓN: foi MUITO bem no primeiro tempo, cansando no segundo (sendo tirado pelo técnico). Perdeu muitas bolas, é verdade, mas foi (e vem sendo) nosso melhor atacante (hoje nosso melhor jogador), não apenas pelo gol, não apenas pelo baile que deu na zaga do time paulista, mas pelo esforço, pela garra e mesmo pela qualidade técnica. Foi o único jogador que deu “medo” no adversário. Nota: 8,0.
  • BRUNO MINEIRO: ridículo. Fez um gol, anulado, fez muitas faltas (o que mais fez no CAP), reclamou bastante, sofreu algumas faltas não dadas. Não receberá nota zero porque não foi completamente inútil. Esbarrou nas próprias limitações técnicas do momento, mas não podemos afirmar que não se esforçou. Nota: 0,5.
  • EDGAR: entrou no lugar do Claiton, para mudar a improvisação que o técnico montou (Deivid voltava a ser volante e Edgar assumir a lateral-direita). Não foi mal, tentou e até fez boas jogadas com Guerrón. Mostrou qualidade. Nota: 6,0.
  • MARCELO: entrou para assumir o lugar de Guerrón (taticamente). Foi inútil, perdeu bolas e nada fez. Nota: 0,0.
  • NIETO: outro inútil. Nota: 0,0.
  • SÉRGIO SOARES: não podemos culpá-lo pela escalação inicial, diante do time completamente desfalcado que tinha em mãos, além do banco medíocre – apesar dos quatro volantes em campo. Todavia, errou ao tirar Guerrón da partida (afinal, apesar de cansado, era o jogador que mais assustava a defesa adversária) e (principalmente) ao manter Bruno Mineiro. Alguns já querem sua saída. Não cheguei a esse ponto (ainda), mas ele vem provando, cada vez mais, que não serve para o Furacão. Nota: 5,0.

Pior jogador em campo: BRUNO MINEIRO, jogou 90 minutos e só reclamou.

Melhor jogador em campo: GUERRÓN (novamente), além do gol, correu, tentou e taticamente foi importantíssimo.

Esta é a minha opinião, gostaríamos de saber a opinião de vocês, caros leitores!



Sérgio Soares critica arbitragem de Marcio Chagas da Silva

Arbitragem
"Com os desfalques fica complicado, mas a gente tem um grupo. O que dificulta é o entrosamento, treinamos pouco essa equipe. Mas nós jogamos bem, quando marcamos o gol equilibramos as ações. Agora o que o bandeira deu no primeiro gol se o Miranda que cabeceou contra? Eu não gosto de reclamar de abritragem, mas desde que eu cheguei aqui tem sido complicado, todo jogo um erro de arbitragem. Hoje anularam um gol legítimo nosso, temos que ficar atentos porque o Atlético tem sido prejudicado."

Desempenho no jogo
"Fomos bem no primeiro tempo, e aí caímos um pouco no segundo tempo, mas fomos bem na partida. Enfrentando um adversário forte e não pode titubear, e nós titubeamos. Mas mesmo assim tivemos oportunidade de empatar, mas não conseguimos."

Elenco forte
"Estamos pagando um preço pela Copa do Mundo e isso faz você perder muitos jogadores, por isso é importante ter um elenco forte. É uma coisa para a gente levar para 2011."

Lesões no grupo
"O Rhodolfo e o Branquinho evoluíram bem, mas não conseguiram suportar a carga para esse jogo. Pra quinta-feira eles devem estar à disposição, o Paulo também. O Maikon que talvez não possa jogar com o Palmeiras ainda."

Segundo gol do São Paulo em bola parada
"A gente sabe que jogar aqui com o São Paulo é difícil, e nós vacilamos no segundo gol deles, uma jogada que ensaiamos muito. Mas todo mundo se empenhou e mostramos que temos um grupo capaz de manter a coletividade até o fim do campeonato."

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Atlético perde para São Paulo

O Atlético começou melhor a partida, pressionando a saída de bola e ficando perto do gol logo aos 3min. Manoel cabeceou depois de cobrança de escanteio e acertou o travessão de Rogério Ceni. Na sequência, Bruno Mineiro finalizou para o fundo das redes, mas a arbitragem anulou corretamente por impedimento.
O São Paulo enfrentava problemas em deixar seu campo de defesa, errando muitos passes e sem chutar ao gol. Quando arriscou, conseguiu vazar o goleiro Neto. Ricardo Oliveira tabelou com Dagoberto, passou pela marcação e chutou forte, de bico, para abrir o placar.
A defesa do São Paulo passou a apostar na linha de impedimento, deixando os atacantes da equipe paranaense frequentemente em posição irregular. Aos 21min, Fernandão conseguiu boa finalização depois de passe de Ricardo Oliveira, mas a bola saiu à esquerda do gol. O time paulista apostava em chutes de longe, dando trabalho a Neto.
O São Paulo cresceu no jogo ao acertar a marcação no meio de campo, e o Atlético-PR passou a ter dificuldades de armar as jogadas. Os visitantes tinham como opção o erro do adversário, e por este meio saiu o gol de empate. Aos 26min, Guerrón aproveitou falha de Miranda e Casemiro para arrancar pela direita e fuzilar no canto direito de Ceni em chute cruzado.
A partida ficou truncada depois do gol, com muitas faltas no meio de campo. O Atlético-PR se recuou, e o time da casa passou a trocar passes em busca de falhas na defesa rival. Aos 42min, Ricardo Oliveira arriscou chute de longe e Neto saltou para defesa segura.
No segundo tempo, o São Paulo voltou com um esquema ainda mais ofensivo, com a saída de Casemiro e a entrada de Marlos. E os primeiros instantes foram de boas chances de gol para a equipe tricolor. Fernandão chutou de primeira com menos de 1min e Neto defendeu. Pouco depois, Rafael Santos tentou afastar bola cruzada pela esquerda e quase jogou contra o próprio patrimônio.
Aos 5min, Dagoberto cobrou falta na intermediária e encontrou Miranda, que desempatou o jogo com um sutil desvio. O São Paulo cresceu na partida, e Ricardo Oliveira por pouco não ampliou aos 10min, ao chutar de primeira depois de bom cruzamento de Marlos.
A vantagem fez com que o time da casa passasse a jogar com mais calma, trocando passes velozes para buscar o terceiro gol. Jean arriscou chute de longe aos 16min, mas Neto defendeu. A resposta do Atlético veio aos 21min, quando Paulinho passou por Miranda e finalizou para a excelente defesa de Rogério Ceni.
Aos 34min, Jean criou boa chance em cobrança de falta, mas Neto defendeu. Um minuto depois, Ricardo Oliveira cabeceou depois de cruzamento de Fernandão e Neto fez linda defesa, evitando o terceiro gol do São Paulo.
Nos minutos finais, o São Paulo passou a jogar com mais calma, buscando gastar o tempo restante para assegurar a vitória. A última chance saiu aos 47min, quando Ricardo Oliveira driblou o goleiro e rolou para Ilsinho, livre, chutar para fora.

FICHA TÉCNICA

São Paulo 2 x 1 Atlético

Gols
São Paulo:
Ricardo Oliveira, aos 12min do 1º tempo, e Miranda, aos 6min do 2º tempo
Atlético: Guerrón, aos 25min do 1º tempo

O Furacão, encara daqui a pouco, o São Paulo pensando, exclusivamente na vitória, para ainda sonhar com uma vaga, na Libertadores da America.

A bola rola às 21 horas (de Brasília), na Arena Barueri. Para muitos atleticanos, jogar nesse estádio é muito melhor, que jogar no Morumbi, pois a Arena Barueri tem as medidas parecidas com a da Baixada, ao contrario do Morumbi, que é muito maior.

Para encarar este desafio, o técnico Sérgio Soares terá problemas para escalar o time e fará mistério até momentos antes da partida, quando saberá quais atletas estão em condições de jogo. Confirmadas mesmo só as ausências do lateral Wagner Diniz, que fica de fora por questões contratuais, e do meia Ivan Gonzalez, que cumprirá suspensão automática. Já o meia Branquinho, o lateral direito Elder Granja, o atacante Maikon Leite, o zagueiro Rhodolfo e o maestro Paulo Baier dependem do aval do departamento medico.

O número de lesionados, que aumenta a cada rodada, tem preocupado o comandante atleticano, que teme perder peças importantes na reta final da competição. "O campeonato está afunilando e você não pode perder atletas. Não podemos contar com Diniz, que pertence ao São Paulo, e talvez tenhamos que improvisar, o que eu não gosto muito. Mas já tenho uma situação pré-estabelecida caso o Elder não apresente condições", avisou.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X ATLÉTICO


Local: Arena Barueri, em Barueri (SP)
Data: 28 de outubro de 2010, quinta-feira
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS)
Assistentes: Júlio César Rodrigues Santos e Marcelo Bertanha Barison (ambos do RS)
SÃO PAULO: Rogério Ceni; Jean, Alex Silva, Miranda e Richarlyson; Rodrigo Souto, Casemiro (Fernandinho), Carlinhos Paraíba e Fernandão (Ilsinho ou Marlos); Dagoberto e Ricardo Oliveira
Técnico: Paulo César Carpegiani
ATLÉTICO: Neto; Elder Granja, Manoel, Rhodolfo e Paulinho; Chico, Vitor, Paulo Baier e Branquinho; Guerrón e Bruno Mineiro.Técnico: Sérgio Soares

Mais um degrau...

Mais um degrau...
Hoje temos mais degrau bem complicado para seguirmos rumo à conquista da vaga da Libertadores quiçá rumo ao bicampeonato brasileiro. Nada mais nada menos que o time do São Paulo, comandado pelo “mercenário” Paulo César Carpegiani que além de tudo conhece MUITO bem a equipe do furacão. Além dessa desvantagem ainda não poderemos contar com vários jogadores como Wagner Diniz, por “força contratual”, além de também não poder contar com Élder Granja e com o maestro Paulo Baier, vetados pelo departamento médico. Missão um tanto complicada ainda mais com esses desfalques! Fora que fica cada vez mais claro que não querem ver o furacão nas cabeças do campeonato, afinal é visível a influência das arbitragens em nosso jogos. Mas contrariando tudo isso o furacão está chegando. Motivado constantemente pela nossa maravilhosa torcida, vemos ao menos nos jogos em casa certeza de resultados melhores... Felizmente não estamos lutando contra o rebaixamento e mesmo sem obter sucesso nas próximas rodadas já não corremos esse risco. Realidade bem diferente dos últimos anos e ainda bem mais animadora, pois mesmo que apesar de complicadíssimo ainda podemos sonhar com o bicampeonato brasileiro além da vaga para a Libertadores. Então sigamos torcendo incondicionalmente que com toda certeza teremos um resultado bem mais positivo esse ano! SRN. à todos!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Baier e Granja não enfrentam o São Paulo

O técnico Sérgio Soares comandou na manhã de hoje, no CT do Caju, o último treinamento do Atlético antes da partida de amanhã, contra o São Paulo, na Arena Barueri. A delegação rubro-negra viajou à tarde e já está concentrada em São Paulo, mas o treinador só deve confirmar a escalação do time momentos antes do início do jogo.
Isso porque Soares tem nada mais que cinco desfalques para este duelo: Iván González suspenso, Maikon Leite machucado e Wagner Diniz que pertence ao São Paulo já eram desfalques certos, mas no treino desta manhã, o Departamento Médico do Atlético vetou Paulo Baier e Élder Granja, o primeiro com dores na coxa e o segundo se lesionou na rodada passada.
Rhodolfo e Branquinho, que também passaram a manhã no DM, viajaram para São Paulo, mas deverão ser reavaliados amanhã para saber se terão condições de entrar em campo. Caso os dois não joguem, Rafael Santos e Claiton já treinaram entre os titulares para substitui-los, respectivamente. No lugar de Paulo Baier entra Netinho e Deivid jogará improvisado na lateral direita.
O Atlético deve ter a seguinte formação para enfrentar o São Paulo: Neto; Deivid, Manoel, Rhodolfo (Rafael Santos) e Paulinho; Chico, Vítor, Branquinho (Claiton) e Netinho; Bruno Mineiro e Guerrón. "Nós temos que procurar jogar, porque o São Paulo dentro de casa vai vir pra cima, e o Atlético quando tiver posse de bola também vai atacar. Quem tiver mais atenção, pode vencer, porque o Atlético mesmo fora de casa vai atacar", disse Soares.
O treinador acredita que detalhes vão decidir o jogo de amanhã: "Acho que não vai mudar muita coisa em termos de postura. O São Paulo vai jogar da mesma maneira que o Fluminense, só vai mudar o posicionamento dos atletas. A qualidade vai fazer a diferença, porque dentro do plano tático você não muda muita coisa, porque os jogadores já estão acostumados a essa forma de jogar e eu não poderia mudar isso".

Netinho retorna ao time diante do São Paulo

Sem poder contar com Wagner Diniz, que pertence ao tricolor paulista e Iván González que cumprirá suspensão, Sérgio Soares terá mais problemas para escalar a equipe.
Maikon Leite, Élder Granja e Paulo Baier foram vetados pelo departamento médico e não enfrentam o São Paulo nesta quinta-feira. Para substituir Paulo Baier, Netinho será o titular no meio-campo atleticano. “Estou muito motivado. Infelizmente essa chance veio com a contusão de um companheiro. Mas tenho que aproveitar a oportunidade para jogar e mostrar meu valor. A equipe está em um bom momento e com grandes atuações. Então tenho que dar continuidade e juntos recuperarmos os pontos que perdemos em casa”, avaliou Netinho.

O Atlético e Capegiani

O Furacão joga amanhã, contra o tricolor paulista e para azar do time atleticano, o treinador Carpegiani, conhece todas as armas do Furacão.
Com ele o time fez uma grande campanha e se mostrou forte no ataque e na defesa.
Vamos ver, o que Sérgio Soares vai fazer, pra tentar enganar o Carpa, pois não será fácil vencer, quem tem total conhecimento, do time da Baixada.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Chico e Paulinho confiam em vitória contra o São Paulo

O Atlético tem um difícil jogo contra o São Paulo, fora de casa, na próxima quinta-feira. Essa partida marca o reencontro da equipe rubro-negra com Paulo César Carpegiani, que deixou o comando do Furacão para assumir o tricolor paulista. Foi Carpegiani quem iniciou a arrancada do time paranaense, que antes lutava para não cair e agora briga pela Libertadores.
Para o volante Chico, o fato de Carpegiani conhecer bem o Atlético não fará diferença dentro de campo. "Hoje no Campeonato Brasileiro, com o tanto de informação que tem, todo mundo conhece todo mundo. É um detalhe ou outro que o Carpegiani pode aproveitar. Todo mundo sabe a maneira que o Atlético joga, assim como a gente sabe do São Paulo e do jeito que o Carpegiani gosta de jogar. O que vai prevalecer vai ser a vontade e a determinação de cada jogador do Atlético", disse.
Ele diz que o Atlético precida se preocupar apenas com si próprio e não se adaptar à maneira de jogar do São Paulo. "Temos que impor nosso ritmo e o São Paulo que se adapte à gente. Vamos impor nossa marcação forte e tocar a bola com qualidade, como temos feito", completou o volante.
Paulinho acredita que o conhecimento de Carpegiani sobre o Furacão pode tornar o jogo mais difícil, mas que o Atlético vai entrar em campo para surpreender o São Paulo. "Todas as equipes que estão lá em cima têm que ganhar fora, e nós vamos forte e motivados para buscar os três pontos. Sei que ainda preciso de mais confiança para atacar, mas estamos trabalhando e tem dado certo, porque a equipe vem bem. Chegar no ataque é consequência, me preocupo mais em marcar", disse o lateral esquerdo.

Câmara de Curitiba aprova projetos que viabilizam obras na Baixada

Depois do empenho direto do governador do Paraná, Orlando Pessutti, que se reuniu com os vereadores, na véspera, a Câmara Municipal de Curitiba aprovou nesta terça-feira dois projetos de lei que viabilizam a reforma da Baixada e a realização da Copa do Mundo de 2014, na capital paranaense.
Por larga margem de votos, 26 a 2, foi aprovado o mecanismo de potencial construtivo, que possibilitará ao clube captar R$ 90 milhões no mercado imobiliário, para investimento nas obras. Também passou, este por unanimidade, o projeto de isenção do ISS (Imposto Sobre Serviços), uma exigência da Fifa
Apenas dois vereadores votaram contra a adoção do potencial construtivo: Jair César (PSDB) e o ex-jogador Aladim Luciano (PV).
"Não sou contra a Copa, mas contra a maneira como se está fazendo. O crédito não vai voltar ao município, está sendo transferido a terceiros não havendo ressarcimento", declarou Jair Cézar, à Rádio CBN. O "pacote" financeiro de ajuda às obras da Arena ainda terá que passar pelo crivo da Assembleia Legislativa do Paraná. Os deputados irão analisar a utilização do Fundo Estadual de Desenvolvimento Estadual (FDE), com forma de empréstimo à construtora que fará a reforma, e a isenção de impostos estaduais.

Felipão de olho em Chico

O atleta Chico do Furacão, interessa ao Palmeiras. O treinador campeão mundial pela seleção canarinho, como não é bobo e já disse que Chico, seria uma excelente contratação, para o Palmeiras em 2011.
Chico era muito criticado pela torcida rubro-negra, mas com muito empenho, se tornou fundamental no esquema tático de Carpegiani e agora de Sérgio Soares.
Chico tem contrato com o Atlético até 2011 e dificilmente se transfere para São Paulo. Outro que Felipão quer, é o atacante Maikon Leite, mas essa contratação não depende do Atlético, afinal o jogador ainda está vinculado ao Santos e a um grupo de empresários, o que torna a sua ida para o Palmeiras em janeiro, mais viável, na teoria.

Falta um homem forte no CAP. Por Edimar Malicheski

Esse nosso Atlético, quando parece que vai engrenar, esbarra em casa, contra adversários que lutam, pelos mesmos objetivos que o nosso.
Tudo bem que não jogamos só contra o Fluminense e sim contra os onze jogadores e mais os três árbitros. Ele sim nos prejudicaram e não deixaram nosso Atlético somar mais três pontos na tabela do campeonato brasileiro da séria "A".
Fiquei revoltado com o roubo, mas isso é culpa da diretoria do Atlético, que pensa pequeno e não tem um representante de nome e de respeito junto a CBF.
Quem é o Malucelli pra CBF? Eles devem dar risada quando assistem erros contra o Furacão na Baixada.
Esta faltando um nome forte no Atlético, só assim esses absurdos como o de domingo, possam acabar. Enquanto isso não rolar, vamos ter que agüentar calados, o Atlético de roubado cada vez mais!
Agora é ir pra cima dos Bambis e tentar vencer o traidor do Carpegiani!
Força Atlético!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Parabéns Maestro


O prestígio de Paulo Baier com a torcida rubro-negra continua sendo grande a cada partida do Furacão, seja no início das partidas, quando a torcida grita o nome de cada jogador em campo, ou quando é substituído. Além da reconhecida qualidade técnica que agrega ao time, Paulo Baier assume a cada jogo a responsabilidade de ajudar os mais jovens do grupo e confirma toda rodada a sua fama de maestro, chamando o jogo, colocando a bola no chão e ditando o ritmo da equipe nesta temporada. Ajudou a equipe a permanecer na Série A no ano passado e, nesta temporada, figura como peça fundamental da equipe na ótima campanha no Campeonato Brasileiro.
Na última sexta-feira, o capitão se associou ao plano de sócio-torcedor do Atlético e a adquiriu duas cadeiras na Arena da Baixada.
Todos nós do Espaço Atletico parabenizamos Paulo Baier pelo seu aniversário e desejamos que o jogador adquira mais sucesso do que já possui e continue vestindo a camisa atleticana por muito tempo, sempre com raça e amor!

Carreira

Natural de Ijuí (RS), Paulo Baier começou profissionalmente no time da cidade, o Esporte Clube São Luiz. Um pouco antes, em 2003, o meia foi o grande destaque do Criciúma no Campeonato Brasileiro daquele ano, sendo então desejado por diversos clubes do Brasil. Na ocasião acertou com o Goiás onde foi o grande destaque no Brasileirão de 2004, conquistando o prêmio Bola de Ouro da revista Placar, além de ter disputado 204 partidas pela equipe esmeraldina.
Em 2007, retornou ao Goiás, após passagem apagada pelo Palmeiras, onde marcou 10 gols pelo Campeonato Brasileiro de 2006 e foi treinado pelo técnico Geninho, que trouxe o jogador ao Atlético.
Baier iniciou sua carreira como lateral-direita e se adaptou a meia cancha com o passar dos anos.

O capitão em números

Depois de ter sua contratação confirmada pela diretoria atleticana em junho de 2009, o meia Paulo Baier estreou contra seu ex-clube, o Sport, no dia 13 daquele mês. O jogador substituiu o companheiro Marcinho, que havia sido expulso diante do Galo na rodada anterior, e herdou a camisa 10. Mesmo vaiado pelos torcedores em Recife, o experiente jogador foi substituído aos 20 minutos do segundo tempo, quando Wesley entrou em seu lugar.
Já realizou 69 jogos com a camisa rubro-negra e possui até aqui 15 gols marcados pelo Atlético. Foram oito gols marcados no Brasileirão do ano passado e sete gols na atual temporada – sendo cinco pelo Campeonato Brasileiro, um pela Copa do Brasil e um pelo Campeonato Paranaense.
Além disso, o meia está empatado com o atacante Washington na corrida pela artilharia da era dos pontos corridos. Ambos possuem 82 gols assinalados desde 2003, quando a fórmula foi implantada na competição.

Arbitragem sem vergonha. Por Elaine

Que sofrimento! Jogar contra arbitragem já faz parte da vida de meu Furacão! Tem muitos comentaristas e jornalistas dizendo que a arbitragem do “EXMO” Seneme foi boa. Boa pra quem? Boa para o time pó-de-arroz que foi totalmente beneficiado pelo árbitro. Desde o início Seneme já mostrava estar totalmente tendencioso. Usou critérios ridículos que me irritaram profundamente. Quando já estávamos ganhando por 1 x 0(com gol de Washington, que eu admiro sim!), o querido árbitro não marcou um pênalti em Guérron que poderia ter mudado o rumo da partida. Se tivesse agido corretamente, teria marcado a falta dentro da área e ainda aplicado cartão amarelo à Diguinho, que seria expulso pelo segundo amarelo. Estaríamos ganhando por 2 x 0 e com um jogador a mais, quer dizer,o jogo seria outro. Gonzales foi empurrado, levou trancos e puxões, sem a arbitragem marcar falta em nenhum desses lances. Já no lado contrário, em lance praticamente igual a tantos, Seneme considerou falta. E dentro da área. As pergunta que não se cala: Até quando teremos que jogar contra adversários e arbitragem junto? Até quando times do eixo Rio-São Paulo vão mandar no nosso futebol? Ocimar declarou que vai documentar a denúncia contra Seneme por escrito e registrar na CBF. Espero que assim seja. Essa palhaçada deve acabar! E por último: Seneme, vá se catar!
SRN!

Análise do jogo. Por Diogo Rodrigo Manassés

Em um jogo de arbitragem lamentável, com muita marcação e pouca criação, o FURACÃO empatou com o Fluminense, em casa, com placar de 2x2, gols de Washington (contra) e Wagner Diniz pelo CAP, e Marquinhos e Conca (de pênalti) para o tricolor carioca.
NETO: não teve culpa nos gols que sofreu e defendeu bem quando necessário. Nota: 6,0.
MANOEL: já foi melhor. Um pouco afobado, domina a bola e logo dá “chutão” para frente, mas foi firme na marcação. Nota: 4,5.
RHODOLFO: como de costume, excelente. Sofreu uma contusão mas permaneceu em campo (até porque nova substituição não poderia ser feita), no sacrifício. Nota: 6,0.
ÉLDER GRANJA: seu desempenho vem decaindo. É um jogador que não compromete, mas que também não acrescenta. Nota: 3,5.
PAULINHO: boa parte da torcida o “persegue”. Na minha opinião, ele é muito bom na marcação, mas medíocre ofensivamente. Nos últimos jogos, não é bom em nenhum aspecto, hoje não foi exceção: Paulinho estava sempre atrasado para marcar e pouco auxiliou na frente. Acertou um único cruzamento, que infelizmente não resultou em gol. No fim da partida acordou, mas foi pouco. Nota: 3,0.
VITOR: ofensivamente não auxiliou mas, diante de um jogo de intensa marcação, fez boa contenção. Foi pouco, mas, dessa vez, não comprometeu. Nota: 4,0.
CHICO: melhor que seu companheiro de contenção, teve o papel único de anular o ótimo Conca (para muitos o melhor jogador do Brasileirão), cumprindo bem seu papel. Nota: 6,0.
PAULO BAIER: tem um passe diferenciado, uma importância ímpar para o time. Não fez a sua melhor partida, mas, como de costume, sua presença é um diferencial para o Furacão. Como sempre, foi responsável direto por um dos gols (o gol contra de Washington, que saiu de um toque dele). Nota: 6,0.
BRANQUINHO: fez uma de suas piores partidas pelo CAP (felizmente não a pior). Até correu, mas pouco produziu. Os raros arremates eram fracos. Um jogador praticamente nulo em campo. Sabemos que tem qualidade, mas sua inconstância, em termos de qualidade, é preocupante. Hoje foi muito mal. Outra nota: em instantes, este mesmo jogador acabou de reclamar pelas críticas que recebeu via twitter. Joga mal e ainda não suporta críticas!? Lamentável. Não tem esta moral ainda, falta-lhe humildade e franqueza! Nota: 2,5.
BRUNO MINEIRO: a bola pouco chegou, é verdade, sofreu algumas faltas não marcadas, é verdade, mas a má-fase permanece com ele. A consolação é que joga até o fim, não desiste facilmente. Nota: 3,0.
GUERRÓN: foi o melhor em campo à medida que foi o que mais produziu ofensivamente. Sofreu um lance polêmico que poderia dar um desfecho diferente à partida, não fosse o juiz. Ao final, estava visivelmente cansado, mas foi importante para o time. Nota: 6,5.
WAGNER DINIZ: entrou no lugar do Élder Granja (por contusão deste), com vontade e velocidade (até por estar descansado), sendo premiado pelo gol. Para mim, merecia a titularidade, pois Granja não vem jogando bem. Nota: 6,5.
IVAN GONZÁLEZ: teve a infelicidade de não conseguir uma jogada com o juiz (este invertia todas). Entrou e pouco produziu, quando o fez, a jogada, por motivos alheios a ele, não resultava em nada. A diferença que fez em campo foi de termos um jogador descansado. Nota: 3,5.
NIETO: jogou muito pouco para ser avaliado.
SÉRGIO SOARES: ainda não me convenceu. O retrospecto é ruim. Ao menos se o time convencesse, era possível relevar. Mudou o esquema tático que vinha sendo utilizado, substitui com demora e, principalmente hoje, errou feio ao substituir. Colocar Nieto no lugar do Bruno Mineiro foi queimar uma substituição, pois este ficou totalmente sem função na partida. Nota: 3,0.
Pior jogador em campo: BRANQUINHO, diante da qualidade que possui e do que apresentou. Destaque negativo também para o árbitro, que foi um torcedor do Fluminense apitando a partida.
Melhor jogador em campo: GUERRÓN, pois foi importante nas jogadas ofensivas e preocupou a zaga adversária.

Esta é a minha opinião, gostaríamos de saber a opinião de vocês, caros leitores!

domingo, 24 de outubro de 2010

Sérgio Soares critica a arbitragem

"Foi um jogo muito disputado, onde as duas equipes se respeitaram muito, com poucas oportunidades de gol. Eu entendo que foi um jogo bastante truncado, brigado, mas com uma interferência absurda da arbitragem, que impediu que o Atlético saísse vitorioso."

Neto "acho que perdemos 2 pontos"

O resultado de 2 a 2 com o Fluminense em casa não foi o que o Atlético estava esperando, pois a equipe rubro-negra esteve duas vezes à frente do placar. Para o goleiro Neto, a partida foi muito complicada, pois o Furacão enfrentou um adversário muito, que está brigando pelo título. "Da maneira que jogamos, acho que perdemos dois pontos e agora temos que buscar isso fora de casa, contra o São Paulo", disse o arqueiro. Neto admitiu que houve falha de marcação no lance do primeiro gol do Fluminense, quando Marquinho, livre, chutou de fora da área e empatou a partida. "São erros que acabam acontecendo, a gente treina durante a semana mas aconteceu porque a equipe deles precisava do resultado. A falha aconteceu, mas temos condições de buscar o resultado fora", analisou. Ele lamentou ainda os dois gols sofridos logo em seguida que o Atlético balançou as redes: "Foram gols que tomamos meio repentinamente, se pararmos para pensar a gente poderia ter evitado esses gols e até feito outros. Mas temos que saber lidar com isso e seguir buscando o objetivo, porque só depende de nós".
Ele disse que o Atlético ainda está na briga pela Libertadores e que confia que a equipe pode brigar por este objetivo. "Nosso sonho ainda está vivo, ainda queremos buscar a Libertadores. Mas a gente pode conquistar esse objetivo sim. Nossa equipe tá bem, adquirimos uma confiança grande e estamos crescendo e eu garanto que vamos conseguir nosso objetivo", completou Neto.

Bela atuação, péssimo resultado


Todo mundo sabia que enfrentar o vice-líder não seria fácil, mas o Atlético esteve duas vezes à frente do placar e em ambas deixou o Fluminense empatar, e o jogo acabou terminando em um frustrante 2 a 2, que deixa o Furacão distante dos primeiros colocados e fora da zona de classificação para a Libertadores. O rubro-negro é o 7º colocado, com 47 pontos para tristeza dos mais de 22 mil torcedores que foram até a Arena da Baixada. A torcida, aliás, protestou muitio contra a arbitragem de Wilson Seneme, que não teria marcado um pênalti em Guerrón, mas quando foi para o Fluminense, a penalidade foi assinalada.

O jogo

O jogo começou muito disputado no meio-campo e com muitos erros de passes para os dois lados. O primeiro lance de perigo aconteceu aos 11 minutos, quando Thiaguinho cruzou e Rodriguinho cabeceou sozinho, mas a bola acabou indo para fora. Apesar de ser uma partida truncada, era o Fluminense quem atacava com mais qualidade, enquanto o Atlético mais se defendia e tentava explorar os contra-ataques.Somente aos 18 minutos o Atlético assustou, em cabeçada de Paulo Baier que Ricardo Berna defendeu bem. Mas o tempo passava e o jogo seguia concentrado demais no meio-campo, com pouquíssimas oportunidades claras de gol. Aos 28, Paulo Baier cobrou escanteio com perigo, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora. O tricolor carioca marcava muito bem e o Furacão não encontra espaços para criar as jogadas.Aos 34, Branquinho acertou um belo chute de fora da área e Ricardo Berna fez grande defesa. E aí o Furacão teve sua melhor chance do primeiro tempo, aos 39 minutos: Paulinho cobrou falta e Ricardo Berna deu um tapinha salvador. Aos 43, Guerron recebeu na área, deu um toque sob o goleiro e a bola saiu pela linha de fundo. Aos 45, Washington cobrou falta e Neto espalmou com muito perigo. E foi só na etapa inicial, que muito truncada, acabou terminando em 0 a 0.Com 1 minuto do segundo tempo, o Atlético quase marcou, com boa cabeçada de Bruno Mineiro. Aos 9, mais um bom lance rubro-negro: Paulinho tocou para Branquinho, que na pequena área acabou chutando em cima de Ricardo Berna. E como o Furacão estava bem mais ofensivo em campo, o gol acabou saindo aos 16 minutos. Paulo Baier cruzou na área, Washington desviou contra a própria meta e a bola morreu no fundo das redes: 1 a 0 Atlético.Mas não demorou para o Fluminense empatar. Aos 24, Marquinho arrematou de fora da área e a bola morreu no canto esquerdo de Neto: 1 a 1. E aí o jogo pegou fogo, bastante movimentado, com as duas equipes buscando o gol da vitória. Aos 36, Washington bateu forte e Neto fez grande defesa. Aos 38, Wagner Diniz cruzou na área, Nieto desviou e a bola voltou para o lateral-direito, que tocou para o fundo da redes: 2 a 1 Furacão.Mal deu tempo da torcida rubro-negra comemorar o segundo gol e Iván González cometeu pênalti em Tartá, aos 40 minutos. Conca cobrou forte, com perfeição, sem chance para Neto: 2 a 2. E aí os minutos finais da partida foram dramáticos na Baixada, mas o jogo acabou terminando em 2 a 2, péssimo resultado para o Furacão.

Uma vez atleticano, atleticano até morrer, FURACÃO 2 x 2 Fluminense


Aos 16 minutos do 2° tempo, coração valente abre o nosso placar, obrigado washigton pelo belo gol contra, hahahahah

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Aos 23 minutos do 2° tempo, num chute de fora da area o florminense empata com marquinhos

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Aos 38 do 2° tempo, Wagner Diniz que ha poucos minutos tinha entrado, mostra quem manda nessa cidade, no rebote, ele toca pra dentro do gol

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Aos 42 do 2° tempo, o juiz que não podeia deixar o florminense sair da baixada coma derrota arranja o penalti pra equipe carioca, conca bati e empata novamente

Parabéns torcida os Fanáticos

Hoje a torcida os Fanáticos, completas 33 anos de existência. Foram mais de três décadas, sempre ao lado do Atlético.

A força da caveira é incontestável. Quando eles gritam, o Caldeirão treme e os adversários, sentem na nuca, o poder da maior torcida do sul do Brasil.

Ao contrario de muitas torcidas, a Fanáticos não recebe um centavo do clube e tudo que conquistou, foi com esforço próprio. Com muita luta e garra!

Parabéns a todos os fanaticanos. Que venham mais 33 anos!

E hoje, precisamos ser o 12º jogador. Com garra e muita vibração, vamos pra cima do Fluminense.

Furacão recebe o Fluminense na Baixada

O maior clube do estado, recebe o Fluminense, tentando mais uma vitória, para se aproximar ainda mais dos líderes.

A bola rola à parir das 16:00hs, no maior Caldeirão do Mundo e a pressão da massa atleticana, precisa ser grande, pois vencer o time carioca, será uma parada muito difícil.

O técnico Sérgio Soares, como já é de praxe, só divulga o time momentos antes da partida. Porém, durante os treinamentos, sinalizou que deve manter a mesma formação tática utilizada na vitória apertada sobre o Goiás. A diferença estará no ataque, já que Maikon Leite está fora, por lesão, abrindo espaço para o retorno de Bruno Mineiro. Outra briga pode acontecer entre os volantes Vítor e Claiton, ambos utilizados pelo treinador no CT do Caju. Vitor deve ser o escolhido, afinal o predador ainda não está em forma..

Chegue cedo ao estádio, participe do mosaico e faça parte dessa grande festa!

O Caldeirão precisa ferver, e você será fundamental!

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO x FLUMINENSE

Local: Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 24 de outubro de 2010, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Assistentes: Marco Antonio Martins e Angelo Rudimar Bechi (ambos de SC)

ATLÉTICO: Neto; Elder Granja, Manoel, Rhodolfo e Paulinho; Chico, Vitor (Claiton), Paulo Baier e Branquinho; Guerrón e Bruno Mineiro
Técnico: Sérgio Soares

FLUMINENSE: Ricardo Berna; Thiaguinho, Leandro Euzébio, Gum, Carlinhos; Diogo, Diguinho, Marquinho e Darío Conca; Rodriguinho e Washington
Técnico: Muricy Ramalho

Papel e caneta, fazendo as contas. Por Everton Furtado

É hoje! O grande dia chegou, estava eu analisar os próximos jogos do Atlético e cheguei a simples conclusão, temos três times que podem nos dar dor de cabeça ainda pela frente, se conseguirmos arrancar os 9 pontos em cima destes três times que são, Fluminense, São Paulo e Gremio, acredito que podemos buscar até o bicampeonato. A dificuldade está até em ordem, o florminense hoje virá com tudo, mas se soubermos jogar com tranquilidade aproveitando o lado positivo que é o fator arena, podemos chutar o time de palhaços daqui, em segundo nível de dificuldade vem o São Paulo, o time comandado pelo traíra, ops...desculpe, nosso ex-técnico Carpegiani, conhece até a cor da cueca do véio Baier, sendo assim, jogaremos com as cartas abertas na mesa, mas com luta e raça, coisa que nosso time está mostrando, podemos arrancar mais três pontinhos, e por último o Grêmio, esse time pode nos prejudicar bastante na tabela, talvez aí em Curitiba o jogo não esteja sendo tão esperado, mas aqui, já estão contando os dias, dizem que vai ser aqui que iremos cair, tenho orgulho de todos os dias andar com a camisa do Furacão aqui e já começo a ouvir piadinhas, a questão não são as provocações e sim os retrospectos, nos últimos anos, só saímos daqui com a derrota, e se, na data do jogo, os pontos dos dois times se equivalerem, se preparem pois o pau vai fechar, o histórico de partidas entre os dois times não são um mar de rosas, e no time do gaymio, é tradição quando o time começa a perder começar a bater, sendo assim acredito que passando essas três pedreiras, estamos muito próximos, mas muito próximos do título meus amigos, afinal estamos apenas a 8 do líder. Quero finalizar essa coluna parabenizando a maior torcida do sul do país pelo seu 33° aniversário, uma torcida com história, lutas e demonstrações de amor incondicional ao nosso Furacão, parabéns torcida organizada Os Fanáticos, que a estrela de vocês brilhem nas nossas arquibancadas e que o apoio e amor ao nosso querido Atlético só aumente a cada dia, sinto orgulho de ter uma torcida como a nossa que é invejada por todas as outras desse planeta.

sábado, 23 de outubro de 2010

Futebol sem máscara, sem vaidade! Por Cadu

Ontem o maior jogador de futebol de todos os tempos, completou 70 anos de idade, com a mesma simplicidade e saúde de sempre.
O Rei Pelé, é o maior símbolo do esporte brasileiro, basta sair do Brasil e fazer a pergunta: Quem você conhece no Brasil? A primeira pessoa que os gringos lembram, é do Pelé.
Pelé conquistou esse reconhecimento, com muito futebol. Aliás eu considero o Rei Pelé, um ser de outro mundo, afinal não existe e nunca vai existir um jogador, com o potencial do negão.
Sinto em não ter nascido na época que o Rei jogava. Época de ouro do futebol, onde os atletas jogavam com amor a camisa de seus clubes.
Chuteiras coloridas? Hahahaha o Rei Pelé, jogava de chuteiras pretas, com couro super duro, e ao final das partidas, os pés estavam com calo!
Vaidade não existia, aliás o Rei tinha uma: FAZER GOLS! E isso ele fazia como ninguém!
Pena que o tempo passou e a vaidade tomou conta do futebol mundial. Hoje temos que aguentar jogadores com chuteiras rosas, amarelas, vermelhas, cabelos pintados, enfim, o futebol ficou em segundo plano. Agora é mostrar somente a marca e o visual!
No Atlético tem muito disso, basta ver o nosso atacante que joga com chuteiras lilás!
Não é mole!
Parabéns Pelé!!! A sua majestade nunca vai acabar!

Cada jogo é decisivo. Por Aline - [Lininha]

Passamos por muita coisa pra estar na posição que estamos. Enfrentamos adversários fortíssimos, tropeçamos em algumas oportunidades, mas também nos superamos inúmeras vezes. Muito mais que uma boa base, eu diria que o Atlético tem nesse elenco, aquele espírito de raça que nós esperamos que tenha. Afinal, nunca exigimos um time perfeito. O que sempre cobramos é que os atletas que usam nossas cores se dediquem para sempre honrar o nome da nossa eterna paixão.
Amanhã é um daqueles dias em que um torcedor fanático não consegue pensar em nada, a não ser no jogo e consequentemente, na vitória. Porque se estaríamos entre os clubes que disputariam a libertadores de 2011 se o campeonato acabasse hoje (exceto se o campeão da copa sulamericana fosse um time brasileiro), temos que continuar lá em cima, para realmente garantir a vaga, sem precisar depender de outro campeonato.
Enfrentar o vice-líder do brasileirão na fase final do segundo turno será uma grande batalha. E para todas as grandes batalhas existem os grandes guerreiros. Além dos 11 homens que jogarão com nosso manto, nós estaremos presentes, sendo o 12º jogador, como sempre fomos e por isso, na Baixada os inimigos tremem.
A massa Rubro Negra incentivará de todas as formas : recepcionando os jogadores, realizando a 17ª edição do mosaico, lotando o estádio. E principalmente, através de centenas de vozes que ecoaram o amor que corre em nosso sangue e faz o coração pulsar mais forte quando a bola balança as redes. Prepare-se para um jogão, em que é preciso vencer para seguir buscando nossa meta.
Obs: Não poderia deixar de comentar aqui sobre a festa de 33 anos da Caveira. Foi simplesmente demais, tudo muito bem organizado. E por tudo o que a Torcida faz e já fez pelo nosso amado Furacão, amanhã - aniversário da TOF - a vitória será para todos os Fanáticos, integrantes ou não da organizada.

Saudações Rubro Negras à todos.

Amor verdadeiro



É muito massa, ver crianças apaixonadas pelo Atlético. Nossa torcida é diferenciada, só nós sabemos o que o Atlético representa em nossas vidas!
Esse vídeo, foi publicado no BLOG DA EMBAIXADA DE BRASÍLIA, e se trata da super atleticana Maria Júlia, torcedora do Furacão lá em Brasília.

Chega de brigar! Por Cadu

Salve, salve amigos leitores. Hoje, escrevo sobre um assunto, que me deixa muito triste e revoltado. A VIOLÊNCIA ENTRE ATLETICANOS!
Infelizmente as torcidas organizadas Ultras e Fanáticos, estão passando por um turbulento e ambas não estão se suportando.
A cada final de partida, brigas ao redor do estádio, roubos de camisas, depredações de carros, enfim, tudo está errado.
Não dá pra entender, como duas torcidas tão bonitas, brigam entre si! Meu Deus, todos são atleticanos e amam o vermelho e preto! Pelo menos é o que penso, pois atitudes como as que aconteceram na partida contra o Goías, fica difícil acreditar que os baderneiros são atleticanos.
Pra que esse ódio? Somos uma torcida apaixonada, que sempre jogou e joga junto com o time por todos esses anos.

Como é lindo, ver as duas torcidas fazendo festa no estádio. Logo que penso em festa, me recordo dos jogos na antiga Baixada, quando a TOF e a ULTRAS, estendiam seus bandeirões, dando um verdadeiro show!

Poxa meu povo, chega com essa besteira. O Atlético precisa do apoio de ambas as torcidas.
O respeito tem que existir. E pra isso acontecer, eu proponho para os dirigentes da TOF e ULTRAS, uma reunião, para selar a paz e acabar de vez, com essas brigas idiotas.
Até agora, o Atlético não deu um parecer sobre as brigas que estão acontecendo, mas tenho certeza, que se persistirem, a primeira atitude da diretoria. é proibir a entradas das organizadas na Baixada.
O Caldeirão pega fogo, com o apoio de todos. Briga é ferramenta de otário!
SOMOS UNIDOS PELO MESMO AMOR, NOSSO ATLÉTICO!
SOMOS UMA FAMÍLIA E TEMOS POR IDEAL, O SUCESSO DO NOSSO FURACÃO!
O ATLÉTICO NOS UNE - A UNIÃO NOS FORTALECE!

OBS: Queremos saber a sua opinião sobre esse assunto. Participe!

Conca, o cérebro do Fluminense

Conca um dos melhores meias no brasileiro, é a grande arma do tricolor carioca, para enfrentar o Furacão, amanhã na Baixada.
Sabendo disso, os jogadores do Furacão já estão atentos ao adversário que terá marcação cerrada.
“Tem que marcar ele forte, em cima. No jogo contra o Goiás fizemos boa marcação, mas tomamos gol no finalzinho. Se a marcação não estiver encaixando por zona, na hora definimos pela marcação individual. Isso se resolve conversando dentro de campo”, explicou Vítor.
Outro que deve ser marcado de perto, é o ídolo do Furacão Washington, que infelizmente veste a camisa 9 no Flu e não a do Furacão.
Nossa diretoria achou que o Coração valente não seria uma boa contratação, agora vai ter que assistir de camarote a partida entre Atlético e Flu e rezar para ele não deixar sua marca, nas redes do Atlético.
Um erro enorme! Já pensaram o time atual com o Coração valente no ataque? Com certeza estaríamos entre os três primeiros na competição.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Sérgio Soares faz mistério na escalação atleticana

Devido a importância do jogo de domingo, contra o Fluminense, na Baixada, o técnico Sérgio Soares optou por realizar um treinamento fechado, na tarde desta sexta-feira, no estádio rubro-negro. A ideia é manter o mistério na escalação da equipe, o que só deve ser revelado minutos antes do início da partida, um confronto direto na luta pela Libertadores 2011.
De qualquer forma, é certo que o atacante Maikon Leite e o volante Deivid estão fora do jogo, porque ainda estão entregues ao Departamento Médico. A grande novidade é o retorno do atacante Bruno Mineiro, recuperado de uma lesão no pé, e que vem treinando normalmente desde quarta-feira e deve começar jogando contra o Fluminense.
Caso não surpreenda, Soares deve armar o Atlético no 4-4-2 com a seguinte formação: Neto; Élder Granja, Manoel, Rhodolfo e Paulinho; Chico, Vítor, Paulo Baier e Branquinho; Bruno Mineiro e Guerrón.

É HOJE!

A mais vibrante torcida do Brasil, comemora seus 33 anos, em uma super festa, com direito ao Grupo Revelação.

Nós do Espaço Atlético, temos orgulho de sermos integrantes dessa vibrante torcida.

E deixamos claro, que nosso pensamento é igual ao pensamento dos verdadeiros integrantes da TOF. Somos totalmente contra a violência, apenas somos a favor da festa no estádio”.

A todos os verdadeiros fanáticanos, "PARABÉNS"!

DATA:
Sexta-feira, dia 22 de outubro de 2010.
HORÁRIO:
Início às 20h (22/09)
Término às 7h30 (23/09)
LOCAL:
Curitiba Master Hall

JUNTOS PELA LIBERTADORES!

Hoje tem venda de ingressos

Os ingressos para o jogo entre Atlético e Fluminense, às 16h de domingo, começam a ser vendidos hoje de nas bilheterias da Baixada, que abrem às 10h e fecham às 18h.
O valor do ingresso é R$ 60 inteira e R$ 30 meia-entrada.

Ele voltou

Já são quatro meses e meio sem disputar uma partida. O lateral-esquerdo Márcio Azevedo recupera-se de uma lesão óssea no joelho direito e tenta voltar aos treinamentos normais com o grupo atleticano. O último jogo do lateral foi no dia cinco de junho, contra o Vitória, em Salvador, antes da parada da Copa do Mundo.
Após várias sessões de fisioterapia e um período longo de readaptação física, Márcio iniciou nesta semana um treinamento físico mais forte. O jogador está na reta final da preparação para ficar à disposição do técnico Sérgio Soares ainda para este Brasileiro. Na competição, Azevedo participou de sete jogos, dando duas assistências para gol.

Vítor e Claiton disputam uma vaga no time atleticano

O técnico Sérgio Soares está em dúvida em quem escalar para ser o volante do Atlético. Na briga estão Vítor e Claiton.
O predador é reconhecido por ter um passe de qualidade e por ajudar na motivação ao time, e Vítor por ser mais marcador.
Hoje, o treinador comanda mais um treino fechado para a imprensa, mas dessa vez na Baixada. Com isso, a confirmação da equipe atleticana que enfrenta o tricolor carioca só sai momentos antes do início da partida, marcada para às 16h.