sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Cumprimento. Por Diogo Rodrigues Manassés


Cumprirei minha promessa: o Furacão subiu, tenho de reconhecer a competência de Ricardo Drubscky no comando técnico. Antes, porém, algumas ressalvas.
Drubscky teve a capacidade de unir o grupo em torno de um mesmo objetivo (apesar de que, pelo que ouvi, o grupo se reuniu para focar no acesso, logo após a saída de Jorginho, ou seja, mesmo sem Drubscky), tornou-se amigo dos boleiros (o que definitivamente não é fácil), conseguiu montar um time titular já conhecido, sem improvisações (a meu ver, sua maior qualidade) e com um estilo de jogo predefinido. Ele teve virtudes, há que se reconhecer.
Por outro lado, errou demais. Mostrou em todos os jogos que não sabe fazer substituições, não sabe agir sob pressão, e quase sempre erra nas alterações. Também não sabe mexer as peças, nunca tem uma carta na manga (que não seja a qualidade técnica diferenciada de um jogador no banco, normalmente Paulo Baier, salvador do técnico em várias oportunidades). Ainda, o time quase sempre voltava pior para o segundo tempo, o que mostra sua absoluta incapacidade motivacional no intervalo. Pior, praticamente em todas as partidas o resultado saiu na base do sufoco, não tivemos quase nenhum jogo tranquilo, mesmo contra adversários desqualificados. Se o problema era o time, escancara para a diretoria que, sem reforços, estamos fadados a lutar para não cair. Se o problema é o técnico, inequívoco o erro ao renovar com Drubscky.
Matematicamente, Drubscky fez um trabalho incontestável. E conseguiu finalizar o ano atingindo o objetivo. Maravilha! Mas não serve para a série A. Sinceramente, acho impossível o time ir longe sob sua orientação – isso sem falar no elenco fraquíssimo, carecendo de jogadores de melhor cacife que os especulados. Se forem contratados os jogadores especulados (jovens equatorianos desconhecidos, Nei, Nikão, Bolívar) e com esse técnico, não consigo enxergar um 2013 que não seja com muito sofrimento. No início de 2012, resolveram aproveitar os jogadores rebaixados. Foi necessário qualificar. Para 2013, aparentemente vão aproveitar os jogadores que subiram na série B com muito esforço (quero dizer, sem tranquilidade). É a crônica de um fracasso anunciado. Mas ainda há tempo para perceberem que Drubscky e esse elenco não servem para a série A – exceto Manoel, Cleberson, Deivid e João Paulo, titulares em qualquer time brasileiro.
Comemorar? Sim, nós torcedores temos muito o que comemorar o sofrido acesso. A diretoria não, porque tem de trabalhar para reforçar o time. Aguardemos por reforços. SRN.

Atlético-PR anuncia parceria com empresa dos EUA para gerir Arena


Detentor de um dos estádios que serão utilizados na Copa do Mundo de 2014, o Atlético-PR deu mais um passo no desenvolvimento da Arena da Baixada. Nesta quinta-feira, em entrevista concedida em um hotel em São Paulo, a diretoria do clube paranaense divulgou parceria com a empresa AEG Facilites, que será responsável por gerir a Arena e a Arena Olímpica, localizada ao lado do estabelecimento principal.
Integrantes da alta cúpula do Atlético-PR, como o presidente Mario Celso Petraglia e o diretor de marketing Mauro Holzmann, marcaram presença no evento, que ainda contou com o vice-presidente da companhia norte-americana, Chuck Steedman, com o representante da AEG no Brasil, Beto Lima, e até mesmo com o prefeito de Los Angeles, Antonio Villaraigosa.
“A chegada da AEG como parceira na gestão da Arena nos dará certeza de que o complexo de entretenimento que estamos entregando a cidade de Curitiba terá utilização plena durante o ano todo. A AEG trará excelência na captação de eventos de todas as ordens, dando ao Atlético-PR a certeza de receitas importantes e a utilização do complexo, de fato, como multiuso”, afirmou Petraglia.
O vínculo entre o clube rubro-negro e a empresa estrangeira tem duração de dez anos, mas pode ser estendido caso seja do interesse de ambos. O acordo prevê que 100% das receitas geradas através da Arena ficará com o Atlético-PR, enquanto a AEG obterá lucros por meio de prestação de serviços como gestora, vendas de patrocínios internacionais e captação de shows e eventos.
“Tenho certeza de que esse estabelecimento será uma ótima sede para a Copa do Mundo de 2014, e também uma bela casa para o Atlético-PR durante muitos anos”, exaltou Steedman, que ainda elogiou os diretores do time paranaense. “Tenho a honra de conhecer o Mauro há três anos, e o presidente Petraglia há um ano. São pessoas honradas e muito boas. Tenho prazer em considerá-los amigos pessoais”, completou.
A empresa norte-americana administra mais de 100 arenas ao redor do mundo. Entre as principais, estão o Staples Center (Los Angeles), O2 (Londres) e O2 World (Berlim). No Brasil, a AEG tem planos de abrir um escritório em São Paulo e fechou parcerias para gerir a Arena Pernambuco, em Recife, e a Arena Palestra Itália, em São Paulo.
Contando com teto retrátil, a Arena da Baixada está sendo construída para abrigar 43.981 espectadores em dias de jogos. No entanto, em dia de eventos musicais, a expectativa é de que o estádio comporte até 60 mil pessoas.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Objetivo alcançado! Por Célio

Galera rubro-negra é com grande satisfação que escrevemos ...afinal o Furacão voltou! Enfim retornamos para o lugar de onde jamais deveríamos ter saído...e que por “politicagens” do mundo da bola conseguiram nos empurrar...claro, o time do ano passado não fez por merecer porém bastou um pequeno empurrão  com o impedimento “arranjado” no gol do maestro   Paulo Baier na partida contra o Cruzeiro... e caímos. Passado quase um ano seguindo a “promessa” do maestro ,o time retornou à elite. Promessa esta que Paulo Baier, envergonhado com a queda, fez dizendo que ficaria e ajudaria à retornar à elite. Ficou e conseguiu fazer cumprir o que disse.  O Furacão mesmo sendo uma equipe limitada, jogando fora de sua casa...conseguiu se firmar como um grupo de guerreiros e com galhardia conseguiu o acesso enfrentando árduas batalhas.  Após a vitória contra a equipe do São Caetano acabamos empatando as duas últimas partidas. A dificílima partida frente à equipe do Criciúma, em seus domínios, e contra a equipe do Paraná, numa partida cheia de emoções. Não vencemos, empatamos sem gols, porém o empate juntamente com a combinação dos resultados  nos ajudou à conseguir o acesso. Foi o resultado que tanto aguardávamos e torcemos. Enfim conseguimos alcançar o objetivo maior deste ano.  A nossa maravilhosa torcida foi um exemplo de motivação e apoio em todas as partidas, inclusive as que jogamos fora.  Agora começa a preparação para um novo ano de volta à série A. Reforçar a equipe, treinar e começar com tudo já no campeonato  paranaense. A nossa diretoria começou essa nova fase corretamente tendo mantido Ricardo Drubscky no comando técnico.  Melhor coisa ter sido valorizado o trabalho do técnico que tanto se aplicou e nos ajudou à conseguir alcançar o objetivo. Já começamos essa nova fase empolgados  por podermos pensar que ano que vêm a equipe será reforçada e após a metade do ano teremos de volta a nossa querida baixada! O ano promete...Com o Furacão novamente na série A os ânimos se renovarão e buscaremos horizontes mais longínquos. SRN. À todos! 

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Ricardo Drubscky é confirmado no comando do Furacão para 2013

Após o acesso para a série A no último sábado, o técnico Ricardo Drubscky renovou o contrato com o Atlético por mais um ano e vai comandar a equipe atleticana na temporada do ano que vem. 
A reunião que confirmou a manutenção do treinador rubro-negro foi realizada hoje pela manhã e contou com a presença do presidente Mario Celso Petraglia e do diretor Dagoberto Santos. Nela, ficou definido que, além de comandar a equipe principal, Drubscky vai acompanhar o trabalho de todas as categorias de futebol do clube. A ideia é manter a mesma filosofia e modelo de jogo da equipe Sub-15 ao elenco principal.
“Estou muito feliz. O projeto do clube e a possibilidade de dar sequência ao trabalho é, para mim, uma grande conquista” – revela o treinador. “Acredito que vamos ter condições de fazer coisas muito boas na sequência do trabalho. A expectativa é de melhorar a qualidade de tudo que foi feito até agora. Isso foi o que me motivou e o que me dá essa inspiração e satisfação em continuar”, acrescenta. 

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Atlético-PR vai escalar o time sub-23 no primeiro turno do estadual

O Atlético-PR vai colocar em campo, no primeiro turno do Campeonato Paranaense de 2013, o time sub-23. Depois de disputar 29 jogos-treinos em 2012, com 18 vitórias, 10 empates e uma derrota, o "Furacão B" - criado no começo do ano - vai disputar partidas oficiais pela primeira vez.
O elenco sub-23 - que vai ser comandado por dois técnicos, ainda não definidos - é formado por jogadores revelados pelo próprio clube, outros em fase final de recuperação de lesões e alguns sem espaço na equipe principal.
No último jogo-treino da equipe, com vitória por 4 a 3 sobre o Camboriú-SC no começo de outubro, por exemplo, o time teve, no 4-4-2, Alexandre; Otávio, Rafael Zuchi, Erwin e Anderson Tasca; Adriel, Renato, Bruno Pelissari e Douglas Coutinho; Jorge dos Santos e Gustavo. O sub-23 conta ainda, entre outros, com os zagueiros Diego Bairo e João Antônio, os meias Caíque e Hernani e os atacantes Jenison e Pablo.
- É uma decisão conjunta, para prestigiar os jogadores e fazer com que eles despontem. Um jogador só desponta jogando. Então, vamos colocar eles para jogarem - afirma João Alfredo Costa Filho, diretor de futebol rubro-negro

BNDES libera recursos para financiar obras da Arena da Baixada


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) confirmou a liberação dos recursos no valor de R$ 123 milhões, para as obras da Arena da Baixada. Segundo o presidente da Agência de Fomento do Paraná, Juraci Barbosa Sobrinho, o contrato foi assinado com o Governo do Estado do Paraná na última sexta-feira e está pronto para ser repassado para o Atlético-PR.  O processo burocrático passa agora pela publicação em Diário Oficial do contrato entre governo e BNDES, para depois chegar ao Atlético-PR. Ainda não há uma data marcada para a assinatura com o clube.  - O contrato com o BNDES é espelho com a Agência de Fomento e CAP/SA. Acho que já está tudo certo, pois todos os termos já foram discutidos, disse Barbosa Sobrinho.  A Agência de Fomento do Paraná funciona como um intermediário entre o BNDES e o Atlético-PR, que administra todas as obras da Arena da Baixada. Segundo a assessoria de imprensa do banco, todos os trâmites estão prontos. O último passo é o órgão estadual fazer o pedido de liberação das parcelas.
A primeira parcela deverá ser de 20% do total, que representa cerca de R$ 24,6 milhões. Para ser liberada é preciso enviar o documento de medição da obra, como determina o BNDES.  Conforme dados do Atlético-PR, a Arena da Baixada já alcança 52% de sua conclusão.
Conforme o presidente da Agência de Fomento do Paraná, uma empresa de auditoria está terminando o primeiro relatório para encaminhar ao banco. Ele ainda acredita que até o mês de janeiro será possível chegar a 55% do total do financiamento.  - O Atlético-PR, através da CAP/SA, já tem condições de receber 20%. E acredito que já dá para solicitar nova auditoria para repassar mais 35% e contabilizar 55% até o mês de janeiro, concluiu Barbosa Sobrinho.  O valor de R$ 123 milhões corresponde a dois terços do valor total da obra da Arena da Baixada, que é de R$ 184 milhões. Para receber os recursos, o Atlético-PR dá como garantia o seu centro de treinamento e cerca de R$ 30 milhões em títulos de potencial construtivo doados pela prefeitura municipal de Curitiba. Aguardada com ansiedade desde o início do ano pelo Atlético-PR, os recursos do BNDES demoraram, conforme Barbosa Sobrinho, em razão do ineditismo da engenharia para obter o dinheiro. O Paraná é o único estado que fez o pedido de empréstimo para depois repassar para o Atlético-PR, que gerencia toda a obra.   Demorou pela inovação, pelo ineditismo, que leva a muitas discussões. Teve também o ano eleitoral, concluiu Barbosa Sobrinho.

Parabéns Camilinha.

Camila Lopes F. Provenzano
Que Deus ilumine seu caminho e você continue
 esta grande guerreira, persistente e batalhadora, 
que corre atrás de seus sonhos e os torna objetivos a serem alcançados!!! 
Saúde, paz e sucesso sempre!!!
 

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

domingo, 25 de novembro de 2012


Série A, estou de volta. Por Aline

A semana demorou muito para passar. A angústia de esperar o sábado chegar foi horrível. Os pensamentos foram tantos, as lembranças são tantas, a série B estava chegando ao fim, anunicava o coração atleticano. Eu só dizia para alguns atleticanos para termos o pé no chão, pois o paraná é um clube quase falido, mais encomodou alguns times lá de cima, como vitória e são caetano. Sempre digo que futebol e salto alto não combinam, então era melhor esperarmos a partida para ai cantar a vitória, e consequentemente, a volta.
E tudo na vida rubro negra tem que ter emoção. A começar pela loucura para habilitar os smarts para assistir o jogo, porque na internet o site não atualizava de jeito algum, e lá fomos nós para o Sócio Furacão, enfrentar fila para conseguir o acesso ao jogo. No meu caso, meu namorado quem foi para mim. E quando ele me ligou e disse que achava que não iria conseguir, eu cai aos prantos. Mas, no fim, nós conseguimos.
E foi com ele também, que eu vivi uma das maiores emoções da minha vida: ver o Atlético subir. Tudo com muita emoção, é claro. Eu e o Bruno chegamos lá no Eco Estádio e tomamos toda aquela chuva. Creio que foi para lavar a alma e dar definitivamente Adeus à série B.  Porém, a partida não foi fácil. Isso porque não tinhamos time para perder para o paraná, mais a bola teimava em não entrar. Hora, pelas defesas feitas pelo goleiro Luis Carlos, hora por azar, hora pela maldita trave. E só com 30 minutos de jogo o abençoado Cleberson abriu o placar para nós.
E quando acabou o primeiro tempo em 1x0 o Bruno me disse ''Amor, agora é só questão de tempo, nós vamos subir. Não sei porque temos receio de enfrentar o paraná. Chega a ser ridiculo''. Eu até concordei, nós sabiamos que os 45 minutos demorariam uma vida para passar, mais parecia que o jogo estava ganho. Ai fomos surpreendidos por essa caixinha de surpresas chamada futebol. Demos bobeira e o time da Vila Capanema empatou. E ai foi pressão, foi loucura, foi uma luta para fazer o segundo gol e para não tomar outros gols. E o Furacão ainda perdeu pênalti.
E então, quando o juiz apitou o término da partida, a cidade ficou pequena para nossa felicidade. Foi choro de alegria, foi emoção à flor da pele, foi missão cumprida, foi grito de O Furacão voltou para todos os lados. E só nós sabemos o tamanho do orgulho que sentimos em torcer para o Atlético Paranaense. E só nós sabemos o quanto desejamos essa vaga na série A. E é maravilhoso saber que o sofrimento chegou ao fim.
O meu muito obrigada à todos que estiveram comigo nessa dificil série B. Em especial ao meu Bruno Ferraz, que esteve comigo nesse segunda divisão toda, e ontem me deu aquele abraço maravilhoso ao fim do nosso sofrimento.  O meu muito obrigada também ao grupo atleticano, que trouxe o Furacão à elite. Em especial ao Deivid, ao João Paulo, Elias, Paulo Baier e Cleberson. Que tenhamos sempre jogadores como vocês, que vestem a camisa com tanta raça.

Saudações Rubro Negras e que a série A seja brilhante!

Aline de Sousa

É pra você, meu amigo! Por Cadu

Ano passado, nessa mesma épca, eu estava sofrendo muito com o Atlético. Estávamos a beira da segunda divisão, com um time perdido, com uma diretoria amadora, tudo errado.
Todos os domingos, eu ligava para meu pai e comentávamos, de como seria difícil, escapar da segunda divisão.
Meu pai, já previa a desgraça e desde a metade do campeonato, afirmava que seria o pior ano do Atlético, nos últimos 15 anos.
Dito e feito, caímos e me lembro como se fosse hoje, quando o juiz apitou o final do Atletiba, e liguei para meu pai.
Ele atendeu muito triste, com a voz chorosa e disse: "Filho, não deu". Eu fiquei impressionado com a tristeza dele.
Mesmo com todas as dificuldades de ser tetraplégico e sofrer com inúmeras dores, meu pai, sempre foi uma pessoa positiva e antes dele desligar o telefone, me falou: "Amigão, não fique triste, o pai aqui,  já passou muitas tristezas com o Atlético e não será essa, que vai nos derrubar. Ano que vem, nós vamos voltar para primeira divisão, e com certeza, vamos comemorar juntos".
Há 8 meses, meu paizão faleceu e infelizmente, não pude comemorar ao lado dele, nossa tão sonhada volta para primeira divisão.
Mas o dia de hoje, ficará marcado na minha vida, pois foi a primeira vez que meu filho, entrou em campo com o time do Atlético.
E, quando ele estava de mão dada com o artilheiro Marcelo, meu coração disparou, senti como nunca a presença do meu pai ao meu lado!!!
Certeza, que ele estava emocionado como eu e muito orgulhoso do nosso garotinho, seguir a tradição da família Cury.
PAIZÃO, HOJE COMEMORO COM VOCÊ NO CORAÇÃO E NO PENSAMENTO.
JUNTOS SEMPRE, MUITO OBRIGADO POR TER ME ENSINADO A SER ATLETICANO…

O ATLÉTICO NOS UNE - A UNIÃO NOS FORTALECE!!!

sábado, 24 de novembro de 2012


Atlético volta para a elite!!!

O Atlético empatou com o Paraná em 1 a 1 e garantiu o acesso para a Série A. O Furacão abriu o placar com Cléberson, levou o empate de Anderson e ainda teve um pênalti perdido por Marcelo, mas no final, a festa foi mesmo do Furacão.
Jogo quente na primeira etapa dá vitória parcial ao Atlético
O jogo iniciou com um clima pesado. Os jogadores das duas equipes se desentendiam dentro do gramado do Eco Estádio e a partida era recheada de faltas.
As melhores chances foram do Atlético, que teve mais de 10 escanteios durante toda a primeira etapa. Marcão e Elias tiveram boas chances antes dos 20 minutos. Na primeira oportunidade, Marcelo fez jogada e tocou para Elias que tocou por cima do gol, prensado com o zagueiro.
Na segunda melhor chance do jogo, novamente o atacante Marcelo fez uma bela jogada pela direita e cruzou para Marcão, sozinho, bater para o gol, mas parou em uma ótima defesa de Luís Carlos.
Quando o Paraná estava começando a crescer dentro de campo, levou o castigo. Em escanteio cobrado por Elias, o zagueiro Manoel desviou de cabeça, a bola bateu no zagueiro do Tricolor, Alex Bruno, e sobrou para Cléberson, completar para o fundo das redes e fazer a festa da torcida Rubro-Negra na primeira etapa.
Paraná empata mas o Furacão garante vaga na Série A
O Paraná voltou com toda a força para o segundo tempo e chegou ao gol logo nos primeiros minutos. Aos 8, depois de cruzamento, o zagueiro Anderson antecipou a zaga e meteu para dentro do gol.
Depois disso, foi uma grande pressão do Paraná, buscando o gol que tiraria o rival Furacão da Série A do Campeonato Brasileiro. O Tricolor teve várias chances e inclusive, o zagueiro Cleberson tirou uma bola em cima da linha.
O Atlético, em um contra-ataque, teve um pênalti ao seu favor. Na cobrança, o atacante Marcelo bateu forte, alto e a bola explidou no travessão de Luís Carlos, perdendo a chance de não ficar no sofrimento até o final.
No final da partida, com o resultado de 1 a 1, o Furacão garantiu o acesso para a primeira divisão do Campeonato Brasileiro, em terceiro colocado com 71 pontos.
FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO X PARANÁ
Local: Estádio Janguito Malucelli, em Curitiba (PR).
Data: 24 de novembro de 2012, sábado.
Horário: 16h20.
Árbitro: Edivaldo Elias da Silva (PR).
Assistentes: Luís Carlos Bom (PR) e Luiz Souza Santos Renesto (PR).
Atlético: Weverton; Maranhão, Manoel, Cleberson e Pedro Botelho; Deivid, João Paulo, Henrique (Zezinho) e Elias (Paulo Baier); Marcelo e Marcão.
Técnico: Ricardo Drubscky.
Paraná: Luís Carlos; Paulo Henrique (Ângelo), Anderson, Alex Bruno e Alex Alves; Ricardo Conceição, Cambará (Wellington), Douglas Packer e Lúcio Flávio; Luisinho e Wellington Silva Silva (Arthur).
Técnico: Toninho Cecílio.
Cartões amarelos: Deivid, Elias, Marcão e Pedro Botelho (CAP); Alex Alves, Ângelo e Lúcio Flávio (PRC).
Cartões vermelhos: Pedro Botelho (CAP).
Gols: Cléberson (CAP), aos 31 minutos do primeiro tempo. Anderson (PRC), aos 8 minutos do segundo tempo.

JÁ ESTOU NO ESTACIONAMENTO DO PARQUE!!!

Achei melhor chegar antes, pra não correr o risco de não entrar no jogo!!! kkkk

Chegou o dia!!!

Hoje, é o tão espero dia, de um ano difícil, com inúmeras dificuldades, sem estádio, jogando em Paranaguá, enfim, hoje, soltaremos o grito da garganta, na emoção cantando: ÔÔÔ O FURACÃO VOLTOU….
Daqui a pouco, o Atlético entra em campo, para enfrentar o Paraná Clube, pela última partida, da segunda divisão.
Jogo duro, afinal o Paraná não quer ver seu rival subindo.
A bola rola às 16h20m (horário de Brasília), no estádio Janguito Malucelli.
O Furacão vai pra decisão com: Weverton; Maranhão, Manoel, Cleberson e Pedro Botelho; Deivid, João Paulo, Henrique e Elias; Marcelo e Marcão.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Cleberson volta ao time

O zagueiro Cléberson, que cumpriu suspensão automática na última rodada, volta ao time do Atlético no clássico contra o Paraná no próximo sábado, às 16h20min, no Janguito Malucelli. O jogador treinou normalmente, no CT do Caju, e volta a formar a dupla defensiva ao lado de Manoel.

A meio passo do paraíso. Por Diogo Rodrigues Manassés

Falta muito pouco para o paraíso da elite. Basta empatar com um time semi-amador. Mas isso seria pouco: a vitória é exigível, ainda mais considerando o adversário. Evidentemente, nem sempre a lógica se consuma no futebol (e a lógica é vitória rubro-negra), mas não vencer seria decepcionante. Não pontuar, ridículo. Mas acredito em boa vitória, vitória para lavar a alma, garantir o acesso (quem sabe até uma posição melhor no G-4) e, quem sabe, humilhar novamente o “rival” (como naquele inesquecível e recente 5x1) no “clássico” (não considero clássico). Não custa lembrar: apoiar os jogadores também será nossa função. Com isso, a festa é praticamente certa.
Mudando de assunto, é lamentável a campanha do jornal Gazeta do Povo contra o Clube Atlético Paranaense, tanto no futebol quanto (principalmente) nas questões referentes à Copa de 2014. O jornal tem bons jornalistas e cadernos qualificados, ressalte-se. Mas o caderno esportivo, salvo raríssimas exceções, é odioso. Desrespeita ao máximo o torcedor atleticano. Também não merece o nosso respeito.
De todo modo, a fala do presidente Mário Celso Petraglia na CPI da Copa foi altamente elogiável. Entrou com desconfiança, mas, com pleno domínio da matéria e com argumentação infalível, saiu aplaudido. É por essas e outras que não me arrependo de tê-lo apoiado na campanha. Talvez eu seja mais um ingênuo, mas não duvido do grandioso título prometido em 10 anos. SRN.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Enfim, o último confronto. Por Camila Lopes F. Provenzano

Chegamos à última batalha, ao jogo da vida, aos 90 minutos que nos levam de volta à elite do futebol brasileiro.
Confesso que demorei a semana toda tentando me recuperar do balde de água fria que levamos em Criciúma. Não era o que tínhamos imaginado quando saímos as 2:30 da manhã de sábado rumo à terra do carvão.
Tampouco era o que queríamos ao ver a torcida rubro negra invadindo mais um espaço liberado das arquibancadas do Heriberto Hülse.
Dessa vez nem a foto do vô, nem o halls, nem os anéis, nem a camisa da sorte... nada!
Vamos decidir com o Paraná, no último jogo...  E desde quando as coisas pra Atleticano são fáceis? Até apara habilitar o smart, para estar lá gritando e empurrando o time, tivemos que sofrer. Ou quebrando o dedo no F5 ou tomando sol no cocoruto na fila do Espaço Sócio Furacão.
E daí... qualquer esforço é válido. Se até o presidente foi de carro pra Criciúma e desfilou por entre os torcedores e assistiu o jogo da arquibancada, porque que nós vamos reclamar?
Taí a cena que marcou e que me fez pensar que nada é por acaso... consegui ler nos lábios do Petraglia: “ Nós vamos subir”.
E a sensação esquisita que me perseguiu se dissipou, e como um passe de mágica a fé e a força do Furacão me encheram de orgulho em ver que, mais uma vez, essa torcida está fazendo a diferença.
Como disse dona Clair, mãe de uma amigona minha: “ Gostaria muito que os jogadores vissem de perto, todo esforço que vocês fazem para estar apoiando esse time”. Pois é, se eles não podem ver um a um, que vejam a torcida lá no Janguitão. E que todas as energias rubro negras concentradas em qualquer parte da cidade sejam mandadas para os nossos nobres lutadores em campo.

Avante Furacão! Chegou a hora!
Camila Lopes F. Provenzano, Esp.
Fisiologista do Exercício
CooperPT Mentorship Graduate
CREF 010989G/Pr

       

Henrique deve ser titular na partida contra o Paraná Clube

Precisando de um empate para subir para a elite do futebol brasileiro, o Atlético terá o desfalque do meia Felipe, titular nos últimos dois jogos, e o técnico Ricardo Drubscky deve promover a volta do meia Henrique.  O jogador que foi titular na maior parte da Série B recebeu algumas críticas e acabou sendo tirado do time para a entrada de Felipe, que levou o terceiro cartão amarelo e terá de cumprir a suspensão automática.   Além de Henrique, o goleio Weverton e o zagueiro Cleberson, que cumpriram a suspensão automática no último jogo, devem ser titular do Furacão para o clássico contra o Paraná, no sábado (24).

Ou vai ou racha! Por Célio

Galera rubro-negra, Fanaticanos e irmãos em geral, chegamos ao ápice da competição...  Agora ou vai ou racha! Estivemos em grande número, em duas difíceis batalhas longe daqui. Em são Caetano do Sul na bela vitória da equipe do Furacão e também no bom empate com a equipe do Criciúma... resultados estes muito importantes que nos credenciaram à continuar sonhando e brigando pelo acesso. A próxima partida também não será diferente...se trata de outra final, com certeza a mais importante pois independente do resultado temos uma chance enorme para o acesso...porém neste caso temos que torcer por um insucesso da equipe do São Caetano frente à equipe do Guarani. Será uma partida interessante pois uma equipe brigando para subir e a outra lutando para não ser rebaixada à série C. Mas independente desse resultado TODOS queremos que o Furacão feche com chave de ouro essa passagem pela série B. Uma vitória frente à equipe do Paraná nos facilitará muito o acesso e nos livra de depender de resultados. Qualquer outro resultado pode ser válido desde que a equipe do São Caetano não consiga vencer...Preferimos toda vida que a equipe consiga nos brindar comais uma vitória afinal a sua torcida apaixonada jamais deixou de apoiar incondicionalmente aonde o time estivesse...TODOS merecemos que os jogadores façam este último, o mais importante de suas vidas e que se necessário suem sangue para fazer com que o Furacão vença e satisfaça sua enorme torcida com o acesso à série A. Equipe completa e infelizmente estaremos em número menor  nesta partida visto que nossa federação é frouxa e permite que não tenhamos apoio para jogar num estádio maior do que o que nos foi emprestado...Isso prejudicará o espetáculo, diminuirá a renda para as equipes porém não vai ofuscar  o brilho se conseguirmos novamente o acesso...e Vamos Furacãooo! SRN. À todos...

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Furacão aprimora as finalizações para buscar o acesso!

O Atlético-PR tem o terceiro melhor ataque da Série B do Campeonato Brasileiro. O Furacão soma 64 gols em 37 partidas - fica atrás apenas do vice-líder Criciúma (77 gols) e do líder Goiás (73). Apesar dos números, o grupo trabalha para aprimorar a pontaria.   No treinamento da manhã desta terça-feira, no CT do Caju, os jogadores chutavam a gol em velocidade, com a bola em movimento. Depois, o grupo - dividido em três equipes - tentava fazer os gols, em atividade em campo reduzido.   O volante Cleberson, em recuperação de dores na coxa, ainda faz um trabalho específico na academia do CT. Ele é dúvida para a decisão contra o Paraná Clube, pela 38ª rodada da competição. O meia Felipe, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, fica fora do duelo no Ecoestádio Janguito. Já o lateral-esquerdo Wellington Saci, poupado do treinamento de segunda-feira, está recuperado. O goleiro Weverton volta de suspensão e reassume a camisa 1.   Com as alterações e duas dúvidas, o provável Furacão tem Weverton; Maranhão, Manoel, Cleberson (Luiz Alberto) e Pedro Botelho; Deivid, João Paulo, Henrique (Paulo Baier) e Elias; Marcelo e Marcão.    Ricardo Drubscky comanda mais quatro treinos na semana: em dois períodos na quarta-feira e um na tarde de quinta-feira, no CT do Caju, e outro na manhã de sexta-feira, já no local da partida. O jogo está marcado para 16h20m (horário de Brasília) de sábado, no Janguito.

Arbitragem


A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definiu nesta segunda-feira (19) o trio de arbitragem para a partida entre Atlético x Paraná, marcada para sábado, às 16h20, no Janguito Malucelli.
O árbitro responsável será Edivaldo Elias da Silva, que apitou também o duelo entre as equipes paranaenses no 1º turno. Ele será auxiliado por Roberto Braatz e Luiz Souza Santos Renesto.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012


O que falta pra subir ?

Agora a conta é simples e básica. Falta apenas uma rodada para o fim da Série B do Campeonato Brasileiro e não adianta mais viajar na matemática. Embora um empate garanta sem depender de outros resultados o acesso, o Atlético pode até ser goleado pelo Paraná Clube no próximo sábado, na última rodada do certame, que estará garantido na Série A em 2013.
Para isso, basta o São Caetano não vencer o Guarani fora de casa, em partida disputa no Brinco de Ouro da Princesa. Ainda, no caso de vitória do Azulão, se o Vitória perder para o Ceará, na Bahia, o Furacão também se garante na elite mesmo sendo goleado, neste caso, se a diferença para o Paraná não passar de 16 gols.

domingo, 18 de novembro de 2012

Estamos voltando Por Aline

Somente empatamos ontem, contra o Criciúma, mais agora está em nossas mãos o acesso. Espero, sinceramente, que essa seja minha última coluna com o Atlético na série B, pois o sofrimento foi grande, mais está chegando ao fim. No próximo sábado podemos voltar para nosso lugar: a elite!
Aos jogadores fica o meu pedido para entrar sem salto alto, pois jogaremos contra o paranázinho, mais não podemos entrar em campo achando que o jogo está ganho. O jogo é jogado onze contra onze, e é preciso dar o melhor de si, para cravar o nome na lindissima história do Atlético Paranaense. Sem nervosismo, vocês são capazes. O estádio estará lotado, usem isso à nosso favor. Lembrem-se que os corações atleticanos sentirão que essa semana demorará uma vida para passar. Todos nós estamos na mesma expectativa. Façam valer à pena todo nosso incentivo.
Eu prometi sofrer menos esse ano, prometi que iria levar 'de boa' esse campeonato, e até tentei. Mais chega uma hora que o sangue forte fala mais alto. Chega uma hora que o coração atleticano bate mais rápido que o normal e contamos os segundos para a volta. Me lembro bem daquela última semana que antecedeu o último jogo (que decretou nossa queda) e só eu e Deus sabemos o quanto foi dificil. Agora, vendo o meu Furacão a um passo do paraíso, não consigo conter a ansiedade.
E que passe rápido, que a tarde de 24 de novembro de 2012 seja mágica. Nos vemos no Janguito, nação atleticana!


sábado, 17 de novembro de 2012

Invasão em Criciúma



Linda festa da torcida atleticana, 
que mostrou mais uma vez, 
que é a maior do estado do Paraná.

Furacão empata e fica tudo pra última rodada

O Atlético segurou um empate contra o Criciúma dentro do Heriberto Hülse e ficou a um empate para voltar a Série A do Brasileirão. Com o resultado, a equipe do Tigre garantiu o acesso para a elite. O jogo acabou no 0 a 0.
Primeiro tempo equilibrado
As duas torcidas estavam presentes dentro do estádio Heriberto Hülse para assistir o jogo que poderia até dar a classificação para as duas equipes para a Série A do Brasileirão.
O primeiro a chegar foi o time da casa. Depois de cobrança de falta, o meia Kléber em posição de impedimento tocou de cabeça, a bola ainda sobrou para o zagueiro Matheus Ferraz, que também em poisção irregular, empurrou para dentro do gol, mas o bandeira levantou o instrumento.
Apesar do susto, o Furacão foi pouco melhor que o Tigre dentro de campo na primeira etapa, mesmo sem ter muitos ataques agudos que levassem perigo ao gol de Michel Alves.
Torcidas só comemoram o gol do Goiás
O Furacão voltou com tudo para ir atrás da vitória, tentando se aproveitar do empate que estava dando na partida entre São Caetano e Goiás, no interior paulista.
O grande problema foi que o Azulão abiru o placar contra o Goiás e deixou o Atlético em alerta. Mas não demorou muito para as duas torcidas vibrarem dentro do Heriberto Hülse, pois o Goiás conseguiu o empate poucous minutos depois.
Com o resultado de 0 a 0, o Furacão permaneceu na terceira colocação com 70 pontos, dois de diferença do São Caetano, enquanto o Criciúma garantia a subida para a elite do futebol brasileiro.
No próximo sábado (24), o Furacão terá o clássico contra o Paraná dentro do EcoEstádio e precisa apenas de um empate para garantir vaga na Série A do Campeonato Brasileiro. 
FICHA TÉCNICA
CRICIÚMA 0 X 0 ATLÉTICO
Local: Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma (SC).
Data: 17 de novembro de 2012, sábado.
Horário: 16h20.
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS).
Assistentes: José Javel Silveira (RS) e Rafael da Silva Alves (RS).

Criciúma: Michel Alves; Éric, Matheus Ferraz, Ozéia e Marlon; França, Fransérgio (Elias), Válber (Gilmar) e Kléber; Lins (Douglas) e Zé Carlos.
Técnico: Paulo Comelli.
Atlético: Santos; Maranhão, Manoel, Luiz Alberto e Pedro Botelho; Deivid, João Paulo, Felipe (Henrique) e Elias (Paulo Baier); Marcelo e Marcão.
Técnico: Ricardo Drubscky.
Cartões amarelos: Felipe e Luiz Alberto (CAP).

Criciúma x Furacão. É hoje!


Hoje o rubro-negro, entra em campo, para o maior desafio dessa segundo divisão. A partida é contra o Criciúma e com uma vitória, o Atlético pode voltar, com uma vaga assegurada para primeira divisão em 2013.
A torcida atleticana, estará presente, com mais de 1500 pessoas… mais de 265 ônibus, centenas de carros, avião, enfim… vamos invadir Criciúma!
A bola rola hoje (17), às 16h20 e a provável escalação do Atlético deve ser: Santos; Maranhão, Manoel, Luiz Alberto e Pedro Botelho; Deivid, João Paulo, Felipe e Elias; Marcelo e Marcão.
A partida terá transmissão pela Band e RPC para todo o estado do Paraná.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

É amanhã...

Arbitragem


A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definiu nesta terça-feira (13) o trio de arbitragem para a partida entre Criciúma x Atlético. O duelo está marcado para o próximo sábado, em Santa Catarina.
O escolhido foi o árbitro gaúcho Márcio Chagas da Silva. Ele será auxiliado por Carlos Henrique Selbach e Rafael da Silva Alves, também do Rio Grande do Sul.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Agita povão, agora é decisão! Por Célio

Galera rubro-negra, estamos quase conseguindo o tão desejado acesso à série A, de onde jamais deveríamos ter saído! A matemática é básica para conseguirmos... vencer e vencer para não dependermos de outros resultados.  São as duas últimas partidas do campeonato, a primeira agora sábado, frente à equipe do Criciúma. A segunda será contra a equipe do Paraná Clube, porém com mando de jogo nosso! Na primeira partida teremos um adversário direto na luta pelo acesso, na segunda teremos uma partida contra uma equipe “água de vina” que já não tem pretensões nesta competição, contudo um jogo extremamente complicado por ter motivação de clássico. Em ambas as partidas teremos que juntamente com os jogadores “suar sangue” e darmos o nosso melhor...Nós Fanaticanos incentivando o tempo todo, cantando sem parar para que a equipe corresponda e possa nos encher de alegria como retorno à série A. Confiamos em Drubscky e seus comandados para nos dar essa alegria. Mesmo com algumas alterações na equipe, podemos confiar que os jogadores farão a cada partida a melhor de suas vidas. Estaremos vários Fanaticanos  num mesmo objetivo promovendo uma invasão rubro-negra à cidade de Criciúma. A viagem é longa, cansativa...mas...”Atleticano não te medo de nadaaa”!  Vamos com tudo empurrar o Furacão para mais uma vitória e se o nosso bom DEUS permitir...que consigamos o acesso na próxima rodada!
SRN. À todos e até sábado lá em Criciúma e em breve na série A!

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Obras no Caldeirão.

As obras na Baixada, estão cada dia mais adiantadas. Para delírio da nação atleticana e nervosismo dos coxas, que a cada dia, tentam uma solução, para tentar interditar, o nascimento do estádio da Copa do Mundo de 2014.

Com a camisa do CAP da Philco, nosso colunista Diogo Rodrigues Manassés





Parabéns Milano

Bruno Milano...
Que Deus ilumine seu caminho e você continue
 este grande guerreiro, persistente e batalhador, 
que corre atrás de seus sonhos e os torna objetivos a serem alcançados!!! 
Saúde, paz e sucesso sempre!!!

domingo, 11 de novembro de 2012

Pode ser na próxima rodada por Aline

A vitória contra o Asa, na sexta feira colocou o Furacão em uma confortável posição. Se vencer o Criciúma na próxima rodada e o São Caetano perder para o Goiás, garantimos o acesso já no sábado que vem. Portanto, é preciso segurar a empolgação, pois até um empate é bom resultado lá.
Contamos com a volta de Deivid e Manoel, e vamos de Santos no gol. De resto, o time deve ser o mesmo. O Furacão vem trazendo bastante pontos de fora de casa e essa pode ser a oportunidade perfeita para garantir nosso objetivo do ano.
É necessário ter muita garra, força de vontade e muita atenção para vencer o Criciúma e no jogo contra o Paraná, apenas definir a posição a qual terminaremos o campeonato. Pouco importa título, pouco importa se subiremos primeiro, segundo, terceiro ou quarto colocado. O que importa é voltarmos às nossas origens, voltarmos para a primeira divisão.
Que um Furacão passe por Criciúma e torne o dia 17 de novembro inesquecível para todos nós, atleticanos!

Saudações Rubro Negras!

Vamos subir Furacão!


sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Atlético vence no sufoco

O Atlético Paranaense passou um sufoco desnecessário após abrir três gols de vantagem diante do ASA, em Arapiraca, mas a vitória por 3 a 2 manteve a equipe rubro-negra do G4 da Série B do Campeonato Brasileiro. O atacante Marcelo, que abriu a contagem, mais do que a queda de produção, admitida por todos aos final dos 90 minutos, lamentou ter saído no intervalo por lesão.
“Saí para não piorar, estava doendo um pouco”, explicou o jogador, que reclamou das condições do gramado. “Infelizmente a gente tem que passar por isso. E até por isso a gente tem que subir para não passar por essa situação. A primeira divisão é outra coisa e o Atlético não é clube de segunda. Não pode jogar num campo horrível desse. Agora e ter tranquilidade, trabalhar firme, para conseguir subir”, emendou.
Mais uma vez titular, aproveitando  a suspensão de Manoel, o experiente zagueiro Luiz Alberto alertou o grupo para ser mais inteligente após construir um placar elástico, evitando surpresas desagradáveis ao final das partidas. “Às vezes na partida a gente precisa ser mais malandro em campo e não precisava passar pelo sufoco pelo qual a gente passou”, avaliou.
Autor de um dos gols atleticanos, o atacante Marcão também lamentou o vacilo na etapa final, mas exaltou os importantes três pontos conquistados fora de casa. “A gente entrou forte para tentar fazer os gols no começo jogo, mas vacilamos ali atrás e tomamos os gols. Teve o cansaço, mas, o importante é sair com a vitória. Estamos no caminho certo”, concluiu.

Arbitragem


A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definiu o trio de arbitragem para a partida entre ASA x Atlético. O duelo está marcado para hoje, às 21h50, em Arapiraca. 

O escolhido foi o árbitro paraense Dewson Freitas da Silva. Ele será auxiliado por Marco Aurélio Pessanha (RJ) e Marcio Gleidson Dias (PA). 

Sem dor, sem sabor. Por Diogo Rodrigues Manassés

Claro que esperávamos uma vitória retumbante diante do América natalino. Era a lógica. Mas ignoramos dois fatores. O primeiro é a álea do futebol, ou seja, a lógica nem sempre prevalece. O segundo é que, se fosse fácil, não seria o nosso Atlético.
O frustrante empate não foi de todo ruim – ignorando, evidentemente, o fator matemático que preocupa. Mostra que o campeonato ainda não acabou. Mostra que o time não é tão bom como muitos pensam. E que o acesso ainda não está garantido.
Não é preciso fazer “terra arrasada”. O fato de ganhar do Vitória e do São Caetano não faz do time um Barcelona. Nem os empates contra Guarani e América-RN o tornam um parana clube (digo desde já: a vitória contra esse freguês desprezível é a mais obrigatória do campeonato). É um time normal, razoavelmente bom para a série B. Carece de reforços para uma série A, no mínimo, tranquila. Não ganharia o Campeonato Paranaense. E o Drubscky? Todos sabem o que penso. Não tem condições de comandar um time na série A. No tempo certo, ele merece uma coluna só sobre ele.
Enfim, provavelmente o acesso só será confirmado na última rodada. O importante é subir, não é mesmo? SRN.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012


E assim, vai ficar o teto da Baixada

Sofrido,Furacão,mas vai dar certo! Por Célio

Galera rubro-negra, imaginávamos  algo bem diferente após a partida de sábado em São Caetano!  Lá vimos um time aguerrido que jogou futebol com propriedade e soube respeitar e valorizar nós fanaticanos que lá estavam presentes...infelizmente na partida dessa terça-feira foi bem ao contrário. Um time sonolento e  descompromissado estava em campo, o que acabou tirando do sério boa parte dos 5300 atleticanos presentes em plena terça à  tarde. Até saímos ganhando, porém a equipe não teve competência para  segurar a vantagem no placar e acabou cedendo o empate à equipe mineira! Não foi de tudo ruim, porém foi um empate com um péssimo gosto de derrota, visto que se ganhássemos estaríamos mais tranquilos para os jogos seguintes. Nossa vantagem para a equipe do São Caetano que era boa, agora é de somente 2 pontos. Ainda dependemos  de nós mesmos para o acesso, o que nos obriga à uma vitória sobre a equipe do ASA em seus domínios.  Assim não correremos o risco de ser superados pela equipe do São Caetano...Pior de tudo é que ainda temos outras duas partidas dificílimas...contra a equipe do Criciúma, lá em SC e a última contra a equipe do Paraná Clube que com certeza não irá fazer por onde aliviar! Realmente o empate de terça acabou  bem indigesto. Precisamos continuar apoiando incondicionalmente, como estamos fazendo que em breve conseguiremos fazer a equipe alcançar o objetivo  principal...a volta à série A. Drubscky  tem alguns desfalques para montar a equipe mas confiamos que os suplentes das posições entrarão com disposição e determinação para ajudar o Atlético em mais esta batalha! SRN.à todos e vamos Furacãoooo!

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Falta de respeito. Atlético, só empata com o América/RN

Numa tarde que tinha tudo pra ser positiva,  acabou se tornando trágica para o Atlético.
Jogando um péssimo futebol, o rubro-negro, em nada lembrou o Atlético, que venceu o São Caetano, no ultimo sábado.
Com inúmeros passes errados e falta de tranqüilidade imensa, nada seu certo e o Furacão ficou no empate de 1x1 com o fraco America.
Uma tremenda falta de respeito dos jogadores, que não lembraram, que mais 2500 torcedores, pegaram estrada, para apoiar o Furacão no último sábado.
Todos erraram, desde os jogadores até o treinador, que mais uma vez mexeu errado no time.
O JOGO:
Embalado pela vitória sobre o São Caetano, o Atlético entrou em campo forçando como sempre faz, porém, não tinha espaço pela forte marcação do América-RN, que atuava com três zagueiros.
Apesar de um bom domínio da posse de bola, quem criava as chances claras de gol era o Mecão. Tanto que em uma cobrança de escanteio, o atacante Michel subiu mais alto que todos e cabeceou no travessão de Weverton.
O Atlético chegou de verdade apenas aos 28 minutos e com a famosa objetividade que vem tendo na Série B. Em contra-ataque, Marcelo foi derrubado na área e na cobrança de pênalti, Elias deslocou o goleiro e fez o único gol da primeira etapa.
Atlético dá bobeira e sofre empate
O Furacão voltou para o segundo tempo com o mesmo time que havia terminado o primeiro tempo. O Atlético já tinha feito uma substituição pela lesão do lateral-esquerdo Pedro Botelho.
Com chances de ampliar o placar, o Rubro-Negro começou a perder chances e duas foram bem claras. A primeira, em cobrança de escanteio, Cleberson tocou na trave. E depois disso, Elias, sozinho, acabou sendo fominha e bateu por cima.
Após perder as chances de ampliar o placar, o Furacão foi castigado pelo América. Em boa jogada de Thiago Galhardo, o meia deixou o atacante Pingo na cara do gol, que só tocou para dentro e comemorou o empate conquistado em Curitiba.
Com o resultado, o Atlético subiu para a 3ª colocação da Série B, mas ainda não sabe o resultado do jogo do Vitória, que pode novamente passar, mas o Furacão não tem como sair do G4. Na próxima sexta-feira (09), o Atlético enfrenta o ASA, fora de casa.

Furacão recebe o América/RN, hoje no Janguito

Torcida empolgada, time afiado. Esse é o clima para partida de logo mais, contra o América às 16h (horário de Brasília) desta terça-feira, no Ecoestádio Janguito, pela 35ª rodada da Série B.
O Rubro-Negro é o quarto colocado, com 65 pontos, e o Mecão ocupa o oitavo lugar, com 51. Os times duelam às 16h (horário de Brasília) desta terça-feira, no Ecoestádio Janguito, pela 35ª rodada da Série B.
No Rubro-Negro, o foco é apenas no acesso, e terminar no G-4 é considerado um título pelos jogadores. O time, porém, pode terminar a rodada na vice-liderança. Além de vencer, ele depende de tropeço do Vitória (que recebe o América-MG) e derrota do Criciúma (que encara o São Caetano em casa). Com a combinação, o Furacão ficaria atrás apenas do Goiás.
Para o duelo, o Furacão tem força máxima: Weverton; Maranhão, Manoel, Cleberson (Luiz Alberto) e Pedro Botelho; Deivid, João Paulo, Henrique e Elias; Marcelo e Marcão.
Força Atlético, falta pouco, para voltarmos para primeira divisão!!!

Ataque afinado

A dupla de ataque rubro-negra. Marcão e Marcelo, decisivos na vitória por 3 a 1 sobre o São Caetano, são os artilheiros da equipe na Série B. O camisa 9 tem 11 gols. O companheiro dele, 15 gols. Juntos, portanto, eles são responsáveis por 26 dos 60 gols rubro-negros na Série B do Campeonato Brasileiro.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Arbitragem


A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definiu nesta segunda-feira (05) o trio de arbitragem para a partida entre Atlético América-RN. O duelo está marcado para amanhã, às 16h, no Janguito Malucelli.
O escolhido foi o árbitro carioca Wagner do Nascimento Magalhães. Ele será auxiliado por João Patrício de Araújo e Ramires Santos Cândido.

Chega de falar besteiras!

Esse, não é bem vindo pela nação atleticana
Boatos dão conta que este sujeito da foto, leviano, doudivanas, despreparado, sem caráter, pseudo comentarista, que trabalha numa radio tendenciosa esta mudando de cidade, talvez até de país... pela vergonha de ter afirmado na SEXTA RODADA que Clube Atlético Paranaense não subiria. Esse é o Chefe dos "Aírtons", mas com ele, deveriam ter mais respeito pelo Clube, outros fantoches dele, como o outr
o " Aírton Jairo Jr " que durante o ano todo se referiu ao Atlético e a Nação Rubro Negra com desdém, sarros, piadinhas e críticas infundadas, com total despreparo para exercer a função, o mais estranho de tudo isso é que tem um mestre da arte em casa. Outro e talvez o pior de todos, é o "Aírton Rafael Porto" , mistura de aprendiz de radialista com comediante de zona, que afirmou que o Clube Atlético Paranaense é "time pequeno" , grande mesmo deve ser o seu Joinville, Fanfarrão, Falador. A todos vocês citados aqui, o meu eterno desprezo, meu eterno repúdio, vocês usam o seu veículo de comunicação com muita imprudência e despreparo profissional, torcem descaradamente com o microfone ligado. O que vocês fazem é o mesmo que dirigir alcoolizado.. O MAIS VERGONHOSO DE TUDO ISSO, é saber que estão “comemorando” o nosso acesso, falando bem do Clube e da torcida, como se nada tivesse acontecido e como sempre tivessem feito. Saibam os senhores, que o CLUBE ATLÉTICO PARANAENSE é muito maior que TODOS vocês juntos ! Esse é o desabafo de um grande torcedor atleticano !
PS. Se você é coxa e gosta de dar uma de bom samaritano e ser o dono da verdade, respeite o espaço e não escreva aqui nesse post, a sua função é continuar escutando eles, pois vocês estarão na rádio certa. (ponto)

"Torcida fantástica, excepcional. Em todos clubes que passei, não vi nada igual". Paulo Baier
"Nunca viu uma torcida assim"!!! Joao Paulo guerreiro

O Confronto quase final. Por Camila Lopes F. Provenzano

Mulheres atleticanas...
O ano de 2012 de longe foi um ano fácil. Muito pelo contrário, serviu para que os Atleticanos provassem o gosto amargo da série B depois de tantos anos desfrutando da elite do futebol.
Jogar longe da nossa casa, com um itinerário sem lugar fixo, foi a prova de que torcedor apaixonado se submete às maiores loucuras pra apoiar seu time.
Talvez tenha sido também a melhor forma de aprendermos muitas lições. Na hora do futebol verdade não importa política, mas a união de todos os torcedores.
E a quatro rodadas para findar o campeonato, estamos com a chance matemática, e eu diria, com a faca e o queijo na mão para retornarmos ao lugar do qual nem deveríamos ter saído.
TIME GRANDE NÃO CAI; por muitas vezes foi nosso jargão.  Mas retificando a frase: Time grande cai, e mostra sua grandeza quando cai e quando está na dificuldade.
Prova disso foi o que vivi esse sábado no Anacleto Campanella, o palco da maior conquista que tivemos...
Desde que engrenamos, a idéia de estar lá apoiando o Furacão não me saía da cabeça.
Confesso que tentei tirar isso da cabeça, mas a paixão foi maior. Era praticamente reviver a final de 2001 no mesmo lugar. Principalmente porque não pude estar lá naquele dia tão feliz.
Com o ônibus reservado, o ingresso em mãos, comecei a viver a ansiedade da chegada do dia 3 de novembro.
Na hora de embarcar, ao arrumar minhas coisas, corri e coloquei uma foto do meu avô junto do ingresso. Sim, ele tinha que estar junto. Afinal, toda essa paixão é por causa dele. Ver aquela quantidade de ônibus saindo de Curitiba em direção à São Caetano me emocionou.
Ao chegar em São Caetano e ver as ruas tomadas de vermelho e preto me deu um nó na garganta. Como a nossa torcida é linda, como fazemos a diferença.
E quando nem imaginávamos, veio o primeiro gol, assim, logo no início do primeiro tempo. Foi demais para mim. E eu que tinha até então segurado as lágrimas, deixei que elas escorressem inveteradamente. Sim, como diriam minhas companheiras de jogo: QUE MOMENTO!
Todos os amuletos naquela hora foram beijados e lembrados. Do anelzinho que ganhamos do tio que vende bandeira na frente da Arena, até o halls vermelho que protege nossas cordas vocais.
E no fim do jogo, quando a vitória era nossa, ver o Maestro Paulo Baier vindo em direção à nossa torcida, João Paulo pendurado no alambrado vibrando com a galera, e a cara de satisfação do Petraglia, por ver que a torcida acredita no time e acredita no que ele se pôs à fazer, novamente as lágrimas escorreram. Fiz parte dessa história. Fiz parte dessa emoção. Agora é fazer a lição de casa, correr pro abraço e se dedicar à série A.
Eu te amo Furacão, Eu te amo!!!


--
        Camila Lopes F. Provenzano, Esp.
               Fisiologista do Exercício
          CooperPT Mentorship Graduate

Time completo para o jogo de amanhã.

Folga? Isso, não passa pela cabeça do treinador atleticano Ricardo Drubscky. Depois de detonar o São Caetano, no sábado, o time já se concentrou e fez trabalhos regenerativos no domingo. Os jogadores, fizeram treinamentos de alongamento, musculação e também participaram de atividades na piscina de gelo.
Hoje o treinador começa a montar o time, para a partida de amanhã, contra o América /RN.
Com 5 pontos de diferença para o primeiro colocado, Drubscky não pensa em título, apenas na volta à elite do Campeonato Brasileiro. "Eu deixo quem quiser pensar no título mas na porta do vestiário para dentro, nós estamos pensando apenas na classificação. É uma trajetória muito difícil e está sendo bastante vitoriosa", contou o treinador.
O Furacão vai completo para o desafio de amanhã (terça-feira, 6) com o América.
A expectativa, é  de que o estádio, esteja lotado para a torcida, novamente, jogar junto com o time.