segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

A imagem da semana...

Entrosamento e comunicação.Por Elaine

Olá torcida mais linda do mundo! Como é bom começar a semana com vitória de nosso Furacão! Apesar de ainda existirem várias limitações, o time que jogou contra o Roma apresentou melhoras significativas em alguns aspectos. A equipe mostrou um maior entrosamento, o que não aconteceu nos primeiros jogos do Campeonato, mesmo mantendo a base do ano passado. A falta de vontade demonstrada contra o Operário deu lugar a um time mais animado, e mais ligado em campo, onde houve uma maior comunicação entre a equipe do que nos jogos passados. Me surpreendi positivamente com a atuação de Fransérgio, que demonstrou um bom toque de bola e realizou alguns bons passes (excluindo daí o lance do pênalti) . Sua entrada no time parece ter dado uma maior liberdade ao nosso maestro, o que resultou em maior número de chutes a gol e mais “volume” no nosso meio de campo. Marcos Pimentel pode ser o titular mesmo, e deu um passe açucarado ao Paulo Baier hoje, que desperdiçou a chance. João Carlos esteve bem mais seguro, e na maioria das vezes saiu do gol corretamente. A substituição de Mádson por Branquinho serviu pra mostrar que o baixinho realmente joga muito, pois a queda na qualidade técnica do time ficou visível. Enfim, acredito que o entrosamento tão necessário à nossa equipe virá bem antes do que no ano passado, e quero continuar sendo otimista. Podemos ainda ter a volta de Rodolpho (o que acho difícil, mas a esperança é a última que morre), que irá nos trazer uma segurança enorme. Estou ansiosa para ver nosso próximo jogo e como a equipe irá se comportar. Boa semana e SRN!

Bruno Mineiro é do Sport

Bruno Mineiro chegou no Atlético em 2009 , para ser o artilheiro que a torcida sonhava.
No começo, o jogador fez boas partidas, mas com o passar do tempo, seu rendimento foi caindo, até que no final do ano passado, a torcida não aguentava mais ver o jogador perder gols incríveis.
A diretoria atleticana não pensou duas vezes e acertou a transferência do jogador, para o Sport, por empréstimo de um ano.
Seu comandante será Geninho, o qual já trabalhou no Atlético.
Segundo a imprensa pernambucana, o Sport pagou cerca de R$ 300 mil ao Atlético para contar com Bruno Mineiro até o final do ano. Em 2009, o jogador custou R$ 600 mil aos cofres atleticanos.
A esperança é que ele volte a mostrar um bom futebol, para que em 2012 ele volte melhor ao Atlético.

Análise dos jogadores. Por Diogo Rodrigues Manassés

O Furacão goleou o Roma em seus domínios, com o placar de 4x2, gols de Paulo Baier (dois, ambos de pênalti), Madson e Lucas.

  • João Carlos: Melhorou. Não teve culpa nos gols que levou, ainda não foi impecável, mas houve uma melhora significativa. Foi bem mais seguro. NOTA: 6,5.
  • Rafael Santos: Foi muito bem. Correu bastante, ganhou todas as bolas, finalmente jogou o esperado. NOTA: 7,5.
  • Gabriel: Teve uma estreia ótima como titular. Ganhou todas as bolas, foi seguro, modesto, sem inventar nem complicar. Se este for seu nível, merece ser titular no lugar de Manoel. NOTA: 8,0.
  • Marcos Pimentel: Foi mal. Inconstante, merece mais uma chance, se for mal, Diniz merece a titularidade. NOTA: 3,0.
  • Paulinho: Muito mal ofensivamente, apesar da disposição. De resto, regular. NOTA: 5,0.
  • Alê: O pior em campo. Fez a sua pior partida com a camisa rubro-negra. É um dos queridinhos do treinador, não perde a titularidade, mas, felizmente, foi tirado do jogo, pois estava muito mal. NOTA: 2,0.
  • Fransérgio: Começou muito mal, até porque o companheiro de contenção estava ainda pior. Cresceu na partida, tentou finalizar e não foi ruim. Provavelmente adquiriu a posição, com uma sequência só irá melhorar. NOTA: 6,0.
  • Paulo Baier: Sem dúvida, o melhor em campo. É notoriamente um jogador diferenciado, divide bolas sem receio, corre o jogo inteiro, comanda o grupo, fez dois gols (o primeiro pênalti apitado por ele), deu um passe açucarado para o gol de Lucas... O Maestro é soberbo. NOTA: 9,0.
  • Madson: Muito aquém do que se espera dele, ainda. Não foi bem. Até correu e tentou, pela garra, foi coroado por um belo gol em (mais uma) assistência de Guerrón. Para quem veio com status de craque, está devendo, não pelo esforço, mas pelo futebol. NOTA: 6,5.
  • Guerrón: Como de costume, correria incessante e ótima assistência. Mas já fez partidas melhores. NOTA: 5,0.
  • Lucas: Pouco acionado, fez o gol e buscou o jogo. Veio para fazer gols, está fazendo. NOTA: 7,5.
  • Vitor: Entrou muito melhor que Fransérgio. Disposto, ajudou bastante Fransérgio. NOTA: 7,0.
  • Wescley: Sofreu o pênalti e mostrou vontade. Bom reserva. Jogou pouco para receber nota.
  • Branquinho: Jogou pouco para ser avaliado.
  • Sérgio Soares: Melhorou. Ainda está equivocado no posicionamento dos jogadores, mas houve um avanço enorme. Ainda assim, é preciso recordar que o adversário era fraquíssimo tecnicamente, além de não jogar com a mesma garra que outros (como o Arapongas). Vale dizer, o Furacão venceu pela qualidade técnica imensamente superior de seus jogadores ofensivos, mais pela técnica que pela tática. Digo mais: o primeiro pênalti inexistiu, excluindo-o, a partida poderia ser muito diferente (“efeito borboleta”). O time venceu e jogou melhor, mas ainda não convenceu. Hoje SS foi feliz pelo resultado e pelas substituições corretas, mas ainda não provou sua qualidade para um time como o Furacão. NOTA: 7,0.

domingo, 30 de janeiro de 2011

Confira os quatro gols atleticanos

Maestro desfalca o Atlético

O capitão Paulo Baier não enfrentará o Cascavel na próxima quarta-feira, às 22h00, no estádio Olímpico Regional.
Aos 29 minutos do segundo tempo Baier tomou seu terceiro cartão e está suspenso para o jogo contra o time do interior.

Mesmo com vitória, treinador é xingado

O Furacão venceu e teve total domínio do jogo contra o Roma, mas a torcida não levou em conta o resultado e criticou o treinador Sérgio Soares.
Gritos de BURRO e de QUEREMOS TREINADOR, era o que mais se ouvia ,nos minutos finais da partida.
Torcedores ao final do jogo, comentavam que Sérgio Soares, não serve para o Atlético e que sua demissão seria ótima para o time.
E você amigo leitor, concorda com a torcida? Opine!

Atlético faz quatro na Baixada


Derrotado pelo Operário na rodada passada, o Atlético se reabilitou na noite deste domingo ao derrotar o Roma por 4 a 2, em jogo disputado na Baixada e válido pela quinta rodada do Campeonato Estadual. Destaque para o veterano Paulo Baier, autor de dois gols.
O resultado positivo deixa a equipe na quarta colocação, com nove pontos ganhos, três a menos do que o ponteiro Cianorte. Já o Roma segue com sete pontos e fica em oitavo lugar.
A vitória começou a ser construída na primeira etapa. Eurico colocou a mão na bola na área, e o árbitro assinalou pênalti. Paulo Baier cobrou e inaugurou o marcador aos 17 minutos.
No retorno do intervalo, o Roma mostrou não ter sentido o golpe e, com apenas três minutos de bola rolando na segunda etapa, igualou o placar em Curitiba, com gol de Robenval, de cabeça.
Mas o Atlético seguiu em cima e, apoiado pela torcida, não só garantiu a vitória como construiu um resultado elástico. Madson, aos cinco, Lucas, aos 15, e novamente Paulo Baier, aos 25 minutos, ampliaram a vantagem. O Roma descontou com Roma, mas já nos minutos finais.

FICHA TÉCNICA: ATLÉTICO 4 x 2 ROMA


ATLÉTICO: 
João Carlos; Marcos Pimentel, Gabriel, Rafael Santos e Paulinho; Alê (Vitor), Fransérgio, Paulo Baier, Madson (Branquinho); Guerrón (wescley) e Lucas.
 Técnico: Sérgio Soares


ROMA
: Spada; Cassiano (Daniel Marques), Robenval, Juninho e Rogerinho; Eurico, Doriva, Alex (Fernandinho) e Lira; Warlley e Paulo Sérgio (Fábio).
 Técnico: Richard Malka
Data: 30/01/2011 (domingo)

Local: Baixada, em Curitiba

Árbitro: Anderson Carlos Gonçalves

Auxilares: Ivan Carlos Bohn e André Luiz Severo

Público: 8.223 pagantes
Renda: R$ 98.620

Cartões amarelos: Alê, Paulo Baier (Atlético); Rogerinho, Eurico, Spada (Operário)
Gols: Paulo Baier, aos 17 min do primeiro tempo. Robenval, aos 2 min; Madson, aos 4 min; Paulo Baier, aos 25 min e Lira, aos 43 min do segundo tempo

Atlético com treinador na corda bamba, encara o Roma na Baixada

Um time perdido, treinador na cobra bamba, torcida revoltada e triste… Esses são os ingredientes para o jogo de logo mais entre Atlético e Roma de Apucarana.
A bola rola as 19h30 e a Baixada é o palco para mais uma partida do certame estadual.
O Atlético aposta na força de sua torcida e no retrospecto para vencer o adversário. Em cinco partidas contra a equipe de Apucarana, o Furacão venceu todos os jogos, sendo quatro pelo Paranaense e um pela Copa 100 anos, organizada pela Federação Paranaense de Futebol.
Para a partida, o técnico Sergio Soares promoverá várias alterações em relação à equipe do último jogo. Expulsos, Manoel e Ivan González não jogam. O zagueiro Gabriel jogará pela primeira vez como titular na equipe. Fransérgio, que se destacou nos amistosos realizados na Tanzânia, treinou como titular durante a semana. Soares explica o porquê da preferência pelo volante:
“Busco uma estabilidade no setor (meio-campo), é um jogador com uma boa postura. O Fransérgio foi muito bem nos amistosos por isso vamos buscar uma oportunidade pra ele entrar”, afirmou.
Porém, Mádson que foi vetado pelo Departamento Médico por conta de uma amigdalite, voltou a treinar na manhã deste sábado e provavelmente aparecerá entre os titulares. Agora, Sérgio Soares possivelmente optará por deixar Mádson e Fransérgio no time titular e sacar Branquinho, que foi muito mal contra o Operário.

FICHA TÉCNICA:
Atlético: João Carlos; Marcos Pimentel, Gabriel, Rafael Santos e Paulinho; Alê, Fransérgio, Paulo Baier e Mádson; Guerrón e Lucas.Téc: Sérgio Soares
Roma: Spada; Cassiano, Juninho, Luís Paulo e Rogerinho; Eurico, Doriva, Alex e Lira; Warlley e Paulo Sérgio. Tec: Richard Malka
Data: 30/01/2011
Local: Baixada - Curitiba (PR) - 19h30
Árbitro: Anderson Carlos Gonçalves
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn e André Luiz Severo

E persistir no erro é burrice. Por Everton Furtado

Sempre escutei que errar é humano mas persistir no erro é burrice. Seria interessante se a diretoria conseguisse seguir essa filosofia, já que os erros vem acontecendo há tempos e por mais que se adquira consciência desses erros eles continuam a se repetir, fica algumas perguntas aqui aos apreciadores da gestão de investimento em chuteiras, nós investimos em quem? Se quiséssemos levantar um bom fundo de dinheiro, quem nós venderíamos hoje? Nós não temos mais jogadores que podem ser referência, nos tornamos um time dependente de empréstimos de outros clubes, a oficina CAP serve apenas para consertar jogadores de outros clubes, não temos mais peças de reposição, não estou querendo defender a gestão petraglia, a era dele já passou, mas que o legado inteiro construido por ele foi jogado no lixo e substituído por nada isso foi, definitivamente o trabalho inteiro de quase uma década foi trocado por falsas promessas, se analisarmos, a escolha dos nossos jogadores é feita da mesma forma, simplesmente apostas, nunca algo concreto, enquanto enxergamos outros clubes fazerem tudo certinho, vemos angustiados o nosso sendo feito de qualquer maneira, "tragam o primeiro que lhe mostrarem" devem dizer assim na hora de escolher quem contratar. Como disse não quero analisar quem é melhor que quem, até porque isso não interessa, o que rola nos bastidores é assunto interno e o que nos sobra é o time, as cores rubro-negras, a qualidade da equipe, se um ganha mais que outro, se o outro veio do Chile ou da Patagonia isso não importa, o que importa é o time em si, e isso, juntamente de nossa alegria eles estão conseguindo estragar. Boa sorte hoje rubro-negro você vai precisar.

sábado, 29 de janeiro de 2011

A derrota pode ter um gosto de vitória. Por Cadu

Cadê o Furacão de 2011? Essa pergunta, é feita todos os dias pela torcida atleticana e pra piorar tudo, não se tem uma resposta concreta.
O início do ano é medíocre, com um time perdido, com jogadores atuando fora de suas posições e com um treinador na corda bamba.
Até agora, a equipe comandada por Sérgio Soares, venceu duas vezes e perdeu duas na competição.
Das duas derrotas do Atlético, uma foi na Baixada. E uma das vitórias ocorreu fora de casa. Ou seja, a instabilidade não tem local para acontecer.
O time está perdido e sem comando técnico. Sorte do treinador, que iremos enfrentar uma equipe fraca tecnicamente e na Baixada.
É difícil querer uma derrota do Atlético, mas no momento, perder ,não é a pior coisa do mundo. Se o time tiver um fracasso no domingo, o treinador Sérgio Soares, dificilmente permanece no maior clube do estado.
Será uma derrota, com sabor de vitória, pois a diretoria poderá corrigir seu erro do ano passado e contratar um profissional competente, "acostumado a vencer títulos".
Se a vitória acontecer, será uma vitória mentirosa, que irá mascarar os problemas do Atlético.
É muito melhor, perder agora, do que passar vergonha no Atletiba e na Copa do Brasil!
Não é fácil, torcer por uma derrota do Furacão, mas no momento será o melhor para nós!
Chega de mediocridade, chega de amadorismo. Diretoria, respeite a tradição do Clube Atlético Paranaense e toda sua torcida, que desde o nascimento do rubro-negro, jamais abandonou o time.
Infelizmente, essa diretoria não deu certo. Prometeram o mundo e não fizeram absolutamente nada.
Cadê os títulos? E os jogadores de nível de seleção brasileira? Tudo papo furado! Mais uma vez , fomos enganados, por esses engravatados que não são torcedores do rubro-negro.
Tenho certeza, que eles dormem tranquilos, quando o Atlético perde. Precisamos de um presidente, que fique puto com quando perde, que depois de uma derrota, perca o sono de raiva, que lute com unhas e dentes por um Atlético forte.
Precisamos de um presidente "atleticano de verdade".
"A CAMISA RUBRO-NEGRA, SÓ SE VESTE POR AMOR"… Que não veste assim, que vá embora!!!

Prazo de Rhodolfo é até segunda-feira

O prazo para o zagueiro Rhodolfo ser negociado com acaba na segunda-feira, data do fechamento da janela internacional. Se nenhuma proposta oficial chegar, o jogador terá que se reapresentar no CT do Caju. O presidente Marcos Malucelli já revelou que dificilmente, o zagueiro será negociado diretamente com um time do Brasil.

Desabafo. Por Aline

Todos os atleticanos que tinham boas expectativas com o Furacão para o ano de 2011, estão levando um belo banho de água fria. Dos quatro jogos disputados o time venceu dois, mais não conseguiu convencer a torcida. Até eu que não sou de criticar em minhas colunas, desabafarei hoje.
Incrível como João Carlos causa insegurança. Quando a bola é lançada na área e ele vai sair do gol (na maioria das vezes sai errado), já me dá aquele medo. Acho Diniz regular. Rafael está atuando bem e fico feliz ao saber que só tende a evoluir. Manoel está sendo rídiculo, cometendo erros infantis, provavelmente com o propósito de sair, pois não há a mínima vontade de defender nosso time e por mim poderia sair amanhã mesmo. Paulinho vem me agradando, gosto dele com o Madson.
Deivid Coquinho erra passes pequenos, é bom na marcação. Paulo Baier é desgastado e desperdiçado quando joga recuado. Madson é como ''água mole em pedra dura, tanto bate até que fura''. O baixinho tenta e luta muito, fez muita falta no jogo contra o operário. Branquinho anda fazendo corpo mole, no jogo de quarta só soube cair e reclamar. Guerrón é guerreiro, veloz, às vezes um dos poucos que pelo menos corre. Lucas já deu diferença em nosso ataque, (é a referência) mais quando o meio campo não cria, não pode fazer nada. Com a evolução do grupo, nos dará muitas alegrias como no passado. Acredito em Gabriel e Henan. Sobre Marcos Pimentel e Alê não falarei hoje, prefiro dar mais um tempo à eles.
Sérgio Soares inventa muito, não quer enxergar seus erros. Parece que às vezes coloca um bando em campo, e não uma equipe propriamente dita. Já mostrou que não sabe usar corretamente as peças que tem e é melhor se cuidar, porque acho que não durará muito tempo por aqui.
É realmente indignante saber que temos bons jogadores e eles estão sendo desperdiçados por um técnico despreparado. Também é triste saber que tem jogador que não está mostrando todo seu futebol, que está fazendo doce. Bom mesmo é ver todos que usam nossa camisa dando o melhor de si e honrando a mística raça Rubro Negra que nos orgulha tanto.
Aqui fica o meu desabafo... Falei o que venho achando desse início de temporada. Tudo o que quero é o meu Furacão, aquele que é descrito como ''uma força estranha, vigorosa, êmulo de sentimentos alucinantes, digna de paixões inexplicáveis''. Será que é tão díficil assim?! Acorda diretoria banana.
Saudações Rubro Negras e mais do que vencer, espero que nosso Furacão convença amanhã.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Fora Sérgio Soares!. Por Diogo Rodrigues Manassés

Esta extensa coluna é dedicada ao técnico Sérgio Soares (SS), que, lamentavelmente, não conseguiu ser minimamente adequado para o Clube Atlético Paranaense. SS entrou com desconfiança, mudou o bom time e era, evidentemente, uma aposta (sou contra apostas no comando técnico). Critico-o desde o início do seu trabalho no Furacão. Agora a torcida e a crônica é praticamente unânime ao afirmar que “ele não serve para o Atlético”. Os 63% que aprovaram a renovação do contrato estavam equivocados. Digo mais: acompanho a crônica esportiva paranaense na TV e na internet, não tenho dúvidas, portanto, ao afirmar que estou sendo o crítico mais incisivo do trabalho de SS no CAP – já há muito tempo. Digo “fora SS”.
Taticamente, o time de SS é ridículo. Uma baderna, um bando. Um time começa pela defesa, sempre (ele quis começar com o ataque). O posicionamento defensivo é ruim, comprometendo o resto do time. Colocar o Maestro como segundo volante é um erro crasso. O time não tem esquema tático, não tem padrão de jogo. As jogadas são no abafa. As vitórias, graças ao abismo técnico individual dos jogadores. A formação sequer será a utilizada em jogos mais difíceis (apenas um volante de ofício)! As peças possuem qualidade, mas SS apenas distribui as camisas, não coloca os jogadores nos posicionamento correto. Branquinho é inútil. Madson e Guerrón estão mal colocados. O meio é infrutífero, apesar de ter jogadores de qualidade.
No psicológico o time está tão mal quanto na tática. João Carlos nota a insegurança dos outros defensores, fica inseguro também. Falta uma conversa do treinador. Manoel, Guerrón e Alê, se contra o Operário já se irritam facilmente, imagine em um ATLEtiba. Os jogadores são inseguros, intranquilos... pior: não respeitam o treinador (vide caso Diniz)!!! Não possuem ambição, garra, são indiferentes. Precisam de um técnico disciplinador, um verdadeiro comandante – o que SS absolutamente não é.
Além disso, SS nunca assume a responsabilidade. Sempre apresenta desculpas. Mesmo nas vitórias o time joga mal. SS se contradiz, como no caso de Baier segundo volante (afirmando após um jogo e negando no outro). Para ele, “o inferno são os outros”, a culpa é que o time não tem um segundo volante. Mentira. O time tem potencial. Os bons técnicos provam desde o começo sua qualidade, ele NUNCA teve uma ideia brilhante, suas atitudes foram básicas ou ruins no comando. É previsível. Ruim.

A grande questão é que quase um mês se passou e o time joga um futebol de quinta categoria. Ano passado o grande erro foi manter Niheues, agora vão manter SS até quando? Sua imperícia ímpar é evidente. Dia 20 de fevereiro jogamos contra o rival, dia 23 contra o Rio Branco (AC), pela Copa do Brasil (agradeço ao amigo Edu por me recordar as datas). Se o técnico for SS, arriscamos perder dois campeonatos em apenas 4 dias. Sem contar o tempo já perdido da pré-temporada. Não podemos permanecer com um comandante que notoriamente não faz um bom trabalho.
Por fim, sejamos práticos: como resolver? Contratar quem? Suponho que contratarão um técnico desempregado. Estão no mercado: Lopes (impossível com essa diretoria), Leão (disciplinador, mas indisciplinado, seria melhor que Soares), Vadão (retranqueiro, não sei se seria uma boa, mas também é melhor do que o que está), Silas (pessoalmente não gosto, mas seria uma das melhores opções) e Ricardo Gomes (de longe, o melhor, mas creio que não pagariam). Ricardo Gomes, Silas, Leão e Vadão. Nenhum deles é pior do que SS. Até porque é difícil...
Respeito SS e o bom trabalho no Santo André, mas aqui foi péssimo.Espero que a coluna da semana que vem seja de boas vindas para o novo técnico. Para o bem do Clube Atlético Paranaense.


Hoje: Programa a Voz da Caveira

Amigo leitor do Espaço Atlético.
Como de costume, indicamos para você ouvir o Programa a Voz da Caveira. Um programa totalmente atleticano, comandado por torcedores que amam nosso Furacão, como poucos!
À partir das 13:00hs, a Radio Mais 1120, se torna o canal de comunicação da torcida rubro-negra.
Vários assuntos relacionados ao Furacão, sobre os Fanáticos e sobre a sociedade, são abordados e sempre com a participação do ouvinte, através de email ou ao vivo por telefone.
CONTAMOS COM A AUDIÊNCIA DOS NOSSOS LEITORES!
ACESSE: www.radiomais1120.com.br

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Desempenho dos jogadores. Por Diogo Rodrigues Manassés

O Furacão, em sua primeira partida fora de Curitiba, não conseguiu vencer o Operário de Ponta Grossa, perdendo pelo placar de 1x0.

• João Carlos: Teve momentos ruins, mas não teve culpa no gol. Sorte em alguns lances em que foi mal. Inseguro, cada vez mais cai na desconfiança da torcida. Muito dificilmente será titular no resto da temporada (a não ser, claro, pela vontade da diretoria). NOTA: 4,0.
• Rafael Santos: Não jogou um décimo do que Rhodolfo jogava. Começou mal e entrou no nervosismo no resto do grupo, mas, no segundo tempo, foi um dos mais regulares em campo. Deu chutões, mas, na linha da defesa, foi, de longe, o melhor. NOTA: 6,0.
• Manoel: Teve a infelicidade de ser o jogador no qual a bola desviou para o gol. Teve vários erros durante a partida. Mas teve um erro crasso, já no fim da partida. Um lance de deslealdade, de infantilidade, de agressividade... O jogo já estava perdido no momento em que foi expulso, mas nada justifica. NOTA: 1,0.
• Marcos Pimentel: Jogou mal. Pior que Diniz. Se este é o seu futebol, pode ser mandado embora. É bem verdade que o time pouco ajudou, mas foi muito ruim. NOTA: 3,5.
• Paulinho: Como de costume, regular. A diferença é que não foi tão bem defensivamente hoje, mas não a ponto de comprometer. Ofensivamente, nulo. NOTA: 4,5.
• Alê: Outro regular, foi mediano. Destaco a instabilidade psicológica ao final da partida. O time é instável psicologicamente (por exemplo, Manoel, se não fosse parado, iria atacar o juiz na expulsão). Técnico não transmite segurança e calma. NOTA: 4,5.
• Deivid: Muito mal. Seu futebol não é de segundo volante, é ótimo marcador (possivelmente o melhor volante do elenco atual). Passes longos errados, posicionamento equivocado... Um desastre! NOTA: 3,5.
• Paulo Baier: Foi o jogador do Furacão que mais correu, que mais tentou e que mais se dedicou. Só por isso já merece, no mínimo, o maior respeito do torcedor. Tecnicamente, muito marcado e foi mal na partida. O meio estava mal posicionado. NOTA: 5,5.
• Branquinho: Só fez uma coisa útil enquanto esteve em campo: sofreu um pênalti, não assinalado pela arbitragem (embora essa não seja desculpa para o resultado ruim). Bem marcado, é verdade, mas se deixou marcar com facilidade. Parece, novamente, sem vontade. Muito mal. NOTA: 2,5.
• Guerrón: Como de costume, uma esperança de boas jogadas. Até tentou, mas não conseguiu repetir as jogadas frutíferas das partidas anteriores. No fim, era outro já psicologicamente instável, irritado com o bandeira. NOTA: 6,0.
• Lucas: Não vai receber nota porque praticamente não foi acionado. O meio não criou, não tivemos chances de gol.
• Henan: Inútil. Entrou (até me dando esperança), mas nada fez. Nas poucas vezes que pegou na bola, foi mal. NOTA: 3,5.
• Ivan González: Em um lance desleal, foi expulso, justamente. Triste dizer, mas Ivan nada mais fez. NOTA: 0,0.
• Gabriel: Entrou bem. Conseguiu “segurar a barra”, pois entrou para recompor a zaga, após a expulsão do Manoel. Vai ser titular na próxima partida. Merece ser titular por algumas rodadas. Não recebe nota pois jogou por pouco tempo.
• Sérgio Soares: Finalmente o torcedor atleticano admite a realidade, de que Soares não é um técnico minimamente capaz de assumir o cargo que atualmente ocupa. Acertou nos jogadores que mandou a campo. Errou no posicionamento de cada um deles. Acertou nas substituições. Errou demais. Não vou me alongar nas críticas, a coluna de sexta-feira será especificamente sobre ele. Por fim: novamente não assumiu a responsabilidade pela derrota, sempre arranja desculpas. NOTA: 2,0.

De mal à pior!

Jogando uma partida totalmente irregular nosso time foi surpreendido logo no início pelo time do Operário, porém desta vez não teve a capacidade de se recuperar e nem sequer conseguir o empate para honrar o bom número de Fanaticanos que acompanharam a partida junto com a equipe na cidade de Ponta Grossa. Nem as substituições, nem as estreias de outros reforços surtiram efeito. Foi uma partida horrível de assistir aonde o rubro-negro não conseguiu a superação como nas partidas anteriores e nem ao menos o empate alcançou. O time não criava e se deixou levar pelo esquema tático do Operário ,as poucas chances que ocorreram pararam na boa atuação do goleiro do fantasma. Já no final da partida o desequilíbrio tomou conta e em atitudes infantis tivemos duas expulsões, a do zagueiro Manoel e do jogador Iván Gonzáles. Pontos perdidos que nos farão falta com toda certeza mais para frente na competição. O nosso técnico culpa o condicionamento físico da equipe e diz que lá pela 6ª rodada a equipe deve estar apta para render o esperado, porém perder pontos assim irá nos comprometer na busca pelo título uma vez que nossos adversários vem fazendo tudo melhor! Precisamos vencer e convencer, tomar um embalo e voltar a despontar rumo ao título ou senão infelizmente apenas assistir...Torcer,torcer e torcer sempre! SRN.à todos!

Cadê seu futebol Manoel?

Definitivamente, o zagueiro Manoel não está mostrando um bom futebol no Atlético.
Na derrota de ontem para o Operário, o zagueiro deu um ponta pé, no atacante do adversário, na linha de lateral, sem o mínimo perigo de gol e acabou sendo expulso.
Manoel está desequilibrado e seu futebol caiu gigantescamente, depois da novela de sua venda que não teve sucesso.
Além do zagueiro, o atacante Iván Gonzáles nos minutos finais, foi para o chuveiro mais cedo com cartão vermelho.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Atlético joga mal e perde para o Operário

É amigos leitores, a situação está complicada. Mais uma vez, nosso time não mostrou um bom futebol e acabou sendo derrotado por 1 x 0 para o Operário, na cidade de Ponta Grossa.
O time foi mediocre, sem criar absolutamente nada. Infelizmente fomos dominados pelo fraco time do Operário, que soube anular nosso meio de campo e nossos atacantes.
O Atlético viu sua sequência de duas vitórias no Campeonato Paranaense quebrada e agora será preciso, muito treinamento para corrigir os inúmeros erros que o time cometeu.
No próximo domingo, o Atlético recebe o Roma Apucarana, na Baixada, tentando mostrar um futebol melhor, pois esse de ontem, foi medíocre!!!

FICHA TÉCNICA
Operário 1 x 0 Atlético


Gol: Hevandro, aos 17min do 1º tempo
Operário:Ivan; Lisa, João Paulo, Vinícius e Gilson; Lucas Poni, Cambará, Serginho Paulista e Rilber; Matheus e Hevandro. Técnico: Amilton Oliveira
Atlético João Carlos; Marcos Pimentel, Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Alê e Deivid (Iván González); Guerrón, Paulo Baier e Branquinho (Henan); Lucas. Técnico: Sérgio Soares
Cartões amarelos
Operário: Lucas Poni, Cambará, Matheus e Rilber
Atlético: Marcos Pimentel e Paulinho
Cartões vermelhos
Atlético: Manoel e Iván González
Árbitro
Leandro Júnior Hermes
Local
Estádio Germano Kruger, Ponta Grossa (PR)

Na atividade. Por Mickel Baptista

Depois da virada do Furacão no fim de semana passado, com 2 gols do bom Lucas, é notória a confiança que se conquista.
Mas, não podemos acreditar que agora tá tudo bem. Mais uma vez a vitória foi de virada, mostrando que ainda estamos despreparados no inicio de cada partida, e que - o mais preocupante - alguns valores defensivos se perderam.
Quando falo de valores não digo apenas de jogadores, material humano... E sim de material físico, emocional de quem está dentro das quatro linhas. Isso mostra que a administração do time não tá tão certa assim, e que algo mais drástico precisa ser feito pelo comando técnico... Não apenas substuir "seis por meia dúzia", quando ocorre uma falha aqui, outra ali.
Claro que, alcançar a perfeição tá longe... Mas, o que me deixa triste é que ano passado tínhamos uma defesa tão boa. Tão estável, segura. E hoje ela é nossa maior preocupação. Começando pelo gol.
Muita gente vai argumentar (e não estão tão errados!) que estamos na pré temporada, ainda... Que estamos tendo muito desgaste físico por conta de estarmos jogando contra clubes que estavam treinando desde "julho" do ano passado, jogando duas vezes por semana... Que estamos jogando na raça, na vontade... Como se isso não fosse mais do que obrigação para quem veste esse manto.
Ainda dá pra notar que nosso grupo tá dividido em 2. Um lado da turma que quer jogar, e outro da galera que tá louca pro paranaense acabar, sem saber que esses jogos são fundamentais para uma sequência boa pro resto do ano. Principalmente a preparação pra Copa do Brasil e Sulamericana que são conquistas inéditas e dão vaga pra Libertadores.
Que na partida contra o Fantasma possamos de uma vez engrenar e convencer, não precisamos aparecer... É isso que esperamos.

Detalhe para as ações realizadas pelo clube no interior do Paraná... É bem legal ver os jogadores interagindo com a torcida, ouvindo o que eles tem pra dizer. Me faz lembrar de algumas visitas que fazemos aqui no Rio... nos hotéis, aeroporto e tal - quando a delegação rubro negra estava no Rio. Tenho certeza que essa iniciativa será uma caminho onde todos vão ganhar. A torcida ao estar perto de seu time - cara - a - cara, os jogadores pela motivação a mais e o institucional do clube que tem suas idéias materializadas e dando certo (não sei na prática, a curto, médio ou longo prazo o que se espera... Mas, tudo bem). É bem legal ver as criancinhas vestidas de vermelho e preto vendo nossos jogadores de pertinho, acessíveis.

Que possamos converter todas essas as ações extracampo em resultados dentro dele - com raça, dignidade e cabeça erguida. Para que nós torcedores fiquemos felizes, antes, durante e após as partidas.

Por Deus! Pela Pátria! Pelo Atlético, até morrer...
@mickbaptista

Chico assina com o Palmeiras

Chico é jogador do Palmeiras. O volante foi à Academia de Futebol do Palmeiras, nesta quarta-feira e finalizou a negociação. Ele já realizou exames médicos e em seguida assinou contrato por dois anos, até 31 de dezembro de 2012. A apresentação oficial deve acontecer nesta sexta-feira.

Atlético, encara o Operário em Ponta Grossa

O Atlético, joga sua primeira partida fora de Curitiba, hoje contra o Operário, ante-penúltimo no Estadual com apenas três pontos, na cidade de Ponta grossa.
A bola rola às 22h e terá transmissão pelo Rede Globo. Mesmo sabendo que a partida irá passar ao vivo, muitos torcedores prometem viajar e fazer uma grande festa no Estádio Germano Krüger.
O time atleticano deve ser o mesmo da vitória sobre o Iraty, isso se Madson melhorar de uma forte gripe, caso contrário, Sérgio Soares deve escalar Deivid.
Será uma boa oportunidade do treinador atleticano mostrar serviço, afinal ele está sendo muito criticado por grande parte da torcida atleticana.
FICHA TÉCNICA:
  • Operário:Ivan; Vinícius, Lucas e João Paulo; Lisa, Serginho Paulista, Cambará, Rilber e Gilson; Mateus e Fábio Buda. Técnico: Amilton Oliveira
  • Furacão: João Carlos; Marcos Pimentel, Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Alê (Vitor), Paulo Baier, Branquinho e Mádson (Deivid); Guerrón e Lucas.
    Técnico: Sergio Soares
  • Data: 26/01/2011
  • Local: Estádio Germano Krüger - Ponta Grossa (PR) - 22h
  • Árbitro: Leandro Junior Hermes (PR)
  • Auxiliares: Pedro Martinelli Christino (PR) e Marcos Rogério da Silva (PR

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Mais uma chance para cinco jogadores

A chance de disputar um torneio internacional foi muito bem aproveitada por alguns atletas que representaram o Atlético Paranaense na Tanzânia, região da África oriental. Cinco dos 19 jogadores que viajaram ao continente africano foram integrados ao grupo principal do Furacão. São eles o zagueiro Bruno Costa, o lateral-direito Raul, os meias Jenison e Gabriel Pimba e o volante Fransergio. Destes a única novidade é Jenison que fora contratado no final do ano passado junto ao Paysandu para integrar a categoria Júnior do Furacão. Ele foi um dos destaques da delegação e ganha oportunidade no profissional.
Os demais jogadores são conhecidos da torcida e todos criados nas categorias de base do Furacão. Bruno Costa é remanescente do grupo de 2010; Raul se recuperou de uma cirurgia no joelho que o afastou de todo o segundo semestre do ano passado; Fransergio retornou de empréstimo junto ao Paraná Clube e Gabriel Pimba também voltou ao clube após uma temporada defendendo o ABC, de Natal.
O grupo que esteve na Tanzânia disputou dois jogos sob o comando do auxiliar técnico Leandro Niehues. Venceu o primeiro contra o Yanga por 3 a 2 (gols de Bruno Costa e dois de Jenison) e empatou o último confronto em 1 a 1 com o Simba (gol de Ramon).

Claiton comemora aniversário hoje

O volante Claiton, completa 33 anos de idade nesta terça-feira. O predador, como é conhecido carinhosamente pela torcida atleticana, desde que voltou ao Atlético, passou o maior tempo no departamento médico atleticano.
A esperança é que o ano de 2011, seja melhor para o atleta, que ganha mais de 100 mil reais por mês e "não joga".
A pergunta de hoje é: SERÁ QUE VAI TER PAGODE, MULHER E MUITA CERVEJA NA FESTA DE ANIVERSÁRIO DO ATLETA???

Agora vai. Por Edimar Malicheski

Olá amigos e amigas do Espaço Atlético…
Que alegria escrever nessa terça-feira, tô muito feliz, afinal nosso Atlético venceu na Baixada.
Eu tiro o chapéu para uma pessoa que tenho criticado nos últimos meses. Essa pessoa que já odiei, tive vontade de bater, de xingar, mas hoje tenho que dizer a verdade.
Parabéns Malucelli, voce contratou um grande atacante. O bom e velho Lucas, esse matador que já me deu inúmeras alegrias, quando passou pela primeira vez pelo Atlético.
Mas como sou exigente, ainda vou te dar uma crítica presidente. O senhor vendeu o Neto e não trouxe um goleiro! Já deu pra ver que o João Carlos não esta pronto para assumir a meta atleticana.
Tem que contratar presidente… todo grande time, começa por um bom goleiro e estamos longe disso!
Tenham todos uma grande semana e viva nosso Atlético, o maior clube do nosso estado.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

A novela Rhodolfo

Informações da imprensa paulista dão conta que o zagueiro Rhodolfo e o volante Chico foram adquiridos por um grupo de empresários e estão a caminho do Palmeiras. A diretoria atleticana afirmou ainda não saber o destino de Rhodolfo. Já Chico acertou sua rescisão com o clube há alguns dias.
Existe ainda a possibilidade de Chico (Sporting) e Rhodolfo (Atlétido de Madrid) serem negociados com times da Europa e depois emprestados para o Palmeiras.

Treinador quer um novo segundo volante

"Precisamos de um segundo volante que tenha uma boa saída de bola. O Atlético não fechou seu ciclo de contratações. Estamos procurando dentro das possibilidades financeiras do clube e a hora que encontrarmos a diretoria vai trazer, até porque está trabalhando para isso", disse o treinador Sérgio Soares.
Sérgio que se cuide, pois no momento o que queremos é um treinador! Time, nós temos!Basta arrumar as posições. Nosso time é muito mais forte, que os demais adversários, ou será, que o Iraty é um time de primeira divisão? E o Arapongas, será que disputa a Libertadores?
Acorda Sérgio Soares, o que esta faltando é mais competência nos treinamentos e na montagem da equipe!

Eu quero é mais futebol .Por Elaine

Alô torcida mais linda do mundo! Que sábado a apresentação do time não foi empolgante, nós todos sabemos. É lógico que uma vitória é sempre importante, mas não basta! Tanta coisa falta ainda pra se colocar nos eixos! Um primeiro tempo pífio nos mostrou que Sérgio Soares ainda não tem uma visão muito aprofundada das qualidades de cada atleta. Na realidade, foi um primeiro tempo desastroso. Eu mesma não acreditava no que estava vendo! Não suporto ver o maestro Paulo Baier jogando recuado, acho um desperdício absurdo! Sobre João Carlos, ainda prefiro acreditar que ele está inseguro e carregando um peso enorme nas costas ao substituir Neto, e esse peso aos poucos deve deixar de incomodar. Guerrón fez um bom segundo tempo, mas Mádson pra mim foi o melhor dos segundo tempo. Tenho certeza que esse baixinho ainda nos trará muitas alegrias! E se Mádson foi o melhor, Lucas foi nosso herói e nos livrou de uma enxaqueca no fim de semana. Temos que levar em consideração que o entrosamento vem com o tempo, mas é inadmissível que, pelo menos dentro de nossa casa, o nosso futebol se iguale ao futebol dos times do interior. Primeiro porque nossa folha salarial é extremamente superior a qualquer equipe do Paranaense; segundo porque teoricamente temos um elenco com uma qualidade técnica muito acima das equipes do interior. Concordo com algo que Sérgio Soares declarou: precisamos de um segundo volante. Mas onde está Clayton Predador? Não está jogando porque não quer mais ficar no clube ou porque essa é a opção do treinador? Se for a segunda opção, lamento profundamente, pois essa seria a hora de ele mostrar se ainda é o mesmo. Ele tem raça e boa saída de bola. No mais, ainda bato na tecla de que nossa administração precisa ser mais ativa e planejar melhor. Enfim, vamos apoiar, mas sem deixar de cobrar. Ótima semana e SRN!

domingo, 23 de janeiro de 2011

A imagem do domingo!

Foi bonito, ver a reação do artilheiro Lucas, ao marcar o gol da virada em cima do Iraty.
Depois de muito tempo, pudemos comemorar, um gol de atacante.
Sendo assim, nada mais justo, que fazer dessa foto, a imagem do domingo!

No grito ou na pressão? Por Everton Furtado

Ainda estou em dúvida. Após o jogo desse sábado diante do Iraty uma coisa ficou estampada, não ganhamos pela raça em campo, ou foi pela pressão de que as paquitas podem se distanciar, ou pelo fato de que a torcida iria cair matando se fossemos para o vestiário sem pontuar na tabela. Uma coisa é fato, nosso time tem qualidade, o problema é que os jogadores não sabem ou fingem não saber, nosso torcedor privilegiado Sérgio Soares, aquele que só assiste o jogo na arena e no ct vai acabar entregando o estadual que é obrigação nossa conquistar de mãos beijadas para as paquitas ou para algum outro time do interior, e olha que caso isso aconteça, será uma humilhação, já que os coxinhas tem um elenco de série B, aí depois dessa tragédia, irão querer mudar o técnico, para mostrar que a diretoria é eficiente. Nem de longe afirmo que iremos nos qualificar em uma boa posição nos campeonatos que participarmos se continuarmos contando com os dois fatores que escrevi acima, precisamos de um novo comando urgente no time, pois um cara que após a terceira partida diz que o time só vai ficar bom após a sétima rodada, é apra indignar qualquer torcedor, o que ficaram fazendo no CT na pré temporada que não entraram com um time decente em campo desde a primeira partida? E pode parecer impressão minha, até me corrigam se for, mas para mim, Manoel tá jogando sem vontade no time, depois que recebeu a proposta dos outros times, não joga a mesma coisa, tem falhas bobas e não entra mais em divididas como antes, é bem provável que acabando o paranaense ele rume para outro clube.
Gostaria de finalizar pedindo a diretoria uma atenção especial a esse comando técnico se não quiser mais uma vez deixar seus torcedores na angústia em 2011.

Análise dos jogadores. Por Diogo Rodrigues Manassés

O Furacão, em seu segundo jogo na Arena na temporada de 2011, venceu o time do Iraty, de virada, pelo placar de 2x1. Em um jogo de dois tempos completamente distintos, os dois gols do Furacão foram marcados na etapa complementar, ambos pelo atacante Lucas.

  • João Carlos: Na técnica, a diferença entre ele e Neto é a subida. João vem lembrando Galatto nas bolas aéreas. Preocupa. Mas ainda é cedo e pode melhorar. Creio que a maior dificuldade é psicológica: joga com uma torcida desconfiada, sem moral. Além disso, não transmite a confiança de Neto e não comanda a zaga como o antigo camisa 1. Ainda é cedo, até porque fez boas defesas, mas tem de pegar as bolas aéreas. Falhou no gol. NOTA: 5,0.
  • Rafael Santos: Como o time todo, fez um primeiro tempo ruim. É um dos culpados pelo gol do Iraty. Mas melhorou no segundo tempo. Falta entrosamento com o companheiro de zaga (que é inferior a ele), pois todos sabemos da sua qualidade. NOTA: 5,0.
  • Manoel: Foi pior que Rafael, mas, com ele, falhou no primeiro gol. Vem demonstrando falta de vontade. É outro que preocupa. Ainda assim, não concordo com a torcida não perdoando seus erros em campo. É cedo. NOTA: 4,5.
  • Wagner Diniz: Defensivamente, competente; ofensivamente, muito mal (até o técnico conseguiu perceber). Voluntarioso, mas pouco ajudou Guerrón. NOTA: 4,0.
  • Paulinho: até avançou, mas, nos cruzamentos, todos sabemos (e ele insiste em evidenciar), é péssimo. Defensivamente, é ótimo. Vem crescendo de produção, aprimorando sua técnica. Mas lateral que não sabe cruzar não é aceitável. Héracles é melhor, devia ser aproveitado no paranaense. NOTA: 5,0.
  • Alê: Vem melhorando. A grande dificuldade é que é o único volante (por opção do técnico), se tivesse um companheiro poderia apresentar um futebol melhor. Foi o mais regular na partida. NOTA: 5,5.
  • Paulo Baier: Primeiro tempo ruim. Motivo? Opção do técnico de colocá-lo como segundo volante (ironicamente, Soares afirmou, após o jogo de quarta-feira, que Baier era segundo volante, hoje negou). Baier jogando recuado é um desperdício (lembrando que foi eleito o terceiro melhor meia pela direita do campeonato brasileiro de 2010): seu futebol não é bom e ele fica desgastado. É burrice colocá-lo nessa posição. No segundo tempo, jogando avançado, não ficou desgastado, ajudou muito mais o time (que rendeu mais) e quase apresentou seu excelente futebol (já estava cansado), além de quase marcar um gol. Espero que o técnico não insista na burrice de Paulo Baier marcador. Por fim, apesar da idade, corre mais que outros jogadores. Honra a camisa. Bonito de ver. NOTA: 6,5.
  • Madson: Ainda está aquém. Motivo? Perdido em campo. Seu potencial não está sendo explorado, é pouco apoiado pelos laterais. Não vai mal porque é disposto sempre. Correu do começo ao fim e buscou marcar o gol. Se bem colocado em campo será espetacular. NOTA: 6,5.
  • Guerrón: Como o resto da equipe, foi mal no primeiro tempo. Como o resto da equipe, melhorou bastante no segundo tempo. Como de costume, correu e tentou ajudar o grupo incessantemente. Como no último jogo, o primeiro gol rubro-negro teve a sua participação direta, em mais uma ótima jogada. Como Madson, se bem posicionado, pode render muito. NOTA: 6,5.
  • Branquinho: Perdido em campo e sem vontade. Sem a menor sombra de dúvidas, o pior em campo. Completamente inútil. Foi o único que não melhorou sequer no segundo tempo. NOTA: 1,0.
  • Lucas: No primeiro tempo, a bola praticamente não chegava. Quando chegava, apesar da vontade, Lucas não conseguia nada. No segundo tempo, fez os dois gols. O primeiro, fruto de uma excelente jogada de Guerrón, evidenciou que finalmente temos um atacante que sabe fazer gols. Se fosse Nieto ou Bruno Mineiro, certamente nada sairia. O segundo foi um belíssimo gol, tiro de longe forte e no canto. Lucas ganha moral. Finalmente um atacante – espero. Leva a melhor nota porque foi o maior responsável pela vitória. NOTA: 8,0.
  • Marcos Pimentel: errou, mas apoiou mais que Diniz. O técnico já percebeu e reconhece. Se não for titular na próxima partida, é pela burrice insistente do técnico. NOTA: 6,0.
  • Vitor: Pouco fez. Entrou pelo cansaço de Alê. Apenas tentou tirar a posse de bola do adversário. Não merece nota porque entrou quando o Furacão vencia e administrava o resultado.
  • Gabriel: Jogou muito pouco para receber nota.
  • Sérgio Soares: Vem escancarando sua deficiência como técnico, sua completa imperícia. Perdido, escala mal, tenta corrigir os erros que poderia nem ter cometido, se contradiz... Péssimo! Após o jogo de quarta-feira (contra aquele time cujo nome não merece ser citado), disse que era necessário colocar Paulo Baier recuado e marcando (sacrificado), como segundo volante. Hoje negou que Baier era segundo volante, mas “meia que vem de trás”. Contradição absurda. De todo modo, o Maestro não merece esse sacrifício. É ruim para ele e para o time. Iniciou assim, o time jogou mal. Mudou, o time melhorou muito. Não era mais fácil ter começado com Baier no lugar certo? Não para por aí. Madson e Branquinho continuam perdidos em campo, totalmente sem posição. A diferença é que o primeiro tem vontade de jogar, o segundo não. Tem mais. Sérgio Soares é um técnico sem pulso, sem autoridade. Prova disso foi a revolta de Diniz ao ser substituído – ou seja, não respeita o treinador. O time continua um bando. Vence, mas, taticamente, é ridículo. A vitória deveu-se à técnica (afinal, os jogadores do CAP são imensamente melhores que os do adversário), não ao correto posicionamento tático. Enquanto o técnico do Iraty comandava seu time do banco de reservas, gritando sem parar (mesmo enquanto venciam), Soares, com seu time perdendo, era passivo, assistia ao jogo sem nada dizer. Finalizo: a permanência de Sérgio Soares pode gerar uma eliminação precoce da Copa do Brasil, além de não ganharmos o paranaense. NOTA: 3,5.


sábado, 22 de janeiro de 2011

João Carlos preocupa torcedor atleticano

A meta atleticana começa a gerar desconfiança e dor de cabeça aos torcedores. Com a saída do goleiro Neto, negociado com a Fiorentina, da Itália, o até então reserva imediato João Carlos assumiu as traves do Furacão nesta temporada, porém após três rodadas, o arqueiro apresentou um desempenho bastante irregular e algumas falhas bizonhas, um exemplo foi o jogo de hoje, logo no início não saiu direito do gol o que acabou resultando no gol do adversário. Se fosse apenas um jogo tudo bem, mas nas três rodadas que o Furacão jogou ele apresentou falhas estrondosas

Marcos Pimentel pode ser titular no próximo jogo

Na segunda partida com a camisa atleticana, o lateral-direita Marcos Pimentel pode ter garantido sua titularidade para a partida da próxima quarta-feira, contra o Operário. Agradando bastante o técnico Sérgio Soares, ele entrou aos 42 minutos da primeira etapa, no lugar de Wagner Diniz, mesmo fato que aconteceu na partida contra o Corinthians-PR, na quarta feira passada.
“Estou procurando fazer o meu trabalho nos treinos para que, quando for solicitado, poder corresponder. Se o técnico optar por mim, vou dar o meu máximo para continuar na equipe. Estou muito feliz aqui no Atlético e quero, a cada jogo, buscar o meu espaço”, disse o lateral a imprensa.

Lucas marca dois e Atlético vence

A vitória foi atleticana por 2 x 1, mas o time ainda não convenceu!
Com um primeiro tempo medíocre, o time da Baixada logo a quatro minutos tomou um ducha fria, tomando um gol logo no começo da partida. Vale lembrar que o goleiro João Carlos falhou no lance.
O gol abalou o time, que errava tudo e demonstrava uma falta de engrossamento impressionante.
Tudo dava errado e a torcida não gostava nada do que via. Logo que o juiz pediu a bola e encerrou o primeiro tempo, muitas vaias foram ouvidas e muitos torcedores já pediam a cabeça do treinador Sérgio Soares.
O time voltou para segunda etapa com Paulo Baier jogando mais avançado e o time foi outro em campo.
Paulo foi decisivo e chamou a responsabilidade e mostrou um belo futebol.
Aos 12, Guerrón fez boa jogada individual pela direita, passou pelo marcador e cruzou na medida para Lucas, de cabeça, mandar para o fundo das redes, sem chances para o goleiro esboçar qualquer reação.
O time quango fez 2 x 1, levou a torcida ao delírio e o nome de Lucas era gritado por todos do estádio da Baixada.
Na desvantagem, e tentando tirar a bola e o adversário do seu campo defensivo, o técnico Gilberto Pereira não viu outra solução que não fosse colocar o Azulão para frente, tirando um volante para a entrada de um terceiro atacante.
Só que não adiantou. Embora o ritmo tenha diminuído bastante, o Furacão seguiu dominando até o fim, se mantendo no campo de ataque, e sequer levava sustos no seu sistema defensivo. Aos 37', Paulo Baier cobrou falta cruzada direto para o gol, para boa defesa de Renato. Porém, o resultado final já estava construído e o Rubro-negro, enfim, pôde comemorar diante da torcida.
E ficou provado que Paulo Baier não pode ser jogador de marcação! Acorda Sérgio Soares...

FICHA TÉCNICA:
Atlético: João Carlos, Wagner Diniz (Marcos Pimentel, 42'/1ºT), Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Alê (Vitor, 34'/2ºT), Paulo Baier (Gabriel, 41'/2ºT), Branquinho e Madson; Guerrón e Lucas. Técnico: Sérgio Soares
Iraty: Renato, Marlon (Maycon, 18'/2ºT), Renê, Gilvan e Bugiga (Wendel, 36'/2ºT); Diogo (Paraíba, 26'/2ºT), Silvio, Bruno e Cleiton; Eydson e Willian. Técnico: Gilberto Pereira
Data: 22/01/2011
Local: Baixada - Curitiba (PR)
Árbitro: Adriano Milczvski (PR)
Auxiliares: Wesley Waldir Marmitt (PR) e Jefferson Cleiton Piva da Silva (PR)
Público: 8.989/ Renda: R$ 111.800,00
Cartões amarelos: Madson, Paulo Baier (CAP); Sílvio, Marlon, Renê (IRA)
Gol: Willian, 4'/1ºT (0-1); Lucas, 12'/2ºT (1-1); Lucas, 16'/2ºT (2-1)

Washington relembra o 'gol da vida'

Em 20 anos de carreira, Washington se tornou detentor de uma conquista pessoal: ser o maior artilheiro de uma única edição do Campeonato Brasileiro. Foram 34 gols na competição de 2004.
O atacante passou por duas cirurgias no coração e, com coragem, voltou a jogar pelo Atlético. Teve que assinar um termo de compromisso com o clube, afirmando ter consciência dos riscos que corria.
A recompensa veio na reestreia, durante o Campeonato Paranaense de 2004, no clássico Atlético x Paraná. Ele fez um gol que se tornou o mais especial de sua carreira e o fez passar a comemorar batendo no coração:

Foi a minha volta ao futebol, depois de um ano e dois meses parado. Foi até um clássico contra o Paraná Clube. Inclusive, até muitos torcedores do Paraná aplaudiram aquele gol, que é chamado de “o gol da vida”. Ganhamos de três a zero e eu fiz o primeiro gol. Até me ajoelhei no meio de campo e ali veio um filme, porque muitos falaram que eu não voltaria a jogar. Aquilo lá foi a coroação depois do que eu sofri e batalhei.
Esse post, é espcialmente para os torcedores, que criticaram o jogador, por não ter lembrado do Atlético.

Vai ter festa na Baixada!!!

" Vai ter festa na Baixada… quem quiser pode chegar…" É nesse rítmo que o Atlético recebe o Iraty no Caldeirão do Diabo.
A vitória da última quarta-feira, deu moral ao elenco atleticano, que tenta esquecer a derrota na estreia e partir com tudo, rumo a liderança do certame estadual.
A pelota, rola às 17h, pela terceira rodada e se o Atlético vencer, sobe bastante na classificação.
A vitória por 2 a 1, de virada, sobre o Corinthians-PR, na última quarta-feira, já serviu para o Atlético apagar a péssima imagem deixada na derrota por 2 a 1 para o Arapongas, em casa. Porém, agora a equipe quer fazer as pazes com a torcida. E a oportunidade é neste sábado, diante do Iraty, às 17h, pela terceira rodada do Campeonato Paranaense.
o técnico Sérgio Soares aposta no entrosamento da equipe. Tanto que para o duelo com o Azulão manterá o mesmo esquema ofensivo da rodada passada, com apenas um volante, Alê, e três armadores, Branquinho, Paulo Baier e Madson.
A manutenção do time é, talvez, a arma mais forte do Rubro-negro para provar que o tropeço para o Arapongas aconteceu justamente pelo pouco tempo que os jogadores tiveram para se conhecer. Mais entrosados, o Atlético pode mostrar sua verdadeira cara na Arena.
"Para nós jogadores foi vergonhoso perder em casa, diante da nossa torcida, mas agora vai ser diferente, com certeza. Já estamos mais soltos, mais entrosados e vamos entrar com mais força, concentração e dedicação para conseguirmos a vitória e alegrar a nossa torcida", destacou Alê.
É atacar os 90 minutos, só assim o time vai conseguir mais uma vitória.

FICHA TÉCNICA
  • Furacão: João Carlos, Wagner Diniz, Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Alê, Paulo Baier, Branquinho e Madson; Guerrón e Lucas. Técnico: Sérgio Soares
  • Iraty: Renato, Renê, Gilvan e Bugiga; Eduardo, Diogo, Silvio, Bruno e Artur; Eydson e Willian. Técnico: Gilberto Pereira
  • Data: 22/01/2011
  • Local: Baixada - Curitiba (PR) - 17h
  • Árbitro: Adriano Milczvski (PR)
  • Auxiliares: Wesley Waldir Marmitt (PR) e Jefferson Cleiton Piva da Silva (PR)

Hora de brilhar, Furacão! Por Aline

No primeiro encontro do ano com o nosso grande amor, o elenco atleticano deixou muito a desejar. A falta de entrosamento dos jogadores e os erros cometidos por Sérgio Soares, são duas coisas que ficaram bem evidentes nessa derrota contra o fraco Arapongas. Desse episódio vergonhoso, gostei somente das atuações de Madson e Paulinho.
Na quarta - feira, o Furacão começou pressionando a vergonha do Paraná (corinthians Paranaense). Por uma falha, terminou a primeira etapa em desvantagem, mas foi guerreiro e por sorte, conseguiu empatar e dois minutos depois, Madshow virou. Vitória suada e que faz diferença, dá moral ao grupo.
Para o jogo de hoje, (contra o Irati) esperamos um Atlético que vá com personalidade ao ataque e cometa menos erros defensivos. Resumindo: faça o arroz com feijão, porque ganhar é obrigação e qualquer ponto perdido agora, fará falta depois.
O estadual tem que ser levado a sério, pois é como um aquecimento para as outras competições. O Atlético Paranaense é o melhor clube de nosso estado e nossa estrela ainda não brilhou esse ano. Que tal começar a brilhar hoje, Furacão?!
Saudações Rubro Negras e hoje espero vê-los no Caldeirão para cantarmos juntos, por essa paixão indomável!

O melhor programa esportivo do Brasil!

Amigo leitor do Espaço Atlético.
Como de costume, indicamos para você ouvir o Programa a Voz da Caveira. Um programa totalmente atleticano, comandado por torcedores que amam nosso Furacão, como poucos!
À partir das 13:00hs, a Radio Mais 1120, se torna o canal de comunicação da torcida rubro-negra.
Vários assuntos relacionados ao Furacão, sobre os Fanáticos e sobre a sociedade, são abordados e sempre com a participação do ouvinte, através de email ou ao vivo por telefone.
CONTAMOS COM A AUDIÊNCIA DOS NOSSOS LEITORES!

Atlético, será bastante ofensivo hoje na Baixada

A procura dos gols! É nessa onda, que o Furacão vai com tudo pra cima do Iraty.
Com um esquema tático totalmente ofensivo, o time promete pressionar os noventa munutos.
Com três armadores, o Furacão vai apostar na velocidade e na qualidade individual de seus jogadores ofensivos, para tentar a primeira vitória na Baixada.
Com apenas um volante, Alê, e três armadores, Paulo Baier, Branquinho e Madson, com o primeiro atuando um pouco mais recuado quando o adversário tiver a posse de bola.
Para muitos torcedores, o time fica vulnerável no setor defensivo, mas a tradição do Atlético quando joga na Baixada, sempre foi atacar e pressionar os adversários, sendo assim, será uma ótima ideia, se o treinador Sérgio Soares, mantiver o mesmo time da vitória contra o Corinthians Paranaense.
Queremos ver gol! Uh Caldeirão...

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Ainda sem resposta

Segundo o presidente Marcos Malucelli, via assessoria de imprensa, mesmo após as 48 horas previstas para o fim da negociação não houve uma evolução na saída do zagueiro. O clube ainda espera a formalização da proposta do clube da Espanha.
Ou fica ou que vá logo, pois pagar salário para o jogador e não jogar é um absurdo!

Precisa-se de técnicos. Por Diogo Rodrigues Manassés

O Clube Atlético Paranaense padece de um mal extremamente sério: não possui técnicos. A diretoria ainda não quer admitir, mas a teimosia pode custar caro.
Primeiro, nos juniores, Sandro Forner teve insucesso em dois ATLEtibas. Primeiro, na final da Taça BH. Depois, na Copa São Paulo. O que houve em comum foi que o Furacãozinho começou vencendo (até porque o time é superior ao rival, mesmo nos juniores), mas tentou segurar o resultado, tomando gols, levando a disputa para pênaltis – e lá sendo derrotado. “É com os erros que se aprende”. “Errar é humano, insistir no erro é burrice”. Se não aprendeu da primeira vez, cometendo o mesmo erro em uma segunda vez, Forner mostra que não é bom técnico.
No profissional a situação não é menos severa. A maioria considerava que o time de 2011 seria arrasador, venceria todas as competições com placares elásticos. Após o jogo contra o Arapongas, mesmo o torcedor mais otimista deixou a empolgação de lado. Uma derrota em casa contra um adversário aguerrido, mas imensamente inferior tecnicamente escancarou uma verdade incontestável: com Sérgio Soares o time não vai longe. O técnico foi covarde mais uma vez ao não admitir seus erros na completude. Escala mal, substitui mal e, pior, posicional mal os jogadores.
Bastou uma vitória com uma dose enorme de sorte contra o Malutrom que a animação voltou a tomar conta. Vitória que para muitos mascarou a insistente imperícia do treinador. O primeiro gol foi de sorte, que deu ânimo ao time para, em apenas um minuto e graças à admirável vontade do jogador Guerrón, inverter o placar. Não se enganem: vencemos e o time melhorou, mas Sérgio Soares não serve para o Furacão.
Soares teve um elenco inteiro nas suas mãos, podendo montar o time que quisesse. Apenas distribuiu camisas e colocou um bando em campo. Não soube posicionar as boas peças. Até quando? Ainda não aprenderam com a aposta Leandro Niheues?
O Clube Atlético Paranaense necessita de profissionais dignos da sua história no comando técnico. Amadores ou apostas não servem. Permanecer com Soares pode custar o promissor ano de 2011, mesmo que com um time bom.
Em tempo: se o CAP não contratar um técnico de maior qualidade, o rival será o campeão paranae

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Atleticano,maloqueiro e sofredor...Graças à DEUS!

Começamos um novo ano cheio de perspectivas e todas elas muito positivas. Começamos com o técnico definido, com um time montado em cima de uma base forte do ano anterior, novos jogadores...enfim parecia que seria um começo tranquilo! Tudo bem, ainda sem ritmo de jogo, sem preparo, sem ao menos ter treinamento suficiente. Então logo de cara recebemos a equipe do Arapongas e jogando em casa diante de nossa maravilhosa torcida conseguimos perder a partida por 2x0. Ótimo, vamos nos recuperar na segunda partida... Começa o jogo e novamente numa falha da zaga tomamos um gol. Será talvez nossa segunda derrota? Que nada..."rubro-negro é quem tem raça e não teme a própria morte"... Aí numa apresentação brilhante de alguns jogadores como Guerrón e Branquinho além do jogador Mádson conseguimos a vitória de virada contra o time do “J”-Malutrom. Vitória essa que serviu realmente para nos recolocar o sorriso no rosto o qual havia se perdido no domingo de derrota na Baixada. Essa vitória que nos resgata a esperança de engrenarmos num caminho de vitórias aonde nos levará ao título estadual. Nesse novo ritmo vamos seguindo para conquistarmos ao menos um dos vários títulos que disputaremos. Ou seja sofreremos mas com persistência e perseverança conseguiremos alcançar um desses objetivos! Torcer, torcer e torcer...SRN. à todos...

Manoel por Kléberson?


Segundo informações apuradas pela Banda B, o zagueiro Manoel está próximo de defender a camisa de outro rubro-negro nesta temporada. A diretoria não confirma, mas uma fonte carioca afirma que o jogador pode estar indo para o Flamengo.
A negociação não envolve venda, mas sim uma troca: Manoel vai para o Rio e o rubro-negro receberia no elenco o velho conhecido da torcida, Kléberson. O Atlético teria proposto o pagamento de somente 30% do salário do jogador, muito alto para os padrões financeiros do time, o restante seria de responsabilidade do clube carioca.
Em entrevista à radio Banda B, o diretor de futebol do Atlético, Ocimar Bolicenho, garantiu que o clube ainda não foi procurado pelo Flamengo. Segundo ele, a única proposta certa do rubro-negro diz respeito ao meia Cáceres, do Cerro Porteño, mas afirma que ainda não obteve resposta do time paraguaio
O superintendente de futebol do Atlético, Ocimar Bolicenho, desdenhou da proposta do Flamengo para ter Manoel. Segundo o dirigente, a troca de Manoel pelo ex-atleticano e pentacampeão Kleberson, especulada nesta quarta-feira, seria boa apenas para o clube carioca.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Na atividade. Por Mickel Baptista

Fala pessoal. Que sufoco hein! Depois de um susto... Quase um AVC, pra ser mais exato. Nosso time jogou hoje.
Se é que dá pra dizer que "jogamos". Prefiro dizer que "entramos no campeonato".
A expectativa, na semana passada era a melhor possível com nossa estréia. Mas, o que aconteceu foi... Uns dizem "choque de realidade", outros preferem "banho de água gelada"... Mas, o sentido vai ser o mesmo para o que eu vou simplificar: decepção.
Decepção por esperar algo em torno de um mês (acredite, pra quem é amante de futebol é uma eternidade) e ver um time que se apresentou no último fim de semana.
É claro que todos os times de fora do "Eixo CWB" estavam treinando a muito mais tempo... E o que devemos fazer é não aceitar esse tipo de desculpas. Quem veste o manto sagrado TEM QUE SE CUIDAR, pois mesmo de férias recebe pra isso...
Os jogadores chegaram, e agora é esperar. Esperar que eles honrem suas calças, seus contratos e essa torcida - que é o mais importante (e preocupante!) de tudo.
Por ainda estar no trabalho acompanhei a partida pelo Twitter e o que deu pra ver é que, muito ao contrário do que nosso treinador pensa nosso time ainda não ta "ganhando corpo" e me atrevo a dizer que ainda falta um tanto pra isso.
Devemos apoiar incondicionalmente... Fazer a nossa parte. Mas é triste, nós sairmos das arquibancadas com o sentimento de dever cumprido, olhar para as 4 linhas e ver pontos vermelho e preto cabisbaixo.
Rola na boa jogar com raça. Cumprir com o combinado, fazer o que se ganha pra viver... Mas, levando isso que apóiam vocês a sério.
Agora vamos falar o que é realmente bom... Gol!
Nossas contratações chegaram e marcaram... Isso é um bom sinal. O destaque foi, na minha opinião do Henan. Finalmente, depois de uma pá de tempo... Um atacante mete gol. Se não me engano o último atacante a fazer foi o Nieto, na Arena contra o Parmera. Mas, o muleque jogou bem, mostrou personalidade (e sorte!). Madson veio, e parece que pode sim cumprir com o papel a que foi contratado. Mas, sabemos que não podemos criar expectativas demais - um jogo de cada vez, até porque sabemos que podemos ter surpresas (boas ou não!) pelo caminho.
Como torcedores devemos permanecer na atividade. Pois a camisa rubro negra só se veste por amor!
Por Deus. Pela Pátria. Pelo Atlético, até morrer.
@mickbaptista

De virada, Furacão desencanta

De virada, depois de muita chuva e suor no Eco-estádio Janguito Malucelli, o Atlético Paranaense passou pelo Corinthians Paranaense, por 2 a 1, conquistando seu primeiro resultado positivo no Paranaense 2011 e no ano. Com o resultado, as duas equipes ficam com três pontos, mas o time do Barigui tem melhor saldo.
O Timãozinho abriu o placar com sua principal contratação para a temporada, Adriano Gabiru, que pegou rebote do goleiro, aos 35 minutos, para empurrara para as redes. Depois do intervalo, o Furacão subiu de produção, mas encontrou um paredão chamado Walter, o goleiro alvinegro que foi o destaque da partida. Até que, aos 33 minutos, Henan arriscou o chute e deixou tudo igual. Aos 35 minutos, Madson decretou a vitória.
Na próxima rodada, o Corinthians Paranaense encara o Cianorte, domingo, no Estádio Olímpico Albino Turbay. Já Atlético Paranaense recebe o Iraty, no sábado, às 17 horas, na Arena da Baixada.
O jogo - A partida começou com muita disposição dos dois lados, mas a correria não se transformava em chances reais. Aos dois minutos, Paulo Baier tentou um lançamento em profundidade, mas a zaga alvinegra tirou dentro da área. Aos quatro minutos, a primeira tentativa do time da casa com Thiago Henrique, que bateu para defesa de João Carlos. Na resposta, aos sete minutos, Madson arriscou de longe e isolou.
De volta ao Furacão, Lucas era a grande esperança de gols e a primeira chance foi criada aos nove minutos, com um cruzamento de Baier que o atacante não alcançou, de frente para o gol. A partida era aberta e o Timãozinho chegou com Élton, aos 13 minutos, e uma cabeçada que passou com perigo. De frente para o crime, aos 18 minutos, Guerrón teve a chance de abrir o placar, mas preferiu passar para Lucas, facilitando a vida de Walter, que saiu para defender.
A chuva apareceu para deixar o campo mais escorregadio e diminuir o ritmo. Aos 26 minutos, falta para Paulo Baier na entrada da área e o cruzamento é afastado pela defesa, pela linha de fundo. Adriano Gabiru só apareceu aos 29 minutos, recebendo um ótimo lançamento, mas perdendo para Paulinho na hora do arremate. Mas, aos 35 minutos, não teve perdão. Gabiru pegou sobra de bola e chutou para marcar. A reação quase aconteceu aos 39 minutos, com Wagner Diniz, que mandou um petardo no travessão.
Na segunda etapa, os jogadores do Furacão prometeram acordar. Logo no primeiro minutos, Paulo Baier arriscou o chute e Walter fez a defesa. Aos quatro minutos, Madson recebeu com liberdade e, na área, conseguiu arrematar para fora. Mais um chute de Baier, aos oito minutos, com outra linda defesa do goleiro corintiano, que depois do intervalo passou a ter mais trabalho na partida.
O Atlético dominava as ações e criava as melhoras oportunidades, mas sem a competência necessária no arremate. Aos 14 minutos, Madson escapou da zaga, ficou de frente para o gol, mas o árbitro parou o lance anotando impedimento. A torcida rubro-negra já demonstrava preocupação, enquanto o técnico Sérgio Soares olhava par ao banco, sem encontrar boas opções. Aos 21 minutos, uma bomba de Madson que Walter salvou.
A pressão atleticana era forte, mas abria espaços para o contra-ataque. Aos 24 minutos, Mineiro apareceu com liberdade no ataque e, na confusão, desviou e viu a bola sair pela linha de fundo, com muito perigo. O goleiro Walter era o nome do jogo. Aos 29 minutos, parou uma cabeçada à queima roupa de Henan. Até que, aos 33 minutos, Henan chutou cruzado, a bola bateu na defesa e morreu no fundo das redes. A virada era questão de tempo e, aos 35 minutos, o baixinho Madson aproveitou jogada de Guerrón para fazer o seu. Sem força, o Timãozinho não conseguiu reagir.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS-PR 1 X 2 ATLÉTICO

Local: Eco Estádio Janguito Malucelli, Curitiba (PR)
Data: 19 de janeiro de 2011, quarta-feira
Horário: 16h30 (de Brasília)Horas
Árbitro: Antonio Denival de Morais
Assistentes: Luciano Roggembaum e Julio Cesar de Souza
Cartões amarelos: Araújo, Safira, Élton (Corinthians-PR); Lucas, Paulinho (Atlético-PR)

Gols: CORINTHIANS-PR: Adriano Gabiru, aos 35 minutos do primeiro tempo
ATLÉTICO: Henan, aos 33 minutos e Madson, aos 35 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS-PR: Walter; Araújo, Tiago, Élton e Peixoto; Paulo Henrique, Cícero e Adriano Gabiru (Paulinho) e Thiago Henrique (Mineiro); Safira (Michel) e Hote
Técnico: Amauri Knevitz

ATLÉTICO: João Carlos; Wagner Diniz (Marcos Pimentel), Rafael Santos, Manoel e Paulinho; Alê, Branquinho (Henan), Paulo Baier e Madson; Lucas e Guerrón (Deivid) Técnico: Sérgio Soares

O ano começa hoje, o resto é passado! Atlético encara Corinthians Paranaense

Depois da ridícula derrota em plena Baixada no último domingo, o Atlético entra em campo, para enfrentar o Corinthians Paranaense, tentando os primeiros três pontos no certame.
A bola rola às 16h30, no Ecoestádio Janguito Malucelli e a grande novidade do time é a entrada do atacante Lucas, que promete fazer a torcida voltar a comemorar.
Vaiados na saída de campo após a derrota para o Arapongas, os jogadores afirmam que entenderam o recado e prometem recuperar o que foi perdido fora de casa, como disse Paulinho.
"Cada um tem que se cobrar. O Paulo (Baier) chegou ali no final e falou que se a gente quiser chegar em algum lugar, ser campeão, temos que dar o máximo. Dentro de casa não conseguimos o resultado e agora vamos jogar fora de casa e temos que ganhar. O Atlético tem time para isso, é só trabalhar", afirmou o lateral-esquerdo.
FICHA TÉCNICA
Corinthians Paranaense X Atlético
  • Corinthians: Walter; Araújo, Tiago, Elton e Digão; Paulo Henrique, Cícero, Tiago Henrique, Adriano Gabiru e Safira; Rodrigo Hote. Técnico: Amauri Knevitz
  • Furacão: João Carlos; Wagner Diniz, Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Alê, Branquinho, Paulo Baier e Madson; Guerrón e Lucas. Técnico: Sérgio Soares
  • Data: 19/01/2011
  • Local: Ecoestádio Janguito Malucelli - Curitiba (PR) - 16h30
  • Árbitro: Antonio Denival de Morais (PR)
  • Auxiliares: Luciano Roggembaum (PR) e Julio Cesar de Souza (PR)

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Começou. Por Edimar Malicheski,

Será que vai ser assim todo ano? Levando bucha dos pequenos! É um verdadeiro absurdo. Eu não acredito!
Se fosse um time de nome, de vários títulos, até eu entenderia, mas perder para o Arapongas? Que ridículo!
Ainda pra ajudar, a arbitragem foi péssima, Héber Roberto Lopes, esse coxa ridículo, foi nota zero.
Eu jurei ,que não ira criticar nosso presidente Malucelli, que só pensa em ficar rico . Mau começou campeonato e ele já está armando novamente. Será que esse campeonato já esta armado de novo. Se em plena Baixada perdemos, imagina quando o jogo for fora.
Queremos goleiro bom e atacante. Parece que a diretoria não sabe o que é isso.! Tá certo que é o primeiro jogo, mas que sirva de lição.Se liga Atlético, futebol é toque de bola, técnica e não um monte de marmanjos perdidos, correndo para qualquer direção!
A torcida vai ao estádio porque é apaixonada e não que mereça.
Vamos jogar e não esperar , ou vai ou racha, não da pra ficar perdendo tempo e perdendo jogos bestas.
Abraços meus amigos

Aproveite a Baixada. Por Cadu

É galera, parece cedo, mas tá chegando o dia da Baixada fechar, para a Copa do Mundo.
Posso parecer maluco, pois o ano começou agora e jogamos apenas uma partida no santuário atleticano, mas eu já estou me preparando ao poucos, para me despedir do velho e querido Caldeirão.
As obras de adaptação da Arena da Baixada com vistas à Copa do Mundo de 2014 ainda não têm data para começar, mas é muito provável que seja logo após o término do estadual.
Vale ressaltar que ainda não temos um estádio para jogar, no período em que as obras estejam a todo vapor e isso me preocupa muito.
Sou a favor de jogarmos na Vila Capanema, que além de ser perto da nossa casa, é um estádio que faz mais pressão nos adversários, e no quesito pressão, somos imbatíveis. "Quando nossa torcida grita, agita qualquer torcedor, por mais careta que ele seja"!
E você amigo leitor, vai continuar pagando o Sócio Furacão, mesmo com o Atlético não jogando na Baixada?
Eu vou continuar, afinal vou com o Atlético até no inferno se for preciso!
Já que é o último ano de casa, aproveite torcedor atleticano, faça festa, compareça ao estádio e mostre seu amor ao maior e mais popular clube do nosso estado!
Mesmo que o time não ajude, aproveite a sensação de estar no Caldeirão. É um privilégio apenas para nós atleticanos!