sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Vítimas. Por Diogo Rodrigues Manassés

Eu sei que, no presente momento, o que seria “politicamente correto” era demonstrar apoio ao time. Mais certo seria escrever uma coluna falando de união, de apoio e aquele “blá blá blá” costumeiro e muitas vezes necessário. Mas já fiz isso. Várias vezes. O ano todo.

Assisti a uma entrevista curta do presidente Marcos Malucelli no Jogo Aberto PR na semana passada, e fiquei indignado com a declaração. MM foi indagado se concordava com a opinião de um torcedor, segundo quem o presidente, tendo em vista que pegou o time na primeira divisão, teria a obrigação de manter o time na série A. Malucelli discordou veementemente, afirmando não ser o único culpado, tampouco o único obrigado.

Foi além: chegou a afirmar que a torcida também é obrigada, também deve fazer a sua parte e que também é responsável pela fase. Somos todos coobrigados, segundo o presidente.

É a minha vez de discordar veementemente. Não somos coobrigados. Somos VÍTIMAS!

Foi MM quem escolheu jogadores de série B (ou menos) para jogarem pelo CAP na série A, desde o começo do ano. Pode não ter sido ele diretamente, mas, ao delegar essa função, assume a responsabilidade. Foi MM quem contratou vários técnicos durante o ano (não vou nem entrar no mérito, os lamentáveis números falam por si). O torcedor foi vítima da incompetência completa do bem intencionado Marcos Malucelli. Que agora ele resolva, ou que arque com as consequências, pois estou certo que a torcida continuará fazendo a sua parte, apoiando até o fim – até porque a salvação ainda é matematicamente possível, embora fática e logicamente improvável.

Há um ditado que diz “a gente colhe o que a gente planta”. Outro, também interessante: “de boas intenções o Inferno está cheio”. Para bom entendedor, meia palavra basta. SRN.


quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Furacão é campeão paranaense sub-17

Na tarde de ontem, no estádio Couto Pereira,o Atlético Paranaense conquistou o bi-campeonato paranaense da categoria juvenil. Com jogadores de futuro como Marcos Guilherme, Lucas e Hernani, que faz parte da seleção brasileira da categoria, o Furacão derrotou o rival Coritiba nos pênaltis (4 x 3) e deu a volta olímpica aos olhares da torcida rival. Na campanha dos juvenis, foram 18 jogos com 11 vitórias, 5 empates e 2 derrotas. 28 gols marcados e 8 sofridos. Tanto nas semi-finais como na final o Atlético passou nos pênaltis pelos rivais da capital. O Atlético é o maior vencedor da categoria criada pela Federação Paranaense de Futebol em 1999 com cinco vitórias (2004, 2006, 2007, 2010 e 2011). Nessas conquistas, participaram jogadores que hoje estão no time principal como Deivid (2006), Renan Rocha (2004) e Manoel (2007). O técnico da equipe é Pedrinho Maradona, ex-jogador do Atlético no final dos anos 80.

Como sempre só por DEUS! Por Célio

Até já parecendo ter virado rotina para o nosso Clube Atlético Paranaense, estamos finalizando mais uma temporada “pendurados pelo pescoço”! Graças a um planejamento mal feito e totalmente equivocado por parte da nossa diretoria, aonde montamos um elenco fraco e pior, na sua grande maioria de jogadores emprestados, não conseguimos nos afirmarmos na competição e novamente estamos finalizando ela na famigerada ZR. A coisa está tão feia que para incentivar uma reação do elenco, até o presidente Marcos Malucelli voltou a comandar o departamento de futebol em paralelo à sua gestão. Isso para tentar incentivar uma reação do elenco. Faltam apenas 12 partidas para o final do campeonato e pior ainda estamos a 6 pontos do primeiro time fora da ZR. Difícil? Com esse elenco limitadíssimo é praticamente impossível... Mas como “ rubro-negro é quem tem raça e não teme a própria morte”, a nossa valente torcida não decepciona nunca! Jogo a jogo vêm levando um ótimo número de torcedores sempre apoiando incondicionalmente... Mas infelizmente só a torcida não consegue os resultados esperados... Precisaremos de uma doação fora do comum. Só assim o time conseguirá livrar o CAP do rebaixamento! Mas agora, fora o apoio incondicional que sempre damos ao time precisaremos reunir todos os pensamentos positivamente numa só corrente para que o time consiga reagir e sair do buraco... Mesmo com toda essa corrente positiva, sabemos o quanto o elenco é fraco precisaremos pedir muito à DEUS que ajude a livrar o furacão de um fim trágico! SRN. à todos e até domingo em nossa querida baixada! Vamos furacãoooo acreditamos até o final!

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Decisão. Por Luana Kaseker

Semana de grandes decisões para nós atleticanos, confiar ou não que nos livraremos desta 2ª divisão?

Depois do injusto empate com o Fluminense, temos pela frente o Internacional, time que vem desfalcado para nos enfrentar no domingo, assim como nós que perdemos um dos principais jogadores do time o ‘gigante’ Deivid.

Este confronto será um divisor de águas, pois se vencermos vamos com tudo para que o objetivo de permanecer na primeira divisão seja alcançado, agora se outro resultado vier ficará cada vez mais difícil de alcançar o 1º time fora da ZR.

Já passou da hora dos jogadores se mobilizarem e nos tirarem desta situação vergonhosa que não é e nunca foi para o Clube Atlético Paranaense, peço que honrem a camisa que vestem, que honrem a si mesmos deixando de lado os problemas, que lutem até o fim, jogo a jogo, para trazer de volta a alegria de uma torcida apaixonada pelo seu clube.

Eu já tomei minha decisão, estarei junto com o Furacão até à última rodada, para quem sabe chorar de alegria por continuar na elite do futebol brasileiro (o que eu espero e acredito muito que irá acontecer) ou então chorar de tristeza por cair para uma 2ª divisão, lugar que desconhecemos a 16 anos.

Cabe a você decidir também, mas afirmo que independente da sua decisão, ela não o fará menos ou mais atleticano que os outros, pois todos estamos cheios de tanta incompetência!

Marcos Malucelli publicou uma carta na manhã de ontem, avisando que será o principal responsável pelo comando de futebol do Furacão, espero que assim como fez em 2008 ele nos livre da segunda divisão, apesar de todo planejamento errado que aconteceu desde o início deste ano desejo a ele uma boa sorte neste último objetivo como presidente do Clube Atlético Paranaense.

Deixo aqui uma frase da carta publicada por ele em 16 de setembro: “ Não importa quem é você é. Da galera da curva, da reta, da arquibancada superior ou inferior, das torcidas organizada ou do radinho. O que importa é que somos uma única nação.”

Seguiremos lutando até o fim, pois Rubro-Negro é quem tem raça e não teme a própria morte!

Beijos e SRN.

A esperança da meia cancha

A última apresentação de Marcinho com a camisa rubro-negra foi no triunfo por 2 a 1 sobre o Flamengo, em Macaé, na 23ª rodada.
Depois disso, só Departamento médico. Com sua saída, o Atlético capengou na meia cancha e não teve mais padrão de jogo.
Sua volta é vista com grande expectativa por Lopes e por toda torcida atleticana. Apesar da evolução, a escalação do meia no jogo de domingo ainda depende dos treinamentos da semana.

Renato torce para o Atlético não cair

Desempregado desde que deixou o Atlético, ele garante que dificielmente aceitaria um novo emprego ainda em 2011. "Só se fosse alguma coisa fenomenal, mas isso não aparece em final de ano. Aparecem problemas, dificuldades e é melhor esperar. Fico aqui na torcida para que o Atlético escape do rebaixamento".
Ele cita o time paranaense como exemplo de falta de preparação para o Brasileiro. "Eles acharam que dava para encarar um campeonato desses com o elenco que tinham no Paranaense. Muito time faz isso, se engana com o estadual. E eles nem ganharam o paranaense. Quem podia se enganar era o Coritiba e nã o Atlético. Então, não contrataram. Aí, quando o time estava ruim, foram atrás e não encontraram jogadores de nível alto e tudo ficou complicado", finalizou Renato.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Cada vez pior...

Alfredo Ibiapina não é mais o diretor de futebol do Atlético Paranaense. Na manhã desta terça-feira (27), o presidente do clube, Marcos Malucelli chamou para si a responsabilidade de comandar o departamento que mais tem dado problemas para o Furacão em 2011. Em um carta aberta publicada no site oficial do Rubro-negro, o mandatário afirmou que vai cuidar do futebol rubro-negro até o fim do seu mandato.

Com contratações frustradas e "Não posso colocar a culpa nos diretores de futebol que passaram por aqui, porque o presidente deu a palavra final nas contratações, salvo alguns casos em que eu acabei cedendo". afirmou Malucelli. A tomada do departamento de futebol repete uma ação já feita em 2008, quando o mandatário assumiu o posto de diretor e o time acabou se salvando do rebaixamento o time do rebaixamento.

Em coletiva, o presidente explicou que o clube procurou saber quais eram as restrições ao diretor de futebol junto ao Superior Tribunal do Justiça Desportiva (STJD) para tomar a decisão do afastamento dele. "Eu admito que também errei, é impossível acertar tudo, mas agora temos que ver daqui pra frente, nas 12 rodadas que faltam. O que ficou para trás vamos analisar no balanço da temporada", afirmou. Ibiapina deve seguir nos bastidores, apoiando a nova missão do presidente Malucelli, já que, suspenso por 140 dias, ele não pode ficar no banco de reservas nem entrar nos vestiários.

"Se você não está entre os primeiros, é porque você falhou. O duro é saber aonde você errou. Uma coisa é saber que errou e a outra é ver o que você errou. Eu sei que nós erramos porque estamos na zona de rebaixamento", finalizou o presidente.

Dois zagueiros para uma vaga

O zagueiro Gustavo Araújo, que volta a ficar à disposição após cumprir suspensão automática, treina forte para voltar ao time titular do Furacão.
Por outro lado, Fabrício, disputa a vaga no time também. Vale lembrar, que Antônio Lopes dá preferência para Gustavo, ao contrário de Renato Gaúcho, que efetivou Fabrício como titular absoluto.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Atlético com desfalques

Madson, permanece no DM
Suspensos, o volante Deivid e o lateral Wagner Diniz não enfrentam o Colorado na Arena da Baixada. Já o zagueiro Rafael Santos e o atacante Pablo foram expulsos contra o Tricolor Carioca e também ficam impedidos de entrar em campo no próximo domingo. Lesionado, Madson segue vetado pelo departamento médico e só volta a treinar na semana que vem.

Até quando? Por Elaine Novak

Bom dia a todos os guerreiros rubro-negros! A indignação e a revolta tomam conta de todos nós atleticanos desde a partida de sábado na Baixada. Além de possuirmos um time limitadíssimo na qualidade futebolística, ainda temos que jogar contra a arbitragem, e de uma forma rotineira. O que vem acontecendo esse ano é algo que não podemos deixar que continue. O que eu faria se um ladrão entrasse em minha própria casa e roubasse meus bens na minha frente? Ficaria quieta? Pois bem, é o que nossa Diretoria está fazendo. Há tempos que a arbitragem chega aqui e faz o que quer! Na única manifestação clara de reclamação, Ibiapina foi suspenso. Não temos voz ativa, não temos representatividade. E após a partida, nós torcedores, não tivemos o direito de protestar também! Pagamos sócio em dia, deixamos família e compromissos para acompanhar nossa paixão rubro-negra e quando queremos exigir respeito somos atacados por policiais despreparados. Os próprios seguranças que trabalhavam na Baixada pediam que nós torcedores saíssemos do estádio. Estávamos apenas mostrando nossa indignação e exigindo respeito dentro de nossa casa! Nem isso podemos fazer mais? Fomos assaltados durante a partida, apesar de ouvirmos até da imprensa paranaense que a arbitragem foi normal. Se ninguém que tenha autoridade dentro do Atlético toma qualquer atitude, está mais do que na hora de nós torcedores fazermos algo. Não podemos mais aceitar arbitragem mal intencionada, diretoria omissa, jogadores sem compromisso com as cores do clube e sem motivação. Temos que protestar, precisamos pensar em algo de impacto, exigir respeito à nossa fidelidade de torcedor e sócio. Está na cara que estamos lutando contra tudo e todos. A questão que fica no ar é? Até quando? SRN! twitter.com/elainenovak

Atacante só para 2012

A janela para transferências entre clubes nacionais se encerrou na última sexta-feira, 23/09. Com isso o elenco atleticano só poderá ser alterado caso algum atleta das categorias de base seja promovido, visto que o prazo para inscrições de novos atletas se encerrou junto com a janela.
Ou seja, cadê o atacante que a diretoria tanto procurou? Cadê a competência para contratar? Mais uma promessa, que essa diretoria não cumpriu.

domingo, 25 de setembro de 2011

Contra tudo e contra todos!

Fé e esperança. Por Everton Furtado

Vejo bastante gente falando por aí que o verdadeiro rubro-negro não pode se abater, que ele tem que ter fé, mas me digam, como se consegue ter fé em momentos como esse, aonde o time é limitado e ainda por cima quando consegue se superar, tem influências externas e até o fator sorte entrando em campo. Foi pênalti para eles?
Eu tenho a minha opinião, não vou falar aqui pois não é isso que quero que reflitam, o que quero que pensem bastante é o fato de estarmos desperdiçando oportunidades, o que seria aquele pênalti no final para eles se nós tivéssemos marcado o nosso? Nada, não seria nada, estaríamos com os três pontos agora. O fato de ter fé, é ato de se conseguir andar por aí com um sorriso estampado na cara pois tem 100% de certeza que o Furacão vai permanecer na série A, se alguém me disser que consegue fazer isso, eu posso até acreditar, mas para mim não é um torcedor de verdade, é o típico torcedor de final, ou o modinha, o torcedor de verdade, é aquele que a essa hora está fazendo cálculos em casa, essa hora esse mesmo torcedor já se tornou um expert em matemática, pois todos os cálculos possíveis ele já fez para saber quais são as nossas chances de permanência. Estamos caminhando para a nossa ruína e as vezes vem gente dizer que tenho que estar tranquilo pois quem é atleticano de sangue não se intimida, quer saber, eu estou desesperado, to com medo pois não enxergo alternativas para o nosso sucesso, sou rubro negro de coração e um simples pensamento de queda me causa insônias, agora esperanças sim eu tenho, pois enquanto tiver possibilidades de salvação eu acreditarei, temos que aprender a diferença entre fé e esperança, Gabriel o pensador já dizia " nem sempre se pode ter fé, mas nem sempre a fraqueza que se sente quer dizer que a gente não é forte"

sábado, 24 de setembro de 2011

Faltou comando e competência

Pênalti para o Atlético. A torcida delirava, pois sabia que a bola seria colocada com categoria, para o fundo das redes do Flu, com a competência de Paulo Baier.
Mas para espanto de todos, Cléber Santana pegou a bola, e cobrou ridiculamente no meio do gol, como se fosse um tiro de meta!
Meus Deus, o gol é imenso… Faltou é qualidade técnica para Cléber Santana, que treina a semana toda para fazer essa lambança.
Faltou também comando por parte de Lopes, que deveria ter gritado e impedido Cléber de bater.
Se o Baier é o cobrador oficial, ele que tem que bater!
Faltou comando de Lopes e qualidade de Cléber Santana!

O que esse atleta faz em campo?

Todo mundo já sabe, que Rafael Santos é fraco tecnicamente. Nesse campeonato, o zagueiro já entregou várias partidas e hoje, ele decidiu negativamente novamemnte.
Quando o time vencia por 1 x 0 e jogava tranquilamente, o atleta grosseiramente colocou a mão na bola, levando o segundo cartão amarelo, ou seja, foi expulso, deixando o time com um a menos!
O que esse atleta faz com a camisa do Atlético ainda? O que ele tem de futebol?
Chega dessa vergonha… Rafael Santos em campo nunca mais!

Aos 47 Atlético entrega o empate!

A má fase castigou o Atlético neste sábado. Pressionado por uma série de apenas um triunfo em oito rodadas do Brasileirão, o Furacão vinha dando uma alegria aos seus torcedores contra o Fluminense até os 47 minutos da etapa final. Mas o time do técnico Antônio Lopes sofreu o gol do empate por 1 a 1, marcado por Fred, de pênalti, e deixou o gramado de cabeça quente.
Com o empate, o Atlético alcança 24 pontos na classificação. Independentemente de outros resultados, o Atlético segue na zona da degola em situação extremamente complicada.
Mais uma partida, que o time mostrou falta de tranquilidade e principalmente capacidade técnica.
Tudo errado, culpa da diretoria atleticana, que de braços cruzados, assiste o time dar passos largos, para a segundona.


Hoje tem que ser o dia!!! Atlético x Fluminense

Olá rubro-negros de coração. Hoje, nosso Furacão, no desespero diga-se de passagem, enfrenta o Fluminense, às 18hs na Arena da Baixada.
Depois da derrota para o Bahia, na última quarta-feira, o time da Baixada, precisa mais do que nunca vencer!
Só a vitória interessa, vale lembrar, que temos mais de 78% de chances de ano que vem, disputarmos a segundona.
Sabendo desse desespero, o treinador Antônio Lopes irá promover mudanças no time.
Na zaga, o suspenso Gustavo dá lugar a Rafael Santos; os laterais Edílson e Héracles ficam de fora e Wagner Diniz e Marcelo Oliveira serão titulares; por fim, Cléber Santana volta de suspensão e joga no meio-campo atleticano. As mudanças nas laterais são justamente para corrigir um problema que vem incomodando o treinador.
O Atlético vem de dois jogos sem marcar gols, mas pela primeira vez desde que chegou ao clube, Antônio Lopes vai repetir a mesma dupla de ataque, com Guerrón e Santiago García, e confia que na partida deste sábado, a equipe vai converter em gols as oportunidades que vêm criando.
O treinador deve mandar a campo o seguinte time: Renan Rocha; Wagner Diniz, Manoel, Rafael Santos e Marcelo Oliveira; Deivid, Renan, Cléber Santana e Paulo Baier; Guerrón e Morro García.

Hoje tem Atléticano na rádio Mais

Hoje, a torcida atleticana, dá um verdadeiro show, no Programa A VOZ DA CAVEIRA.
Um programa totalmente atleticano, comandado por Maurício Varela, Juilão da Caveira e Suk.
O programa, fala a verdadeira situação do Atlético, sem medo de recriminação.
Será comentato tudo a péssima fase do Atlético e o que será feito para levantar esse time.
A diferença desse programa, para os outros programas esportivos, é que A VOZ DA CAVEIRA é feito por "atleticanos de verdade, que amam e vivem o Furacão intensamente".
A partir das 13hs, vale a pena sintonizar na RADIO MAIS AM 1120. E além de ouvir, você poderá participar ao vivo da programação pelo fone: 041-3282-1110, e enviar críticas, sugestões ou dúvidas, através dos e-mails : avozdacaveira@osfanaticos.com.br ou osfanaticos@redemais.am

O etreno guerreiro atleticano

Em 96, Ricardo Pinto foi um dos principais personagens do Atlético na brilhante campanha no Brasileirão. Mas as boas apresentações foram interrompidas por um ato de covardia e extrema violência de torcedores do Fluminense quando, após a vitória rubro-negra por 3 a 2, nas Laranjeiras, os jogadores do Atlético sentiram a fúria da torcida tricolor.
Ricardo foi o mais atingido, tendo que se submeter a uma cirurgia no cérebro, para a retirada de um coágulo. O que se viu em Curitiba foi uma verdadeira comoção, num misto de apoio ao jogador e raiva do adversário – rivalidade que existe até hoje entre as duas torcidas. A partir desse momento, Ricardo confessa que perdeu a empolgação com o esporte.
Mesmo depois desse incidente, ele ainda continuou no Atlético e mostrou que pra jogar no Atlético, tem que ter raça!

Fica aqui, o recado para os jogadores, que daqui a pouco enfrentam o Fluminense.
"Lutem, joguem como se fosse o último jogo de suas vidas...
Que a raça e dedicação do guerreiro Ricardo Pinto,
seja exemplo para todo o elenco atleticano"
"A CAMISA RUBRO-NEGRA, SÓ SE VESTE POR AMOR"

O abismo. Por Aline

''Eu vi o abismo na minha frente mas não consegui parar. Podia ser bem diferente, se eu parasse pra pensar, que não foi falta de aviso.'' Exatamente isso que sinto hoje, ao relatar a situação do meu amor, meu Rubro Negro. Sem mais argumentos, eu só peço que no dia 4 de dezembro, ao sair da Baixada, eu veja o Atlético na primeira divisão. Não consigo imaginar ou aceitar o contrário disso.
E não está nada fácil para nosso lado. Jogamos em casa contra o Figueirense e ficamos no 0x0. Ai contra um Bahia (fora), fomos pra cima, mais o gol sofrido em um descuido aos 30'' do segundo tempo, decretou a derrota. A sorte da rodada foi que da parte debaixo da tabela, ninguém se deu bem. Novamente nós mesmos quem nos impedimos de tentar sair da zona de rebaixamento.
Hoje temos o Fluminense pela frente. O time que ocupa o 5º lugar do Brasileirão e vem de vitória sobre o Avaí, sempre foi uma pedra em nosso sapato, e não será diferente. Apesar de não acreditar em título nesse ano, o tricolor luta sim, para ir para a Libertadores do ano que vem. Então, já sabendo do estado de nosso gramado e de nossa situação, (ambos terríveis e assustadores) Abel Braga sabe que será um jogo díficil, mais vão vir com tudo, para tentar pontuar.
Sem Marcinho e Madson, com a volta de Cléber Santana e com dúvidas sobre o companheiro de zaga de Manél, o jeito é se apegar à nossa fé, e torcer muito. Seja por raça, sorte ou intervenção divina, eu só quero ver o meu Atlético Paranaense livre de tudo isso. Eu vou acreditar enquanto houverem chances e possibilidades, porque se a vida me fez atleticana e eu fiz do Atlético a minha vida, eu não vou desistir agora. Boa sorte, para todos nós! Saudações Rubro negras!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Guérron é seleção!

Depois de fazer bons jogos com a camisa do Atlético, o reconhecimento apareceu. Guerrón recebeu uma boa notícia nesta sexta-feira: foi convocado pelo técnico Reynaldo Rueda para defender a Seleção do Equador para dois jogos.
A primeira partida acontece dia 7 de outubro, em Quito (capital do Equador), contra a Venezuela, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014. O segundo jogo, dia 11 de outubro, é um amistoso contra os Estados Unidos, em New Jersey.
"Estou muito feliz por essa convocação. É um incentivo a mais para jogar bem no Atlético", disse Guerrón, que deve desfalcar o Atlético em alguns jogos do Campeonato Brasileiro enquanto estiver com a Seleção de seu país.
Bom para o atleta, péssimo para o Atlético, que contava com o jogador, nos próximos jogos. Se a situação, já era ruim com ele, imaginem sem o único jogador, que mostra querer sair dessa ridícula situação que enfrentamos!

Furacão tem 78% de chance de cair

A 13 rodadas do fim do Campeonato Brasileiro, o site Chance de Gol, especializado em estatísticas do futebol apontou o que os resultados em campo já profetizavam para o Atlético Paranaense. Após perder por 1 a 0 para o Bahia na quarta-feira, o time se complicou ainda mais na tabela e é o 18º colocado, com 23 pontos e a quatro de deixar a zona de rebaixamento.
Só que a situação parece ainda mais complicada se considerada a missão do Furacão nas partidas que tem pela frente. Segundo as estatísticas, o Rubro-negro tem mais de 78% de chance de cair para a Segunda Divisão do Brasileiro. O levantamento considera a probabilidade de vitória do time, como mandante e fora de casa.
Como a média para se livrar da zona de rebaixamento é de 47 pontos, o Furacão ainda precisa somar mais 25 se quiser continuar respirando os ares da Série A. Nas próxima 13 partidas, o Atlético joga seis em casa e sete longe da torcida e encerra o campeonato contra o Coxa, na Arena. Até o fim do Brasileiro, o time precisa vencer pelo menos oito partidas e empatar uma.

Indecisão minha. Por Diogo Rodrigues Manassés

Existem vários temas para falar sobre o CAP (claro, nenhum deles anima). Fiquei pessoalmente indeciso sobre o foco da coluna – e ainda estou indeciso.
Poderia tratar da falta que Fabrício faz na zaga. Não que ele fosse um zagueiro excepcional, mas, ainda assim, é o melhor para figurar ao lado do Manoel.
Poderia falar sobre a constante alteração do time, feita por Antônio Lopes (algumas vezes, é verdade, não por sua culpa). Não há esquema definido, não há estratégia. Não há resultado.
Claro, eu poderia falar dos resultados. Ruins, obviamente. Perder para um time de Joel Santana é vergonhoso (falei isso no twitter). Inacreditável.
Poderia dissertar sobre o resultado do Furacão no STJD, que a nossa imprensa, de modo absolutamente burro, trata como “tapete”. Desde quando apresentar uma estratégia convincente de defesa e ser absolvido é considerado tapete?
Eu ainda poderia lembrar a convocação – em termos de técnica, justíssima – do nosso ex-goleiro Neto à Seleção Brasileira. Ele fez falta na temporada. Ele, Rhodolfo, Chico,...
Outro tema interessante é o desânimo da torcida. Muitos já desistiram. Reitero pela “enésima” vez, ainda é cedo para sentenciar. Se há matemática, há esperança. Aliás, o torcedor deve ser o penúltimo a desistir da salvação (o último é o jogador, afinal, está nas mãos dele – ou melhor, nos pés – a possibilidade de atingir o objetivo). Ainda assim, não pode o torcedor desistir, não ainda. Por mais que a situação esteja muito difícil (“salvação matematicamente improvável”), por mais que a qualidade do time desanime, e por mais que a diretoria pareça inconformada, o torcedor ainda não pode desistir.
Acabei não decidindo o tema da coluna. Enquanto eu fiquei indeciso, o CAP parece decidido (a cair. Mas não vai. Acreditemos!)...


quinta-feira, 22 de setembro de 2011

“A vaca está indo para o brejo”! Mas como sempre tentaremos não deixar! Por Célio

Na noite dessa quarta feira assistimos mais uma partida horrível do Clube Atlético Paranaense. Com algumas poucas boas chances a equipe se limitou a se defender pois a partida estava sendo até certo ponto equilibrada...Mesmo tendo em campo o ataque mais caro de todos os tempos do futebol paranaense,pouco aconteceu! Apenas com a exceção, de uma jogada vitoriosa da equipe do Bahia, aonde a equipe permitiu a chegada de um jogador que acabou conseguindo o único gol da partida. Este por cobertura sobre o goleiro Renan Rocha. Resultado pior possível para o furacão, que precisa milagrosamente de uma boa sequência de vitórias para se salvar do rebaixamento para a segunda divisão na próxima temporada! Com poucas partidas para a finalização do campeonato ainda precisamos vencer a grande maioria...Com essa bola que estamos jogando? Difícil acreditar no melhor com esse futebol medíocre que a equipe vem apresentando até agora! Até os mais otimistas estão vendo um futuro negro para o nosso furacão! Como bons Fanaticanos, que somos acreditamos até o final e lutaremos, apoiando incondicionalmente nosso Atlético para que o pior não aconteça! Que DEUS nos abençoe e nos livre do mal...amém! SRN.à todos...até sábado, no caldeirão contra o atual campeão brasileiro!

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Derrota que complica ainda mais!!!

A bola rolou para Bahia e Atlético, no Estádio Pituaçu, em Salvador. No centésimo jogo de Lopes, o rubro-negro, acabou derrotado por 1 x 0, complicando ainda mais a situação, no campeonato brasileiro.
A primeira etapa, foi marcada por uma partida truncada, onde as duas equipes se respeitaram bastante, tendo como prioridade a marcação.
O Furacão com apenas Baier no meio, não tinha jogadas e se limitava as tentativas pelas pontas, do lutador Guerrón.
A segunda etapa foi diferente. O Atlético tentou sair mais pro jogo, mas do outro lado, tinha uma equipe, que também buscava a vitória a qualquer custo.
Como no primeiro tempo, a bola pouco parava no meio atleticano, dificultando a armação das jogadas. Sendo assim, El Morro pouco fazia.
Aos 30 minutos o castigo atleticano. Atacante Junior do Bahia, recebeu sozinho na área e de cobertura, fez o gol da vitória do time da casa.
Mais uma derrota do time da Baixada, que dá passos largos para a segunda divisão!

É VENCER OU VENCER - Por Luana

Após o péssimo empate contra o Figueirense por 0x0 o Furacão tem pela frente o Bahia, time este que já enfrentamos 3 vezes no ano, 2 jogos pela Copa do Brasil com um empate por 1x1 lá e uma grande vitória por 5x0 aqui na Baixada, mas já pelo Brasileiro a coisa foi diferente perdemos dentro de casa por 0x2, lembro-me bem que naquele jogo não consegui conter as lágrimas, não por ter perdido o jogo em si mas sim por ver jogadores sem raça e apáticos dentro de campo. Águas passadas, vamos pro jogo de hoje que acontecerá às 20:30 em Pituaçu, Lopes confirmou a volta de Marcelo Oliveira e Morro, enfim poderemos ver à dupla de ataque mais cara da história do futebol paranaense, estou ansiosa, o time deve ir a campo no 4-4-2 com Renan Rocha, Edílson, Manoel, Rafael Santos, Heracles, Deivid, Marcelo Oliveira, Renan Foguinho (já que Cléber Santana foi à julgamento ontem e pegou 2 jogos de suspensão, um deles já cumprido frente ao Flamengo), Paulo Baier, Guérron e Morro Garcia. Com Paulo Baier sendo o único meia, já que Marcinho e Mádson estão no DM.

O retrospecto contra o Bahia é bom dos 19 jogos disputados foram 9 vitórias do Furacão, 5 empates e 5 derrotas, já nos confrontos diretos contra o rebaixamento neste ano, o Furacão não foi bem, sofreu 3 derrotas e 2 empates.

Jogo decisivo, vamos torcer muito nação rubro-negra, o Furacão precisa de nós mais do que nunca, a cada jogo será uma batalha à ser vencida e digo batalha dentro de campo porque fora dele precisamos da união de todos, como bem diz a música ‘ o Atlético nos une e a união nos fortalece ..’

Assuntos de terça: Robston não é mais jogador do Furacão, foi emprestado ao Sport pelo Atlético-GO, clube que ainda possui todos os direitos do atleta. Antes de chegar aqui Robston foi muito esperado por boa parte dos torcedores atleticanos, chegou, mas não conseguiu atuar bem nas partidas que jogou.

Julgamento STJD: Após a péssima arbitragem do Sr. Marcelo de Lima Henrique no jogo contra o Palmeiras, o Furacão foi a julgamento triplo ontem. Cléber Santana pegou 2 jogos de suspensão (um deles cumprido contra o Flamengo e o outro cumprirá hoje), Ibiapina ficará suspenso por 140 dias e terá de pagar multa de R$ 1 mil reais, já o clube não perderá mando de campo apenas pagará multa no valor de R$ 20 mil reais. Deixo aqui o meu agradecimento ao grande profissional Domingos Moro, que nos livrou de males maiores.

Torcida atleticana vamos torcer para mais uma vitória do nosso amado Clube Atlético Paranaense.

Beijos e SRN.

JÁ FOI TARDE!

O volante Robston, que tem seus direitos federativos ligados ao Atlético-GO, acertou nesta terça-feira sua transferência para o Sport, que o terá para a sequência do Campeonato Brasileiro da Série B, em que a equipe ocupa o quinto lugar.
Antes de chegar ao clube pernambucano, Robston estava emprestado ao Atlético-PR, que viveu uma novela para trazer o volante no mês de março. Em 20 partidas, o jogador não conseguiu se tornar titular do Furacão, que não relutou em liberá-lo.
Após o empate em 1 a 1 com o Duque de Caxias, que não permitiu a entrada no G-4 da Série B, o Sport aposta as fichas no experiente volante de 29 anos, que estava treinando normalmente e já deve ficar à disposição do técnico PC Gusmão na próxima terça-feira, quando a equipe vai a Florianópolis encarar o Criciúma.
Robston recusou uma proposta oficial da Ponte Preta por preferir trabalhar sob a batuta de PC Gusmão, que o escalou como terceiro homem de meio-campo no próprio Atlético-GO, na época em que o jogador se destacou e foi especulado como reforço de equipes como Santos e Palmeiras.
Com passagens por Botafogo, Gama e Brasiliense, o volante tem 29 anos e viveu a melhor fase de sua carreira no Dragão, onde jogou em 2007 e depois entre 2008 e 2011 quando, no mês de janeiro, foi afastado por indisciplina.
O empréstimo ao Sport vale até o final do ano, quando a equipe poderá exercer o poder de compra do qual tem preferência.

FICOU BARATO...FURACÃO POUCO PUNIDO!

Os incidentes ocorridos no empate do Atlético-PR por 2 a 2 contra o Palmeiras, partida que teve Marcelo de Lima Henrique como árbitro causaram prejuízo para o clube rubro-negro nesta terça-feira. O diretor de futebol Alfredo Ibiapina foi suspenso por 140 dias e recebeu multa de R$ 1 mil. Já o volante Cleber Santana pegou um gancho de dois jogos.

Ibiapina foi denunciado em três artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) e poderia ser suspenso por 450 dias. No 258-B, por invadir o gramado no intervalo e, depois, permanecer no banco de reservas, a pena varia de 15 a 180 dias. Ele também foi enquadrado no 258 (assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva), que prevê os mesmos períodos de suspensão. No 243-F, por ofensa, a pena é de multa entre R$ 100 e R$ 100 mil e suspensão que varia de 15 a 90 dias.

O dirigente explica que foi ao gramado no intervalo, atitude que costuma tomar em todas as partidas. "Fiquei ali para perguntar para ao árbitro o motivo pelo qual ele estava prejudicando o Atlético-PR. Para a minha surpresa, o árbitro me recebeu com palavras de baixo calão e disse que não ia falar comigo. Confesso que perdi a cabeça, fiquei nervoso porque o clube está numa situação delicada no Campeonato Brasileiro e não merece isso", disse o dirigente, de acordo com o site Justiça Desportiva.

Ele fez as reclamações atrás de um dos gols e foi expulso dali, mas não se intimidou. Voltou ao vestiário, trocou de agasalho e dirigiu-se ao banco de reservas. Ele diz que gostaria de ser visto por Marcelo de Lima Henrique para que o árbitro "parasse de prejudicar sua equipe". De acordo com Ibiapina, o juiz o ofendeu ao notar sua presença.

"Você ainda está aqui, seu m...?", teria dito o árbitro. Alfredo afirma ter respondido, dizendo que ele não poderia falar daquele jeito na Arena da Baixada. Em seguida,assumiu ter cometido as infrações pelas quais foi julgado.

Cleber Santana, por sua vez, foi enquadrado nos artigos 258 (assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva) e 243-F (ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto). Após receber o segundo cartão amarelo e ser expulso, o jogador aplaudiu ironicamente a decisão do juiz e, na sequência, o teria ofendido.

Com os dois jogos de gancho, Cleber está fora da partida contra o Bahia, nessa quarta-feira. Como já cumpriu a suspensão automática, estará livre para o compromisso seguinte.

O Atlético-PR foi julgado por permitir que o dirigente agisse dessa forma, mas escapou da perda de mando de campo. No entanto, foi multado em R$ 20 mil.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Tropeços e mais tropeços - Por Elaine Novak

Bom dia a essa Torcida Lutadora como nenhuma outra! Pois é, titubeamos novamente! Em um jogo horroroso, de tirar qualquer um do sério, o Atlético pouco criou e muito irritou a torcida presente na Baixada. Sem qualquer criatividade, o time rubro-negro pouco ameaçou a meta do goleiro Wilson e terminou o jogo contra o Figueirense num empate sem gols. Nossa dupla de ataque formada por Rodriguinho e Adaílton nada fez e nosso meio de campo quase não criou. Na segunda etapa a entrada de Paulo Baier melhorou o trabalho de bola no meio de campo, mas não o suficiente para chegarmos ao gol. Nieto perdeu as duas melhores chances da partida. Em uma delas, Madson, que esteve mal no jogo, tocou a bola de frente para o gol, e o argentino chutou fraco de esquerda, nas mãos do goleiro Wilson. Na outra, em cruzamento de Edilson, Paulo Baier fez o corta-luz, e dessa vez o atacante “furou” o chute, deixando nós, torcedores, desesperados. Pra fechar, erros de passe de tirar a paciência e nossos laterais com cruzamentos de chorar, deixaram o jogo com cara de “pelada”. Não podemos mais nos iludir, estamos na corda-bamba, nosso barco está furado e a água está entrando, estamos colhendo o que nossa diretoria amadora plantou! Empurraremos com a barriga até o final do campeonato e, queira Deus, tenhamos a chance de terminar isso tudo na série A, que será muito lucro. Na quarta, confronto direto contra o Bahia, e se não fizemos a lição de casa, somos obrigados a fazer fora. Destaque mais do que negativo para as Torcidas Organizadas, que protagonizaram brigas e confusões, dentro e fora da Baixada, deixando clima e espírito ainda pior. www.twitter.com/elainenovak

domingo, 18 de setembro de 2011

Lopes, elogiou a volta de Baier

Para o treinador, a entrada de Paulo Baier deu mais organização ao meio-campo atleticano. "Não fomos bem na nossa parte ofensiva no primeiro tempo, faltou criatividade. Quando o Paulo entrou, o time foi outro e nós tivemos oportunidades, tocamos melhor a bola. Melhoramos no segundo tempo, o Nieto atrapalhou a zaga do adversário, mas o gol não veio", completou.
Lopes também creditou a queda de produção do Atlético às ausências de Marcinho e Marcelo Oliveira, ambos com lesões musculares. "As saídas do Marcinho e do Marcelo contribuíram para a queda de produção da equipe. Esses problemas influenciaram na nossa atuação sim", resumiu o treinador.

Desanimador!

Em um péssimo resultado jogando em casa, o Atlético Paranaense não passou de um empate sem gols diante do Figueirense, na Arena da Baixada. A igualdade no placar vai contra os planos do time de não perder pontos jogando em Curitiba e deixa por mais uma rodada a equipe rubro-negra na zona de rebaixamento. O Figueira, por sua vez, vai se distanciando do sonho da Libertadores.
Depois de um início de partida com algum domínio do Furacão, os catarinenses equilibraram as ações. Mas a posse de bola, de ambos lados, não significava oportunidades de gols criadas. Depois do intervalo, o equilíbrio se repetiu, além das poucas chances para balançar as redes, mesmo com uma pressão final atleticana.
Mais um péssimo resultado, que deixou todos os torcedores ainda mais preocupados, com a segunda divisão, que parece não ter escape!
Na próxima rodada, o Atlético Paranaense volta a campo na quarta-feira, quando encara o Bahia, no Estádio Pituaçu, em Salvador.

(Tabu x Má fase) + Desespero - torcida + Raça +(Sorte) = Empate Por Everton Furtado

Se pudéssemos fazer uma equação matemática com a situação do jogo de hoje com o Figueirense seria algo parecido com o título da coluna, afinal temos um tabu de nunca ter vencido o figueirense em casa, o que é uma verdadeira vergonha, eles não são nem um time de ponta para nunca termos conseguido esse marco, mas enfim, multiplicando então o tabu pela má fase, claro, não vamos ser totalmente otimistas, o time começou a querer se achar em campo, sendo assim fazendo essa conta, logo teremos um resultado um pouco elevado, e somando então com o desespero de sair dessa situação complicada que é a zona de rebaixamento, temos um valor bem superior ao que podemos ter, mas nem tudo está perdido, também temos fatores positivos ao nosso lado, vejamos bem, temos uma torcida inflamada, maravilhosa, que quando acende injeta raça nos jogadores, tá, tudo bem, nem sempre, mas não podemos jogar a culpa na torcida e sim nos jogadores que quando não querem jogar, nenhuma torcida do mundo acendo o cara. Pegando a nossa equação novamente, temos aquele valor negativo super elevado que diminuindo a nossa torcida adicionada pela raça, temos uma valor quase neutro. Alguns vão me perguntar, a mas você esqueceu de adicionar o fator casa, ultimamente, pelo menos neste campeonato, não temos esse fator, todos sabem disso, empatamos com o flamengo em casa e ganhamos do flamengo lá. Sendo assim, sobra a sorte, que teremos de somar pois não sabemos o valor exato dela, já que seu valor costuma variar bastante jogo após jogo, caso tenha um valor pequeno hoje poderemos sair com a derrota caso contrário com a vitória, após o jogo hoje colocarei o resultado no título da coluna para podermos saber o verdadeiro resultado dessa equação.
Atenção torcida atleticana. Hoje é mais uma batalha, que precisamos de qualquer maneira, vencer!
O Atlético, entra em campo, logo mais às 16hs, para enfrentar o Figueirense, na Arena da Baixada, o conhecido Caldeirão do Diabo.
O time catarinense, pode se gabar de nunca ter perdido na Baixada, uma proeza para poucos adversários!
Mas hoje, a parada vai ser outra e com o apoio da torcida rubro-negra, vamos em busca de mais uma vitória, que nos permitirá dormir, fora da temida zona de rebaixamento.
Lopes, não poderá contar com Marcinho e Marcelo Oliveira e já tem o time no papel, com as alterações necessárias.
Fiz experiências na parte tática e coletiva. Acho que não vai dar pro Marcinho, então fiz com o Madson para fazer o papel que o Marcinho estava fazendo", confirmou Antônio Lopes, que ainda terá o retorno do volante Cléber Santana ao meio-campo.
No banco mais novidades. Três jogadores que não atuavam há algum tempo ficam à disposição do delegado. Paulo Baier, que não joga desde o dia 09/07, Santiago García - desde o dia 13/08 - e Federico Nieto - desde o dia 09/07 - foram liberados pelo departamento médico, treinaram e estão prontos para a partida contra o Figueirense.
O Furacão entrará em campo com: Renan Rocha; Edilson, Manoel, Rafael Santos e Héracles; Deivid, Renan, Cléber Santana e Madson; Adaílton e Rodriguinho.

sábado, 17 de setembro de 2011

Que venha o Figueira. Por Aline

E lá vamos nós, em mais uma batalha contra os números e essa tabela maldita. Diante do figueirense, veremos a nova oportunidade dada para Rodriguinho, a volta de Madson, e a falta que Marcinho fará. Além disso, veremos a nossa casa cheia e temos que esquecer o que já aconteceu esse ano, porque já passamos da metade de setembro e não temos condição alguma de perder nem meio ponto em casa mais. Eu, você, NÓS somos essenciais.
Até porque, enfrentaremos bem mais que um figueirense que oscila ruins e bons momentos. Enfrentaremos nós mesmos, que, já não bastasse o fato de estar nessa posição horrorosa da tabela, temos um tabu para quebrar. E vamos em busca de águas mais calmas, com a ajuda de tropeços de nossos adversários.
Eu só vou reforçar o que sempre digo: faça a SUA parte. Vá à Baixada, cante, grite, tenha fé e calma, para ser realmente um reforço para o time. Faça com que Renan Rocha; Edílson, Manoel, Rafael Santos e Heracles; Deivid, Renan Foguinho, Cléber Santana e Madson; Adaílton e Rodriguinho sintam a responsabilidade sim, mais que sintam também que o apoio à instituição é e sempre será imutável. Como diz na carta que o clube mandou aos sócios por e-mail, a força do Atlético está em todos nós. Juntos, sairemos dessa! Saudações Rubro Negras.

Hoje tem Programa a Voz da Caveira

Hoje, a torcida atleticana, dá um verdadeiro show, no Programa A VOZ DA CAVEIRA.
Um programa totalmente atleticano, comandado por Maurício Varela, Juilão da Caveira, Suk e Bruna.
O programa, fala a verdadeira situação do Atlético, sem medo de recriminação.
Será comentato tudo a péssima fase do Atlético e o que será feito para levantar esse time.
A diferença desse programa, para os outros programas esportivos, é que A VOZ DA CAVEIRA é feito por "atleticanos de verdade, que amam e vivem o Furacão intensamente".
A partir das 13hs, vale a pena sintonizar na RADIO MAIS AM 1120. E além de ouvir, você poderá participar ao vivo da programação pelo fone: 041-3282-1110, e enviar críticas, sugestões ou dúvidas, através dos e-mails : avozdacaveira@osfanaticos.com.br ou osfanaticos@redemais.am

Marcinho não enfrenta o Figueira

O técnico Antônio Lopes não é adepto do mistério, e logo após o treinamento de ontem, já confirmou o time que vai a campo no domingo, na partida contra o Figueirense, a partir das 16h, na Arena da Baixada.
Sem poder contar com o volante Marcelo Oliveira e o meia Marcinho, ambos vetados pelo departamento médico por conta de dores musculares, o treinador escala Renan e Madson no meio-campo rubro-negro. Como Guerrón está suspenso e Madson foi deslocado para a meia cancha, a dupla de ataque será formada por Adaílton e Rodriguinho.
O volante Cléber Santana volta ao time titular depois de cumprir suspensão na última rodada. Sendo assim, o Furacão está pronto para enfrentar o Figueirense e vai a campo com a seguinte formação: Renan Rocha; Edílson, Manoel, Rafael Santos e Héracles; Deivid, Renan Foguinho, Cléber Santana e Madson; Adaílton e Rodriguinho.
O meia Paulo Baier e o atacante Santiago García, recuperados de lesões, devem ficar no banco de reservas à disposição para o decorrer da partida.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

1º Evento - Caveira Tattoo

No dia 1º Outubro(sábado), a partir das 13hs será realizado na Sede o 1º Evento de Tatuagens da Torcida Os Fanáticos.
As Tatuagens serão limitadas, você pode garantir a sua antecipadamente na Secretaria da Torcida.

Neste evento serão feitos apenas esses 2 modelos acima
Valores :
Tatuagens de 6 Cm :R$ 40, 8 Cm :R$ 60, 10 Cm :R$ 80 e 12 Cm :R$ 100.

Menores de idade poderão fazer as tatuagens com autorização do responsável.

Mais informações pelo telefone : 3079-1977


O Espaço Atlético, possui a galeria de fotos de tatuagens atleticanas.
Clique aqui e envie a sua.

Convenhamos. Por Diogo Rodrigues Manassés

Convenhamos, boa parte da torcida já sentenciava o Furacão como rebaixado. A mídia – nacional e regional – eu nem cito, pois esta, mesmo antes de o Brasileirão começar, já decreta o rebaixamento. Contudo, com a vitória contra o Flamengo, fora de casa, vitória essa convincente (tendo em vista a proposta de jogo), alguns mudaram de opinião. Sim, ainda existe atleticano que tem certeza que o time cai – a considerar o número de vitórias necessárias, de fato, a caminhada é extremamente difícil.

Convenhamos, a vitória contra o Flamengo foi bastante inesperada (considero o torcedor razoavelmente racional, não aquele fanático iludido, que sempre espera a vitória – torcer é diferente de esperar). Mas deu ânimo, e, principalmente, esperança, também inesperados.

Convenhamos, se não tivéssemos vencido essa partida, provavelmente a maioria não estaria otimista como está contra o Figueirense. É evidente que a vitória é necessária. Mas, agora, é possível. Com o apoio da torcida, provável.

Convenhamos, Antônio Lopes surpreendeu. Ainda foi muito pouco trabalho (e, pessoalmente, ainda discordo pontualmente da escalação, a começar pela retirada incompreensível do zagueiro Fabrício e a insistência em atacantes inúteis como Rodriguinho e Adaílton, em detrimento dos promissores da base), mas a esperança ressurgiu. Era um técnico considerado ultrapassado, e, a julgar pelos últimos trabalhos, muitos consideravam que era quem iria nos afundar. Cheguei a ler no twitter que ele não vai sequer terminar seu contrato. Claro, o futuro é imprevisível. Mas, em poucos dias, muito mudou: agora Lopes, que tem identificação com o Furacão, é um técnico inteligente e sabe de futebol como poucos.

Convenhamos, o sentimento da torcida muda jogo-a-jogo. E, convenhamos, sentenciar algo no presente momento é, ainda, precipitado. Tem muito campeonato pela frente. SRN.


quinta-feira, 15 de setembro de 2011

A parada é com os mais vividos...

O delegado, em entrevista a Radio Banda B, foi categórico em ralação ao time atleticano.
Quem tem que decidir a parada, são os mais vividos, os mais experientes. Essa foi uma resposta dada, em pergunta sobre utilizar ou não, o garoto Pablo.
Na opinião de Lopes, um grande jogador, pode ser queimado por uma campanha irregular do time, que sequer ele participou.
Disse também, que se fosse pra ter colocado o garoto, teria que ter sido no começo do campeonato, quando a casa estava em ordem.
Perder um grande jogador, por uma campanha péssima de outros jogadores é a maior injustiça desse mundo, finalizou Lopes.

Problemas e mais problemas... Por Célio

Quando a fase é complicada TUDO acaba interferindo. Mesmo estando todos focados na recuperação e reabilitação no campeonato, até as boas notícias acabam se tornando problemas. Agora que o time começou à tomar forma e parece estar engrenando a ótima notícia do “esvaziamento” do DM acaba gerando mais preocupações para nosso comandante. O lado bom da coisa é que melhor ter gente de sobra do que não ter com quem contar nas posições. Agora teremos mais dois atacantes, e várias peças importantes brigando pelas vagas, incluindo o maestro Paulo Baier. O que nos anima é que agora parece que as coisas começarão a dar certo para o furacão. A equipe teve a semana cheia para aprimorar o condicionamento físico bem como os treinamentos. A próxima partida é contra a equipe do Figueirense que está em franca ascensão e merece ser muito respeitada porém jamais temida. As últimas partidas podem provar bem isso, visto que foram resultados bem expressivos. Nesse domingo teremos uma partida megaimportante para nos firmarmos no campeonato e também,se contarmos um pouco com a sorte, podermos sair da famigerada ZR. Então nos encontraremos todos lá na nossa querida baixada para apoiar incondicionalmente como sempre apoiamos e ajudar o furacão conquistar essa vitória tão importante! SRN. à todos!

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Espírito de time. Por Luana Kaseker

Sinto-me honrada em agora fazer parte desta belíssima equipe do Espaço Atlético.

Começo compartilhando com vocês um simples texto que li dias atrás.

“É preciso ser um time para vencer. É preciso que tenhamos consciência de que um time é muito mais que um conjunto de pessoas, uma equipe ou um grupo. O time tem um objetivo e uma missão: vencer o jogo. E aqui vão seis características essenciais que fazem o ”Espírito de time” que tanto precisamos hoje:

1. A primeira coisa a fazer é recrutar e selecionar os melhores jogadores. Todos sabem que sem bons jogadores, vencer é praticamente impossível.

2. Depois de formado o time, ele tem que treinar. Treinar muito! Treinar sem parar!

3. E não basta treinar. É preciso ter boas estratégias e táticas eficazes para cada situação. É preciso conhecer os adversários. É preciso estudar, usar a inteligência. Treinar sem estratégia definida pode ser perda de tempo.

4. Para isso é preciso ter um bom treinador, um verdadeiro líder que consiga tirar o melhor de cada um dos jogadores nas várias situações de jogo e de adversários, que desenvolva essas estratégias e táticas para vencer - e isso ele faz com a ajuda de profissionais especializados e de uma comissão técnica.

5. Num time os talentos individuais são fundamentais, mas não basta o treinamento individual. Nos treinamentos coletivos é que se forma o espírito de time - “um por todos, todos por um” para fazer o time vencer.

6. E ainda motivação, concentração, conforto, qualidade de vida, boa saúde física e mental são essenciais para que os membros do time estejam em condições de dar tudo o que podem para que o objetivo seja atingido: vencer! “.

Possuímos todas as seis características, mas temos uma que é indispensável - Nossa torcida: e nós como torcedores apaixonados pelo Clube Atlético Paranaense, temos que acima de tudo apoiar para que deixemos de uma vez por todas esta ZR que vem nos atormentando desde o início do campeonato.

São estas 7 características junto com a dedicação e raça dos jogadores que nos manterão na elite do futebol brasileiro, domingo é dia de ir para Baixada cantar com alegria, cantar de coração ..

Beijos e SRN a todos.