domingo, 31 de julho de 2011

Marcinho, cala a torcida santista!!!

Quando o empate estava definido, Marcinho apareceu. Cleber Santana fez a jogada no meio, Wagner Diniz recebeu na direita e cruzou. Após desvio no meio da área, Marcinho apareceu sozinho para mandar de cabeça e garantir a vitória atleticana, que tira o Furacão da lanterna do Campeonato Brasileiro.
Marcinho, depois que voltou ao Atlético, fez grandes partidas e se tornou uns dos principais jogadores desse elenco!
Valeu Marcinho!!! Sabemos de seu potencial...

Esse é nosso Atlético!!!

No último minuto regulamentar, suado, com gramado encharcado e contra o badaldo Santos. Assim foi a vitória do Atlético, por 3 a 2, na noite deste domingo, na Arena da Baixada.
Cleber Santana, com um golaço, Manoel e Marcinho marcaram para o Furacão. Neymar e Borges descontaram para o Santos. Com a vitória, o Atlético chegou aos oito pontos e deixou a lanterna do Brasileirão. Já o Santos segue na zona de rebaixamento, com 11 pontos.
A força da torcida atleticana e a raça dos jogadores, foram fundamentais para esse grande vitória, no Caldeirão do Diabo!!!
Na próxima rodada, o Atlético vai até o Serra Dourada encarar o xará goiano, na quinta-feira, às 21h.

Gol, gol, gol... Por Everton Furtado

Estou há horas assim, chamando o gol para que não falte hoje. Vitória. Somente isso pode acontecer hoje, qualquer outro resultado irá ser um desastre para nós. Quando pensei que estávamos saindo daquela maldita fase, me vem o Ceará e mostra que ainda não devemos nos exaltar. Até agora não consigo entender como foi que conseguimos perder aquele jogo, estava em nossas mãos, eu poderia ficar levantando 500 hipóteses para explicar aquele jogo, mas a verdade continua sendo uma só, não temos nenhum jogador que saiba chutar a gol, alguns nota-se que se treinarem duro conseguem chegar ao um bom nível, mas outros é claro que podem até fazer macumba que continuarão fedendo de ruim, mais um jogo que vimos 3 pontos ir embora. O jogo contra o peixe hoje irá ser complicado, pois não iremos jogar apenas contra o santos, iremos jogar contra o time, a imprensa, o favorecimento pela estrelinha do Brasil, o Neymonstro, talvez o juiz, já que sabemos que esse nos meteu a mão em jogos passados, enfim, jogaremos contra muitos, mas isso nunca foi novidade no Atlético e nunca foi motivo para nos preocuparmos, opa pera aí, isso foi em tempos passados, aonde jogávamos com raça e amor a camisa, hoje não temos nada parecido com aquela época. E agora? Não nos resta nada a não ser torcer e incentivar esse time que amamos a ponto de fazermos loucuras por ele e que há semanas nos faz sofrer. Pra cima deles Furacão, gol gol, gol...

Atlético recebe o Santos, com a força da Baixada

Vai ferver o Caldeirão...
O Furacão precisa do seu apoio!
O Atlético passa por momentos difíceis no Campeonato Brasileiro, principalmente após permitir a virada do Ceará na última rodada, perdendo a chance de conquistar sua segunda vitória e deixar a lanterna da competição.
O técnico Renato Gaúcho, que tenta encontrar uma equipe ideal para o Furacão, mas sofre com atletas suspensos e lesionados, além da escassez de peças de reposição, terá mais dois problemas. O zagueiro Gustavo Lazzaretti foi expulso na derrota para o Vovô e cumpre suspensão automática. O meia-atacante Mádson recebeu o terceiro cartão amarelo, mas ficaria de fora de qualquer forma por questões contratuais.
O comandante rubro-negro lamentou muito a perda dos pontos em Fortaleza após ter o jogo nas mãos até os 38 minutos do segundo tempo, mas mostra confiança em um bom resultado em casa pela evolução do time. "Foi a melhor atuação do time sob o meu comando. O Atlético vem crescendo a cada jogo e jogando bem. (Mas) a bola pune. Tivemos três chances claríssimas. Poderíamos ter saído com os três pontos", avaliou.
As principais opções para o lugar dos suspensos já atuaram no segundo tempo da partida diante do Ceará. No ataque, Rodriguinho, que fez sua estreia, disputa a vaga com Adaílton. Na defesa, Rafael Santos é a primeira opção. O zagueiro Manoel, os atacantes Guerrón e Nieto, o meia Paulo Baier e os volantes Paulo Roberto e Wendel, necessitam de reavaliação do departamento médico.

  • Atlético: Renan Rocha; Edilson, Manoel, Fabrício e Paulinho; Deivid, Cleber Santana, Kleberson e Marcinho; Rodriguinho (Branquinho) e Santiago García. Técnico Renato Gaúcho
  • Santos: Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Ibson, Elano e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges. Técnico: Muricy Ramalho
  • Local: Estádio Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
  • Data: 31 de julho de 2011, domingo
  • Horário: 18h30 (horário de Brasília)
  • Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
  • Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (Fifa-RJ) e Francisco Pereira de Sousa (RJ)

sábado, 30 de julho de 2011

Atlético x badalados do Santos. Por Aline

Sim, todos nós ficamos tristes em perder para o Ceará, de virada. Mas, não temos tempo para nos abater.A batalha de amanhã não nos permite. Na situação atual, não podemos perder nenhum ponto em casa e, diante do Santos de Neymar, a dificuldade será grande em conquistar a vitória. Ouvi uns ''atleticanos'' dizerem que é impossível vencer, mais dentro de campo, é 11 contra 11 e não tem nada perdido.
O jogo de amanhã será um grande desafio. Sem contar com Madson, Gustavo e Manoel (que é dúvida ainda), nosso time terá diversas dificuldades para enfrentar o badalado time do santos. Também é necessário ter atenção redobrada em Neymar e Ganso.
O provável onze rubro negro será formado por: Renan Rocha; Edilson, Manoel, Fabrício e Paulinho; Deivid, Cleber Santana, Kleberson e Marcinho; Rodriguinho (Branquinho) e Morro García. É preciso muita atenção para não cometer errados bobos, que podem ser cruciais. Eu acredito em ti, meu Atlético.
Então, amanhã é novamente erguer a cabeça e esquecer os últimos resultados. Lembrando que nosso adversário virá ''mordido'' para esse jogo, é necessário se impôr e fazer valer o nosso mando de campo. Não importa a quantidade de pontos que temos e se a qualidade de nosso elenco ainda é duvidosa, devemos sempre pensar que é o Atlético Paranaense quem está em campo e tão somente, por ele, deixaremos tudo de lado para ir à Baixada. Que essa partida seja uma daquelas dignas de entrar para a história, positivamente.
Saudações Rubro Negras!

Manoel deve voltar ao time

Manoel desfalcou o Atlético nas partidas contra o Botafogo e Ceará por conta de problemas na coxa, mas foi liberado ontem pelo departamento médico rubro-negro e participou normalmente das atividades de hoje. Ele deve substituir o zagueiro Gustavo, expulso de campo na última quinta-feira, na derrota para o Ceará.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Rafael Santos, o chama gol!

O Atlético jogava bem, e vencia o jogo de ontem, até os 38 minutos do segundo tempo. Bastou o Ceará mandar a bola na área, que Rafael Santos entregou.
Rafael Santos em campo, foi um desastre. Ele foi o responsável, por mais uma derrota do Furacão.
Rafael, não é um mal zagueiro, mas está numa fase terrível e o melhor que nossa diretoria pode fazer no momento, é emprestar ou vender o jogador.
No momento, Rafael Santos é o famoso CHAMA GOL!!!

Renato gostou do time

Apesar da derrota, Renato Gaúcho destacou a evolução que a equipe apresenta a cada jogo. “Ontem a equipe foi melhor do que contra o Botafogo, mas no futebol o que fica é o resultado. Eu fico triste pela apresentação da equipe, pois foi a melhor sob o meu comando.”
Mas o treinador não deixou de lado em nenhum momento os erros cometidos pela equipe, principalmente no setor ofensivo. “Temos que aprender com os nossos erros também. Hoje o Atlético é culpado por não sair com os três pontos”, afirmou o comandante do rubro-negro.

Otimismo. Por Diogo Rodrigues Manassés

1) É notório que Renato Portaluppi fez o time melhorar. Talvez se fosse ele o técnico desde o começo do campeonato, estaríamos em uma situação melhor. Melhorou, mas ainda precisa melhorar mais e obter resultados. Contra o Ceará foi uma excelente oportunidade. Mas a melhora é um alento.
2) De um lado, Renato errou ao tirar Marcinho e colocar Robston. Contudo, com o banco que ele tem, é realmente difícil fazer alterações. Outra: que o técnico esqueça a possibilidade fática de colocar 4 volantes em campo (lamentável precedente trazido pelo Adilson). É inadmissível.
3) Kléberson e Cleber Santana não merecem ser titulares. O primeiro, apesar da vontade, não jogou bem nenhuma partida. O segundo até está melhorando e talvez até possa ser titular, mas não com a braçadeira de capitão. É uma desonra a todos os verdadeiros capitães que o Furacão teve.
4) Renan Rocha, Fabrício e Deivid são ótimos titulares. Mas precisam de companheiros, os que agora estão no sistema defensivo só servem para a reserva.
5) Robston e Rafael Santos precisam, com urgência, ser dispensados. O primeiro, por absoluta imperícia futebolística, o segundo, por azar infinito.
6) Contra o Santos é um jogo difícil, mas o alvinegro praiano não é invencível.
7) Os resultados não aparecem, chances são desperdiçadas. Mas há luz no fim do túnel. Confio em um futuro melhor.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Não deu!

O Atlético Paranaense vencia o Ceará até os 38 minutos de jogo, quando permitiu a virada e terminou mais uma rodada na lanterna do Campeonato Brasileiro 2011. O volante Cléber Santana, mesmo após a ducha de água fria, tenta animar o grupo para a sequência de jogos, mas admite que a equipe falhou, especialmente ao perder oportunidades claras de matar a partida.
"Não podemos abaixar a cabeça. Se houve erro, foi coletivo. Estamos de parabéns pela dedicação, mas não pode cometer esse tipo de erro, com o resultado na mão. Criamos as oportunidades claras e não concluímos o segundo gol, que liquidava a partida", afirmou o jogador, que lembrou que o próximo desafio é uma pedreira. "Agora vamos reagir dentro de casa contra o Santos", completou.
O lateral Paulinho resumiu bem o sentimento do time, que se sentiu castigado por não ter definido no período em que dominou o jogo e criou as chances. "Foi um castigo. A bola pune. Tivemos a chance e não matamos o jogo. Tomamos dois gols no finalzinho. Foi assim também contra o Vasco. Jogamos bem, mas não adianta jogar bem e não ganhar", finalizou.

Atlético enfrenta o Ceará, tentanto embalar no nacional

Na mágica e fantástica cidade de Fortaleza, o Furacão pega o Ceará, nesta quinta-feira, às 21h, no estádio Presidente Vargas, tentando conquistar mais uma vitória e embalar de vez na briga para fugir da zona de rebaixamento do Brasileirão.
"Temos que pensar jogo a jogo. Depois do jogo contra o Botafogo somamos cinco pontos, agora é contra o Ceará chegar aos oito e fazer a nossa parte, independente dos adversários. Subindo degrau por degrau, daqui umas três rodadas vamos sair desta situação", esquematizou o meia Cléber Santana.
O técnico Renato Gaúcho terá novamente cinco desfalques para o duelo: o zagueiro Manoel, o meia Paulo Baier, o volante Paulo Roberto e os atacantes Guerrón e Nieto, todos lesionados.
Porém, pela primeira vez na competição, o Atlético pode repetir a mesma escalação do último jogo. Além disso, o atacante Rodriguinho, recém-contratado, foi regularizado no BID e poderá atuar, provavelmente como opção para o segundo tempo.
Se vencer, o Furacão vem forte para enfrentar o time do Santos, que perdeu para o Flamengo, ontem de noite, em um jogo memorável.
Chegou a hora de embalar! Hoje tem que ser o dia!
FICHA TÉCNICA
CEARÁ X ATLÉTICO
  • Ceará: Diego, Boiadeiro, Diego Sacoman, Fabrício e Vicente; Michel, João Marcos, Heleno e Felipe Azevedo; Osvaldo e Washington. Técnico: Vágner Mancini
  • Atlético: Renan Rocha; Edilson, Gustavo, Fabrício e Paulinho; Deivid, Cleber Santana, Kleberson e Marcinho; Madson e Morro García. Técnico: Renato Gaúcho
  • Data: 28/07/2011
  • Local: Esádio Presidente Vargas - Fortaleza (CE) - 21h
  • Árbitro: Pablo dos Santos Alves (RJ)
  • Auxiliares: Fabiano da Silva Ramires (ES) e José R. Maciel Linhares (ES

Ânimo novo! Por Célio

Novamente como no ano passado, vencemos a equipe do Botafogo-RJ numa partida emocionante. A torcida como sempre dando show e empurrando o time rumo à vitória. Eram mais de 14.000 pessoas torcendo pelo nosso time que se encontra na última colocação do campeonato e numa situação vexaminosa com apenas dois pontos na classificação, obtidos em dois empates. Após essa vitória quando o time jogou uma partida até razoável, os ânimos se renovaram e já nos encheu de esperanças de novo. Na saída do jogo cheguei a ouvir atleticanos comentando inclusive sobre uma possível chegada ao título da competição! Juro que achei até engraçado, pois a vitória não nos moveu nenhuma posição e ainda permanecemos na última colocação. Mas como torcedor “Fanaticano” entendo o sentimento de quem fez o comentário pois atleticano, maloqueiro e sofredor... juro que uma simples vitória elevou nosso astral à ponto de vários sonharem alto! Essa vitória com certeza será a primeira de uma sequência que melhorará e muito nossa colocação. Esse é o sentimento que nos move, esperanças sempre! O jogo de hoje é uma partida muito difícil por ser na casa do adversário e além de tudo contra uma equipe moderna e bem mais regular que nosso time. Temos alguns desfalques ainda para ajudar, mas felizmente o técnico Renato Gaúcho poderá repetir a equipe da última partida o que já nos dá um ânimo a mais pois o time apresentou um futebol empolgante! “El Morro” jogou muito e conseguiu mostrar seu bom futebol esperamos que hoje isso se repita e ele deslanche à marcar gols em todas as partidas.Com esse sentimento de ânimo novo vamos todos torcer para empurrar o furacão para horizontes mais distantes nesse campeonato brasileiro! SRN.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

E ainda tem mais...

Depois de anunciar oficialmente a contratação do atacante Rodriguinho, a diretoria atleticana, já avisou, que tem mais jogadores para chegar.
"Eu estou conversando bastante com a diretoria. Nosso grupo está bastante reduzido, não adianta irmos atrás de um ou dois jogadores somente daquela posição. Todo bom jogador que puder chegar ao Atlético e nos ajudar, será bem-vindo, é o caso do Rodriguinho. Eu continuo insistindo naquele matador sim, naquele jogador de área, que só temos o Garcia e é muito pouco", disse Renato Gaúcho.
Rodriguinho, joga pelas pontas, muito diferente de um atacante de área. Agora, é aguardar para saber, quem chega nos próximos dias.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Proposta de Petraglia é aceita, e Atlético define como serão as obras na Arena

A proposta para a conclusão da Arena para a Copa de 2014 do ex-presidente do Atlético, Mario Celso Petraglia, foi a escolhida na reunião do Conselho Deliberativo que aconteceu na noite de ontem, segunda-feira. A proposta foi aceita por 119 votos, contra 35 para o projeto da empreiteira OAS, nenhum voto para a proposta da empreiteira Triunfo, além de 27 abstenções.
No projeto, a intenção do ex-presidente rubro-negro é pleitear um empréstimo no nome do clube no valor total da obra. De acordo com o dirigente, dois empréstimos seriam feitos, um de R$ 45 milhões e outro com o valor ainda indefinido. O potencial construtivo, disponibilizado pela prefeitura, seria a garantia do empréstimo junto ao Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE).
Petraglia explicou que o Atlético vai investir no estádio, mas todos os lucros da Arena irão entrar nos cofres do clube. “Essa é uma vitória do Atlético. A proposta é simples, e os benefícios e a exploração da Arena e toda exclusiva do clube. Não vamos dividir as receitas com empreiteira nenhuma”, afirmou.
A intenção é que o estádio atleticano fique pronto até 2013, assim Curitiba teria condições de ser uma das cinco sedes da Copa das Confederações.

Novos vice-presidentes

Durante a reunião realizada nesta segunda-feira, foram empossados os dois novos vice-presidentes: Diogo Braz e Henrique Gaede. Eles assumem os lugares de Yara Eisenbach e Enio Fornéa, que deixaram o clube há duas semanas.

O garoto guerreiro da Baixada

Hoje, o Espaço Atlético, fala de um garoto, que mais parece um veterano em campo.
Com apenas 22 anos, Deivid aos poucos, foi sendo colocado pra jogar no time titular do Atlético, e com muita humildade e dedicação, foi ganhando espaço e hoje é titular absoluto, do time de Renato Gaúcho.
Seu desempenho nos jogos, tem chamado atenção dos torcedores. Sua velocidade e certeza nos desarmes, o faz um jogador, que não aparece para a torcida, mas é fundamental no esquema de Renato.
Esse garoto vale ouro, vale a pena, prestar mais atenção e valorizar, essa jóia que temos em nosso elenco.
O garoto guerreiro do Caldeirão!!!

Atlético tem desfalques para enfrentar o Ceará

O Furacão viaja incompleto para Fortaleza, onde enfrenta o Ceará, na próxima quinta-feira (28), às 21h. Isso porque o departamento médico do Furacão retém pelo menos quatro jogadores: Guerrón, Paulo Baier e Manoel, que não viajam com o elenco rubro-negro, além de Nieto, que fica ainda mais quatro semanas fora dos gramados para se recuperar da cirurgia que fez no tornozelo. Paulo Roberto também fica em Curiitba para aprimorar a parte física.
O zagueiro Manoel lesionou a coxa, mas já faz trabalhos físicos no CT do Caju; o meia Paulo Baier ainda fica mais uma semana aos cuidados do departamento médico e Paulo Roberto só deve voltar na partida contra o Santos, pela 13ª rodada, no dia 31 de julho, na Arena da Baixada.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Sai uruca. Por Elaine Novak

Bom dia, Torcida Mais Linda e Fiel do Mundo! Como é bom sentir o gostinho da vitória! Estou feliz por ter visto a equipe com uma postura diferente nesse sábado. O time mostrou mais vontade, mais disposição e mais concentração. Confesso que apesar disso, me irritei nos primeiros 30 minutos da partida, pois a impressão que tive era que estavam isolando nosso “El Morro”, tocavam a bola pro bandeirinha, mas não tocavam a bola pra ele! Mas, quando ele conseguiu receber uma bola, foi lá e mostrou porque veio! Ele é o típico atacante que não deixa passar uma oportunidade! E as bolas que recebeu nem foram tão redondinhas assim, mas ele foi lá e fez! Santiago García, assim, mandou a uruca embora, e, creio eu, iniciou uma nova fase do Furacão no Brasileirão. Outro que se destacou na partida foi o lateral Edilson, que defendeu muito bem, desarmou várias jogadas com tranqüilidade e cobrou ótimas faltas com bolas levantadas na área. Wagner Diniz terá que treinar dobrado a partir de agora! Falando em destaques, o Pequeno Gigante Deivid, como sempre, foi um leão em campo! Sou suspeita em falar do Coquinho, pois adoro seu futebol! Aliás, analisando o salário dos jogadores, pude perceber que nosso Gigante ganha 70% menos do que a maioria do time!
QUERO DEIXAR CLARO AQUI QUE NÃO DEFENDO SALÁRIO MILIONÁRIO A NENHUM JOGADOR, NEM ACHO POUCO O QUE ELES GANHAM. A questão é a seguinte: Porque não valorizar um jogador que mostra tanta raça dentro de campo? Tá na hora de nossa administração observar isso também, não é? Como se manter motivado quando outros companheiros ganham muito mais do que você exercendo a mesma função e muitas vezes não tão bem quanto você?
Bem, mudando um pouco de assunto: Sexta-feira aconteceu o Círculo de História Atleticana. Uma homenagem linda à nossa querida Sônia Nassar, mulher pioneira na imprensa futebolística e que nunca, mas nunca mesmo, deixou de mostrar o amor rubro-negro! Falamos sobre nossa Paixão e sobre todos os obstáculos que já enfrentamos. O Atlético nunca morrerá! SRN! @elainenovak

Campanha lembra ano de 2005

No Campeonato Brasileiro de 2005, o Atlético só conquistou sua primeira vitória na 11ª rodada, ao bater o rival Coritiba por 1 a 0 gol de Evandro. Nos dez primeiros jogos, o rubro-negro somou apenas três pontos e estava na lanterna da competição. Na ocasião, a justificativa para a campanha ruim era que a equipe estava focada na Libertadores da América, onde o Furacão alcançou o vice-campeonato.
No Brasileirão de 2011, a história se repetiu e o Atlético também só venceu a primeira partida na 11ª rodada, ao derrotar o Botafogo por 2 a 1, na noite do último sábado, na Arena da Baixada. A situação, aliás, é bem parecida com a de 2005, já que antes do triunfo de ontem o Furacão só tinha conquistado dois pontos e também está na lanterna do campeonato.
O Furacão agora volta à campo na próxima quinta-feira para enfrentar o Ceará, no estádio Presidente Vargas, a partir das 21h. Para esta partida, o técnico Renato Gaúcho poderá contar com o volante Paulo Roberto, que está recuperado de uma entorse no tornozelo. O atacante Guerrón e o zagueiro Manoel também têm chances de voltarem ao time rubro-negro.

Atlético contrata Rodriguinho

O técnico Renato Gaúcho pediu publicamente a contratação de um atacante e a diretoria do Atlético cumpriu. Na noite deste domingo, o Furacão acertou a vinda do atacante Rodriguinho, que pertence ao Fluminense, por empréstimo até o fim da temporada, mas com opção de compra ao fim do contrato.
O atleta chega nesta segunda-feira para fazer exames médicos no CT do Caju. Se for aprovado, já assina contrato e será apresentado à imprensa nos próximos dias.
Rodriguinho tem 28 anos e se destacou no Santo André de 2010, time que acabou ficando com o vice-campeonato do Paulistão. A boa campanha no regional fez com que ele fosse contratado pelo Fluminense. Mas no tricolor carioca ele já não conseguiu repetir as mesmas atuações do tempo de Ramalhão e agora chega para denfender o Furacão.

domingo, 24 de julho de 2011

Começa o brasileirão 2011. Por Everton Furtado

Para os milhares de atleticanos espalhados ao redor do mundo ontem começou o brasileirão 2011, e por sinal estreamos bem, com uma vitória. Talvez esse seja o pensamento que os jogadores tem de ter nesse momento, não é uma vitória que irá nos salvar dessa lama toda, o time ainda é lanterna (odeio ter de lembrar disso), mas é importante para que não comecem a achar que agora já está tudo bem, que seremos campeões. Ainda tem muito chão, o time ainda tem limitações e gostei do que o Renato falou ontem ao afirmar a mesma coisa que disse, ele se mostra prudente, isso é bom pois deve passar a mesma coisa para os jogadores. Aos poucos ele está ajeitando o time, até que enfim tirou duas peças que para mim não serviam mais, a dupla de zaga Rafael santos e Manoel. Morro, o cara que até o momento começou a ser alvo de críticas pois gastaram-se milhões e não estava rendendo, em certa parte concordo, mas se notarem durante os jogos, certos jogadores boicotam El Morro, cansei de ver ele sozinho pronto para receber a bola e alguns jogadores não tocam a bola, não lançam e por aí vai, sendo assim fica difícil para um atacante ir buscar a bola na zaga e ir driblando todo mundo. Temos que querer sair da ZR. A missão é quase impossível? É. Mas se outros clubes conseguiram nós também conseguiremos. União, é uma coisa que ainda falta muito no grupo atleticano, e que se conseguirmos consertar isso, temos tudo para deslanchar e sair dessa maldita fase.

sábado, 23 de julho de 2011

Enfim, a primeira vitória. Por Aline

Chegada a décima primeira rodada do Brasileirão, redescobrimos o sabor da vitória. Em uma partida em que o torcedor jogou junto, soube esperar pelo gol (que era só questão de tempo) e viu o time corresponder em campo; ganhamos pela primeira vez. E como foi bom o reencontro!
Madson e seu espirito guerreiro. Marcinho e o futebol que pode lhe render, definitivamente, a vaga de Paulo Baier. El Morro e os primeiros gols com a camisa rubro negra. Renan e a resposta para quem duvidou de sua capacidade. Assim eu resumiria o que foi o Atlético hoje.
Temos 5 pontos em 33 disputados, a situação é feia. Mas, nos últimos jogos, houve evolução e o time parece mais entrosado. Contra avai e vasco, os resultados já poderiam ter sido outros. Agora, é seguir acreditando que o Furacão honrará o histórico de ressurgir das cinzas. Que esse seja o primeiro de muitos dias em que saimos felizes da baixada! SRN.

Para Renato, o importante foi vencer.

"O mais importante foi a vitória, a entrega do grupo, sabíamos o quanto seria importante esta vitória. Eu já tinha gostado da atuação contra o Vasco, gostei mais uma vez, porque taticamente eles foram bem e conseguimos os três pontos. Lógico que cometemos erros, mas não é dia de falar sobre isso, até porque vamos corrigí-los com o grupo", avaliou o comandante rubro-negro.
Renato Gaúcho também destacou que os três pontos tiram um peso de cima dos jogadores e apontou uma evolução do time desde a sua chegada ao Atlético.
"Nos três jogos sob o meu comando, eu gostei da atuação do time, mas faltava a vitória. Agora ela veio, mas não significa que vamos decolar na competição. Tiramos um peso das costas do grupo e precisávamos disso", declarou o técnico Renato.

A primeira vez, a gente nunca esquece!

Onze rodadas. Esse foi o período necessário para o Atlético Paranaense comemorar sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro 2011. Ela veio diante do Botafogo, por 2 a 1, na Arena da Baixada. O resultado não tira o Rubro-Negro da lanterna, com cinco pontos ganhos, mas dá esperanças ao torcedor. Por outro lado, a crise começa a rondar os cariocas.
O Furacão abriu o placar aos 39 minutos da primeira etapa, com o uruguaio Santiago Garcia, que marcou seu primeiro gol com a camisa atleticana ao limpar a defesa e bater bonito para as redes. Depois do intervalo, El Morro apareceu novamente para marcar o segundo, dividindo com o goleiro Jefferson no ar e ampliando a vantagem. O Botafogo descontou com Alex, aos 43 minutos.
Na próxima rodada, o Atlético Paranaense encara o Ceará, quinta-feira, no Estádio Getúlio Vargas, em Fortaleza. Já o Botafogo terá pela frente, na quarta-feira, o Avaí, no Engenhão, no Rio de Janeiro.

Que venha o Botafogo!

Hoje, é dia da nação atleticana, acreditar, torcer, pular, incentivar sem parar um minuto. Afinal vamos em busca, da primeira vitória no certame nacional.
A bola rola às 18h30, para Atlético e Botafogo na Arena da Baixada, pela 11ª rodada. E para conseguir os três pontos, a equipe tem como exemplo a campanha do Furacão de 2005, quando foi conquistar a primeira vitória justamente na 11ª rodada, contra o Coritiba, dentro de casa. Naquele ano, a equipe terminou o Brasileirão em sexto.
"Também. No ano passado encontrei o Grêmio praticamente na mesma situação que o Atlético aqui, e o Grêmio foi campeão do segundo turno, chegou à Libertadores. Como falei, sem tempestade em copo d`água, a gente sabe que a situação não é boa, mas estamos trabalhando, procurando reforçar", afirmou o técnico Renato Gaúcho.
Já o goleiro Renan Rocha disse que não pensam muito no passado. "A gente não se prende muito ao passado, mas a gente vem buscando, não por ser a 11ª rodada, a vitória. Vamos ver se amanhã a gente consegue sair com ela", frisou o arqueiro.
Para encarar o time carioca, Renato Gaúcho não contará com o volante Paulo Roberto, o meia Paulo Baier e os atacantes Nieto e Guerrón. O equatoriano foi poupado dos treinamentos da semana e fica de fora. Assim, Marcinho entra na vaga de Robston. A única dúvida é na lateral-direita, entre Edilson e Wagner Diniz.
FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO X BOTAFOGO
  • Atlético: Renan Rocha; Edilson (Wagner Diniz), Manoel, Fabrício e Paulinho; Deivid, Cleber Santana, Kleberson e Marcinho; Madson e Santiago García. Técnico: Renato Gaúcho.
  • Botafogo: Jefferson; Alessandro, Antonio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Marcelo Mattos, Renato, Elkeson e Maicosuel; Caio e Alex (Alexandre Oliveira). Técnico: Caio Junior
  • Data: 23/07/2011
  • Local: Arena da Baixada - Curitiba (PR) - 18h30
  • Árbitro: Paulo Cesar Oliveira (SP - FIFA)
  • Auxiliares: Fabio Pereira (TO - Asp.FIFA) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Caldeirão do Diabo!!!

União da torcida
Quem quiser levar sua bandeira sem mastro do Clube Atlético Paranaense está permitido a partir de sábado. O presidente Malucelli, quer a união dos atleticanos “de bem” e várias outras ações junto à torcida serão feitas até o final do ano.
O Atlético precisa de uma mudança de clima na sua torcida e a diretoria irá apoiar qualquer medida neste sentido.
Outra novidade, será o time jogando de calção preto
Um detalhe que foi muito questionado por alguns em outros tempos: o calção preto também voltará a partir de sábado em definitivo.

Adesivos mais vistos no momento

Não tem mais jeito, a volta de Petraglia, está cada vez mais perto.
Já são vistos inúmeros veículos, com o adesivo Volta Petraglia!
Que volte Petraglia! Mas, que volte o Petraglia atleticano de coração, aquele, que não dormia nas derrotas e vibrava nas vitórias.
Queremos um presidente vencedor, e sabemos que Petraglia é esse cara!
Mas, não queremos um Petraglia, ditador, dono do clube, afinal o Atlético é da nação atleticana, do povão rubro-negro.

Atlético, sempre Atlético!

Vencer o freguês. Por Diogo Rodrigues Manassés

O Botafogo não chega a ser freguês do Furacão, mas temos uma ligeira vantagem nos confrontos contra o time carioca. Já o técnico Caio Júnior (sim, o mesmo que quase veio treinar o atual time) é freguês na Arena: sempre perdeu (três jogos, um com o Paraná Clube, um com o Palmeiras, outro com o Flamengo). E vai perder mais uma vez – tomara.
Não sou apegado a números e histórico, afinal, eles em nada ajudam, ao menos em termos concretos. Nesse caso, contudo, a vitória, além de necessária, é possível. O Botafogo é um dos times mais fracos do campeonato. A partida, todavia, não será fácil, pois o alvinegro carioca joga melhor fora de casa do que dentro. É visitante indigesto. O trabalho de Caio Júnior começa a ser questionado, a posição da tabela (7º colocado) não reflete o atual momento. E mais: o ataque deles é ruim.
A vitória é necessária e possível. Lembro que contra o Avaí o mesmo valia. Não basta ter um adversário vencível do outro lado. É preciso progredir, aprimorar, tentar e fazer gols (plural, pois, como é notório, 1x0 não garante jogo nenhum). A torcida merece e o time é capaz. Vem melhorando com Renato (que tem sido muito bom, apesar de a última escalação ruim, quase deu certo (!)). Mas a melhora, apesar de sensível, é insuficiente. Lembro, por fim, que foi em inesquecível jogo contra o mesmo Botafogo que o CAP, na Arena, iniciou sua guinada no Campeonato Brasileiro de 2010. Paulo César Carpegiani, então técnico do CAP, faz uma mudança tática brilhante (colocou Fransérgio como líbero e o time no 3-5-2, o desempenho, naquela partida, foi melhor que no 4-4-2, garantindo a virada) que nos permitiu vencer o adversário, de virada. Depois do 2x0, ainda no primeiro tempo, uma goleada possivelmente se anunciava. Mas não foi o que ocorreu. Placar final, 3x2 para o novo CAP. A esperança é que o mesmo ocorra amanhã – de preferência, sem tanto sofrimento. Que o Botafogo nos traga, mais uma vez, a luz que precisamos. SRN

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Para Renato, se o Atlético vencer, tudo muda!

“O fator psicológico conta muito. Quando a primeira vitória vier a coisa muda. O pessoal vem jogando bem, buscando. Aos pouquinhos o atlético vai buscando os pontos necessários pra sair dessa situação que não agrada a ninguém", declarou Renato Gaúcho.

Gibi: Missa de 1 ano

No dia 21/07/2011, será realizada a missa de 1 ano de falecimento de Euder Pires da Silva, mais conhecido como Gibi. Todos familiares e amigos estão convidados para homenagear este grande irmão.
A missa será às 19h, na Igreja da Paróquia do Imaculado Coração de Maria, na Avenida Presidente Getúlio Vargas, 1193, em frente a Praça Ouvidor Pardinho.

Agora é torcer,rezar e esperar...

A situação chegou a tal ponto que quase não conseguimos enxergar uma luz no fim do túnel. Chegaram alguns reforços, mudaram o técnico, já foi feito quase tudo para mudar a situação porém o time não consegue render. Jogadores, não conseguem sequer fazer uma partida decente, tanto que nem ao menos a primeira vitória ainda conseguimos...A chegada do técnico Renato Gaúcho deu um novo astral/ânimo para a maioria dos jogadores que aliás foram determinantes também desta vez para a escolha da pessoa dele para o trabalho. O trabalho vêm sendo realizado de forma mais alegre, pudemos sentir já nas primeiras partidas sob seu comando que o time até vem jogando mais “solto” e até um pouquinho melhor, porém o principal que é converter em gols e nos levar à vitória não vem sendo conseguido. Ainda para ajudar mais ainda o atacante Nieto teve que passar por uma cirurgia que o deixará fora de ação de nove a 10 rodadas...Outra aposta que ainda aguardamos para ver é o atacante Itamar que ainda está regularizando sua documentação apesar de já estar treinando com o grupo. O mais objetivo nesse momento é que como “rubro-negro é quem tem raça e não teme a própria morte” o furacão precisa mais do que nunca do nosso apoio incondicional para revertermos essa situação. Pois como sempre sofreremos demais, até o fim mas NÃO cairemos. Começa como por muita coincidência contra a equipe do Botafogo, como em 2010, nossa arrancada de recuperação É uma partida extremamente complicada visto que já sabemos o potencial do nosso time, porém como sempre de muita esperança numa superação extrema rumo a vitória. SRN. à todos e vamos furacão!

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Parabéns Elaine

Hoje, nossa querida colunista Elaine, completa mais um ano de vida e dedicação ao Furacão.
Desejamos muitas felicidades, saúde e muitas alegrias
São os votos da galera do Espaço Atlético

Reação em 2010 começou com vitória sobre o Botafogo

Torcida atleticana, a esperança é a última que morre. Alguns torcedores podem não lembrar, mas o primeiro passo da recuperação do Atlético no Campeonato Brasileiro de 2010 foi uma vitória em cima do Botafogo por 3 a 2, de virada, na Arena da Baixada, no dia 02 de junho de 2010. Aquele jogo marcou a estreia do técnico Paulo César Carpegiani, que comandou o Furacão em uma grande arrancada no campeonato, saindo da zona do rebaixamento e brigando por vaga na Libertadores até a penúltima rodada do Brasileirão, mas aí o técnico já era Sérgio Soares, pois Carpegiani havia se transferido para o São Paulo.
Apesar de ter perdido alguns jogos depois do triunfo sobre o Botafogo antes de engrenar de vez no Brasileirão, a vitória de virada em cima do alvinegro carioca acabou virando símbolo da boa campanha que o Atlético fez no campeonato a partir de junho do ano passado, terminando a competição na 5ª colocação, melhor campanha desde o vice-campeonato Brasileiro de 2004.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Indicação de Renato Gaúcho, lateral-direito já treina no Furacão

O Atlético confirmou a contratação de mais um reforço para a temporada. Com indicação do técnico Renato Gaúcho, o lateral-direito Edilson já assinou contrato com o Furacão e fez seu primeiro treinamento na tarde de segunda-feira. Consciente da má fase por que passa o Atlético, o jogador chega e quer somar ao elenco para corrigir as falhas e levantar o time. "Estou feliz e espero ajudar meus companheiros. É chegar com bastante força para tirar o Atlético desta situação”, afirmou.
Edilson tem 24 anos e veio por empréstimo do Grêmio, último clube comandado por Renato Gaúcho, que elogiou o atleta na semana passada e destacou a escassez de peças para o setor. “Temos somente o Wágner para essa posição e eu gosto de trabalhar com dois jogadores para cada posição. Isso para aquele que vem jogando não se acomode, para que tenha uma sombra. (Edilson) foi meu jogador por quase um ano, aí operou o joelho e chegou o Gabriel. Ele está pronto. Tem uma bola parada muito boa e é um jogador que vai nos ajudar bastante”, ressaltou o comandante rubro-negro.
O lateral já teve passagens pelo Avaí, Vitória, Atlético-MG, Veranópolis, GUarani, Juventus e Grêmio, time pelo qual disputou sua última partida há 13 dias, na derrota do Tricolor Gaúcho para o Cruzeiro por 2 a 0, em Sete Lagoas, Minas Gerais.

É pior do que Renato esperava

Há poucos dias no comando do Atlético, o treinador Renato Gaúcho, parece ter se arrependido de ter assumido o Atlético Paranaense.
Renato, admitiu que a situação está ficando muito do pior do que poderia imaginar quando assumiu o clube há pouco mais de uma semana. “Não podemos tapar o sol com a peneira du­­rante o campeonato, fica difícil assim. Tem certas coisas no campeonato que precisa se preparar. O Brasileirão é longo e difícil. Correr atrás do prejuízo com o campeonato rolando é difícil. Tem tempo, mas é difícil”, não cansou de repetir Renato, que seguiu: “Qualquer clube que se prepara para o Bra­­sileiro tem vantagem maior sobre os adversários. Consertar durante o campeonato fica difícil ” disse Renato.
Caro Renato Gaúcho:
Se a situação esta negra, o momento é de trabalhar firme, com muito mais afinco. É hora de mostrar serviço, mostrar que você é capaz, de tirar um time de baixo e fazer ele subir.
Se voce é bom, chegou a hora de provar. Mamata, é para os fracos!

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Politíca, Politicagem, 2 pontos e a desvantagem. Por Camila Lopes F. Provenzano


Tenho lido vários comentários de Atleticanos e não Atleticanos, em sites, blogs, e colunas internet e jornais afora.

A opinião é uníssona: o Atlético esse ano não escapa.

Seria hora de admitir que está quase impossível nos salvarmos?

“Faltou preparo” diz o atual técnico. Eu acrescento que faltou preparo e vergonha na cara.

Por que penso assim? Simples. Mesmo que a política esteja corroendo o clube, um jogador de futebol tem UMA, E APENAS UMA função: jogar. E bem pelo salário que recebe. Nem vou entrar no mérito da discussão do qual seria o valor ideal para um jogador de futebol.

Há os que vão me desconjurar, e há os que vão me apoiar. Enfim, um time não pode fazer tanto corpo mole assim. O moral tá lá em baixo? Pudera, olha a classificação. Mas mostra que tem raça, que honra a camisa que veste, prova o contrário!!!! Mostra pra tua torcida que a camisa rubro negra se veste por amor!

Falta também vergonha na cara desse atual presidente. Sinta, por favor, vergonha do papelão que o senhor está fazendo nosso clube passar. Papelão em rede nacional, meu caro Marcos Malucelli. Eu sinto vergonha da atual situação do meu clube. Nunca eu vi tamanha paspalhice em tão pouco tempo.

Não duvido do seu caráter, nem da sua idoneidade. Mas o senhor não tem condições de levar adiante esse mandato. Tenha um pouco de vergonha e assuma que não dá mais. Saia pela porta da frente. Ainda dá tempo. Não adianta atacar a diretoria anterior, o ex- presidente, porque a torcida está clamando o seu retorno. E contra fatos não há argumentos.

Se dá tempo de consertar? Não sei. Nunca pensei que um dia eu teria, em sã consciência, uma duvida desse porte.

O caso é que essa crise política tomou proporções desatrosas até mesmo para os funcionários do clube. Ninguém sabe de nada, ninguém sabe pra onde correr.

A leitura que faço do clube agora é como uma pessoa que sonha em conhecer a Europa, tem dinheiro, mas não quer gastar esse dinheiro e não sabe o que faz da vida.

De que adianta um superávit, ter dinheiro em caixa, e não contratar jogador decente, treinador que preste. CALMA, NÃO ESTOU DESMERECENDO O PLANTEL. MUITO MENOS O ENTÃO TECNICO. O caso é que o Renato Gaucho não vai fazer milagre. Nem Muricy faria. Nossos jogadores são bons. E ponto. Pelo menos aqui não há destaque algum. Quem sabe no dia em que saírem do Atlético se tornam destaque como tantos outros não é?

A percepção é uma linha muito tênue... há algo de podre, fedendo no CT do

Ainda dá! Por Elaine Novak

Bom dia à Torcida mais Fiel do Mundo! Peço desculpas pelo atraso, mas está cada vez mais difícil falar escrever. Não porque só quero escrever quando está tudo bem, mas porque é dolorido e triste ver nosso amado Furacão nessa situação. Nosso novo treinador, Renato Portaluppi , em entrevista coletiva após a derrota, ressaltou: “ Qualquer clube que se prepara para o Brasileiro tem vantagem maior sobre os adversários. Consertar durante o campeonato fica difícil.” E ele tem toda a razão! Já estamos nessa faz alguns anos. Iniciamos os últimos campeonatos capengando e tivemos que tentar consertar o time no meio das competições. O que é isso? Falta de planejamento! Estamos correndo atrás de reforços desde o início do Campeonato. A zica está tão grande que não conseguimos acertar. O Campeonato Paranaense deveria ter sido usado para deixar o time afiado, mas isso não foi feito. Mas agora não é hora de ficarmos nos lamentando. Em todas as lutas que já tivemos nunca abandonamos nosso amado Clube Atlético Paranaense e dessa vez não será diferente! Precisamos unir nossas forças e transmitir muita energia positiva pra essa equipe. Contra o Vasco não fizemos uma péssima partida, o futebol e o toque de bola evoluíram um pouco. A sorte definitivamente não está andando ao nosso lado e temos que lutar contra esse fator também, afinal de contas nosso elenco não é péssimo, mas falta um encaixe aí! Mandemos embora esse sentimento de derrota que nos ronda e botemos nossa fé em prática, como sempre fizemos! Não escolhemos o Atlético, e sim o Atlético nos escolheu! SRN!

domingo, 17 de julho de 2011

Com você, o Atlético pode sobreviver! Por Cadu

Salve amigos e amigas, da nossa nação atleticana. Diga-se de passagem, a torcida mais linda desse mundo!
A semana começou e o desespero, tomou conta de mim. Não é fácil, ver nosso Atlético, nessa atual situação.
Como pode, nosso Atlético estar nessa? Meu Deus, temos tudo! Dinheiro, estrutura de alto nível, uma torcida grande e apaixonada…O que falta, meu Deus???
Como pode, um presidente, acabar com um sonho de uma nação? Até quando vamos aguentar, Marcos Malucelli, assinando pelo Atlético?
Estou envergonhado, com nossa situação. É muito triste, ver o Furacão, que um dia já foi para uma final de Libertadores, levantou o caneco do brasileiro, estar na ridícula última colocação, lanterna absoluto!
Gente, estamos há 9 pontos do primeiro antes da ZR. São três vitórias para buscar e torcer para os outros não ganharem. Claro, que é uma missão impossível, pois nenhum, time vai perder todas nas próximas 3 rodadas.
Sinceramente, acho que se tudo der certo, só sairemos da ZR, daqui há 8 rodadas! Isso, se a gente fizer a nossa parte, afinal até agora, não conhecemos uma única vitória.
Tá sofrido torcida, tá triste, tá fodaaaa!!!
Mas, se existe chances, não podemos desistir! Claro, que vai ser muito difícil, mas só nós podemos mudar tudo isso.
É a hora da união, da garra e principalmente de vestir o manto sagrado, com muito mais amor.
Nossos jogadores, estão acabados, sem moral, enfim, no fundo do poço.
Todos sabemos, que Paulinho, Róbston, Wagner Diniz, entre outras amebas desse time, não jogam absolutamente nada, mas se eles estão mal com a torcida ao lado, imaginem jogando com vaias!
Vamos fazer essas amebas, acharem que jogam futebol. Vamos fazer esse time, ganhar dos outros na GARRA e NA FORÇA DA NOSSA FANÁTICA E FANTÁSTICA TORCIDA!
A bola vai entrar… e se Deus quiser, vai ser no próximo sábado, contra o Botafogo.
Vista sua camisa atleticana e tenha orgulho, afinal, você é torcedor, do time mais querido do Paraná.
Força torcida atleticana. Só nós, podemos mudar essa situação!
Acredite até o fim, pois atleticano de verdade, não desiste nunca!
Saudações atleticanas e boa semana à todos

Situação dramática

A situação do Atlético, está ficando cada vez mais dramática, no Brasileiro. Com apenas dois pontos somados e oito derrotas em dez partidas, o rubro-negro do Paraná, começa a se distanciar perigosamente dos principais concorrentes da zona de rebaixamento.
Mesmo que vença o Botafogo, sábado que vem, na Arena, a equipe não deixa a lanterna.
O Atlético, já está há 9 pontos atrás, do 16º colocado, que no momento é o Bahia, sem computar o jogo de hoje do tricolor baiano, que pode subir na tabela.
A situação está dramática, o Atlético está no fundo do posso, vivendo o pior momento dos últimos 15 anos.
Só com o apoio da torcida atleticana, as coisas podem mudar. É muito difícil, mas não impossível! Ainda dá, pra colocar o Atlético no meio da tabela!

Ão ão ão, segunda divisão. Por Everton Furtado

Foi humilhante e doloroso ouvir isso ontem no jogo contra o Vasco. Por um momento eu propositalmente imaginei, como se aquele jogo fosse o último que dependesse da sua permanência na série A, e descobri que vai doer se o Furacão cair.
O time está evoluindo, fora de casa criou algumas oportunidades excelentes, mas Renato estava certo, precisamos de um atacante matador, milhões no el morro e até agora nada, Madson tentou mas não é atacante, não adianta, fora atacante matador, precisamos de uma zaga, eu fico loco de assistir algumas jogadas imbecis, e geralmente são elas que resultam na derrota do Atlético, a zaga não chega junto na bola, é complicado. Nós estamos caminhando para um fato terrível, lembre-se que o último jogo do ano é contra as paquitas, sermos rebaixados por elas, será algo que vai ficar marcado pra sempre, seremos motivos de risadas por anos, mas o atlético não aprende, Malucelli escreveu uma carta essa semana todo cheio de querer apresentar razões para seus fracassos, eu fico loco quando vejo ele calmamente falar que acredita que o Furacão irá sair dessa fase, porra será que você não assiste os jogos, você não assiste a humilhação que nossa torcida passa, olha em que situação você colocou o nosso time Sr. Malucelli, quando o senhor vai aprender, quando ele já tiver rebaixado, aí é fácil largar tudo e deixar para outro assumir. Gostei da manifestação realizada contra ele alguns dias atrás, vejo que não sou só eu o revoltado e desesperado com a situação, alguma coisa está se fazendo para que se concretize a saída desse cara, se estivesse em Curitiba, estaria junto para protestar contra a saída do "presidente". Sendo assim ajudo da maneira que posso, fica aqui o meu protesto. FORA MALUCELLI.

Com o destino de sempre!!!

Depois de fracassar no Furacão, Adilson Batista recebeu o convite para assumir o São Paulo e sem pensar duas vezes, assumir o cargo, de treinador do tricolor paulista.
O time paulista, com de costume, contratou um profissional que passou pelo Atlético. Adilson substitui Paulo César Carpegiani, demitido há dez dias, lembrando que Carpa, recebeu uma proposta tentadora, quando fazia uma ótima campanha, no brasileiro do ano passado, pelo rubro-negro, nos deixando na mão.
Dagoberto, Rhodolfo, Aloísio, foram alguns recentes jogadores, que saíram da Baixada para o tricolor paulista.
Quems será o próximo???

sábado, 16 de julho de 2011

Renato Gaucho: "Falta um matador"

"A gente precisa do matador, aquele jogador de area, que no momento em que a bola sobra ele vai lá e faz o gol. É desse homem que a gente está precisando e que eu pedi à diretoria. No momento em que você tem esse homem, tudo é facilitado. O Atlético tem criado, mas infelizmente a gente não tem aquele homem para botar a bola pra dentro", afirmou Renato.

Pareceia que ia ser diferente... mas foi como sempre!!!

O jogo começou com cerca de 20 minutos de atraso em virtude de uma queda de energia em São Januário. Em campo, Renato Gaúcho surpreendeu na escalação do Atlético, que começou a partida com quatro volantes no meio-campo. O Furacão jogou bem de novo, abriu o placar ainda no primeiro tempo, mas sofreu a virada e perdeu mais um jogo no Brasileirão: 2 a 1 Vasco.
O Atlético segue na lanterna do campeonato, com apenas dois pontos em dez rodadas e sem ter vencido um jogo sequer até aqui. A diferença para o vice-lanterna América-MG passou a ser de quatro pontos, mas a equipe mineira ainda joga neste domingo. Se não bastasse isso, o Furacão tem sete pontos a menos que o primeiro time fora da zona do rebaixamento.
Atlético sai na frente, mas sofre o empate no fim do primeiro tempo
O Atlético começou bem na partida, indo pra cima do Vasco mesmo jogando fora de casa. O Furacão criou duas boas jogadas de ataque antes dos 10 minutos, até que aos 9, Paulinho cruzou para Kléberson dentro da área. O Xaropinho recebeu e bateu com categoria para o fundo das redes: 1 a 0 Atlético. A torcida vascaína já protestava contra o time, que errava muitos passes e não conseguia sequer assustar o goleiro Renan Rocha.
O primeiro chute a gol do Vasco aconteceu aos 20 minutos, em arremate forte de Éder Luís, que passou à direita do gol rubro-negro. Aos 26, lançamento de Paulinho para Madson, que ia marcar o segundo do Furacão, mas Fernando Prass salvou a equipe carioca. Aos 31, boa chegada do time da casa: Éder Luís foi lançado e Renan Rocha fez boa defesa. Um minuto depois, Juninho Pernambucano cobrou escanteio e Dedé cabeceou na rede pelo lado de fora.
Aos poucos, o Vasco foi melhorando na partida e passou a atacar com um pouco mais de perigo. O Atlético deu uma recuada e não conseguia mais explorar os contra-ataques, mas conseguia se defender bem. Os minutos finais do primeiro tempo foram de pressão vascaína e muitos cartões amarelos para ambas as equipes. Até que, no último lance da etapa inicial, aos 47 minutos, Éder Luís chutou, Renan Rocha espalmou mal, e no rebote, Alecsandro empatou a partida: 1 a 1.
Furacão perde muitos gols e sofre a virada
Logo no começo da etapa final, o Vasco criou duas boas oportunidades de virar o placar. Com 1 minuto de jogo, Éder Luís bateu cruzado e a bola foi pela linha de fundo. Um minuto depois, Juninho Pernambucano soltou uma bomba, a bola amorteceu na defesa rubro-negra e Renan Rocha fez a defesa. Aos 7 minutos, Madson recebeu na cara do gol, com Fernando Prass já batido no lance, mas acabou chutando para fora.
O tempo ia passando e o jogo seguia equilibrado no Rio de Janeiro, com boas oportunidades para as duas equipes. Aos 14 minutos, Márcio Careca cruzou rasteiro e Kléberson salvou o Atlético, colocando para escanteio. Na cobrança do corner, Anderson Martins cabeceou com muito perigo e Renan Rocha fez grande defesa, no reflexo. Aos 16, Madson arrancou pela esquerda, invadiu a área e bateu cruzado, a bola quase entrou, passou raspando a trave esquerda do Vasco.
Aos 21 minutos, Madson perdeu mais um gol para o Furacão. Marcinho tocou para Madson, que chutou com categoria, mas Fernando Prass fez grande defesa. Aos 23, Juninho cruzou para Alecsandro, que livre na área, bateu pela linha de fundo. Até que, aos 25 minutos, o Atlético foi punido por desperdiçar tantas oportunidades claras de gol. Éder Luís cruzou no primeiro pau e Alecsandro cabeceou para o fundo das redes: 2 a 1 Vasco, de virada.
Aos 41 minutos, Marcinho cabeceou à direita do gol vascaíno. Um minuto depois, Guerrón acertou mais uma boa cabeçada para a equipe atleticana, mas a bola foi pela linha de fundo. Nos minutos finais do duelo, o Furacão buscou o empate, mas o time da casa cadenciou o jogo e segurou a vitória por 2 a 1 até o apito final, complicando ainda mais o rubro-negro no Brasileirão. Só que mais uma vez o Atlético não jogou mal, porém não conseguiu converter em gol todas as boas oportunidades criadas.

Passe logo, fase ruim. Por Aline

Ao fim do jogo contra o Avaí, não consegui conter as lágrimas e a tristeza diante dessA situação em que o amado Atlético Paranaense se encontra. O time tentou, criou, lutou, mais esbarrou na zica que insiste em nos perseguir.Como o baixinho Madson disse, tem que colocar um pastor em campo para ver se ajuda, porque a fase é feia mesmo.
E hoje, em mais um desafio contra um adversário dificil e essa zica, entramos em campo às 18:30 horas. O time que enfrentará o Vasco (atual campeão da Copa do Brasil), terá apenas duas mudanças em relação ao que enfrentou o Avaí. Mudanças estas que serão a volta de Paulinho para a lateral esquerda e a entrada de Guerrón na vaga do Maestro. Então, provável onze rubro negro será: Renan Rocha, Wagner Diniz, Manoel, Fabricio e Paulinho, Deivid, Cleber Santana e Kleberson e Madson, Guerrón e El Morro.
O que nos resta é a esperança de que o tal entrosamento, a união e dedicação de todos no clube, nos levem a sair dessa. Existe luz do fim do túnel e acreditarei no Atlético como sempre. Quem sabe a reação Rubro Negra não comece quebrando um tabu, como hoje. Vai lá, meu Atlético, que juntos daremos fim a essa má fase.
Saudações Rubro Negras!

Por uma vitória e um tabu!

No desespero por uma vitória, o Furacão encara o Vasco da Gama, no estádio de São Januário, a partir das 18:30. Estádio esse, que jamais o Atlético derrotou o time cruzmaltino.
O técnico Renato Gaúcho adota um discurso otimista apesar da má campanha. Ele vê o grupo fortalecido emocionalmente e acha que isso, com o tempo, vai produzir bons resultados.
"Tenho que passar tranquilidade, passar confiança. Quando cheguei, vi um grupo muito abatido. Mas, já gostei da partida diante do Avaí. A equipe tem muito mais para dar e a cabeça deles já mudou, a alegria apareceu. Teremos um jogo complicado contra o Vasco, mas podemos conquistar um bom resultado", afirmou o treinador, que faz mistério sobre a escalação.
Treinos com portas fechadas foram novidades ao final da semana de trabalho. Certo mesmo é que o Rubro-Negro não contará com seu maestro. Paulo Baier sentiu uma lesão e está vetado pelo departamento médico. Um dos principais segredos gira exatamente em torno de seu substituto.
Com Guerrón e Santiago García possivelmente formando a dupla de ataque, Mádson seria recuado, mantendo dessa forma três volantes. Porém, um reforço de última hora parece muito cotado para entrar. O meia Marcinho, que estava emprestado ao Al-Ahli, da Arábia Sáudita, teve seu nome publicado no BID da CBF e está em condições de jogo, inclusive físicas.
"Estou 100%. Me sinto muito bem, até pelos testes que fiz, de percentual de gordura e aeróbico. A força está um pouco abaixo, mas recupero durante os treinamentos", garantiu o atleta, que se colocou à disposição do treinador. "Para sair dessa situação, todos têm que se empenhar, se dedicar e procurar fazer algo mais. Estou à disposição e vou para o jogo. Se vou jogar ou não, é com o Renato", afirmou.
No restante da equipe apenas mais uma alteração deve acontecer, já que a idéia de Renato é modificar aos poucos para não perder o entrosamento. O lateral Marcelo Oliveira, que não vinha agradando nem aos torcedores nem aos críticos, perde espaço para o retorno de Paulinho à vaga.
FICHA TÉCNICA: 
VASCO X ATLÉTICO
Local: Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 16 de julho de 2011, sábado

Horário: 18h30 (de Brasília)

Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)

Assistentes: Helberth Andrade (MG) e Jair Félix (MG)
VASCO: Fernando Prass, Allan, Dedé, Anderson Martins e Márcio Careca; Rômulo, Juninho Pernambucano, Felipe e Bernardo; Eder Luis e Alecsandro. 
Técnico: Ricardo Gomes
ATLÉTICO: Renan Rocha, Wagner Diniz, Manoel, Fabrício e Paulinho; Deivid, Cleber Santana, Kléberson (Marcinho) e Madson; Guerrón e Santiago García
. Técnico: Renato Gaúcho

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Malucelli, responde em carta às criticas recebidas

O presidente atleticano, Marcos Malucelli, depois de muito tempo, resolveu falar com a torcida atleticana.
Leia aqui, a carta de Malucelli.

Time ruim = Torcida ao lado

No próximo sábado (16) , o Furacão enfrenta o Vasco em São Januário e, como sempre, a Torcida Os Fanáticos estará presente, para apoiar o Atlético.
Não é por acaso, que a torcida recebe o nome de Fanáticos… afinal todos são fanáticos pelo Furacão.
Restam apenas algumas passagens, e estão sendo vendidas na sede da Caveira nos seguintes valores:
Sócio em dia: R$ 90 + 1kg de alimento.


Não sócio ou em atraso: R$ 100 + 1kg de alimento.

Mais informações ligue: 3079-1977.


Treinos técnicos. Por Diogo Rodrigues Manassés

Infelizmente, não tenho a oportunidade de acompanhar os treinos operados no CT do Caju. Gostaria de assistir com frequência, para ver o que os jogadores têm feito para sair algo tão ruim dentro de campo. Mas melhorou, necessário admitir. “Só” não o suficiente.
Li que Renato Gaúcho fez treinos técnicos no CT essa semana. Cruzamentos com os laterais e finalizações com os atacantes. Dois fundamentos do futebol nos quais os jogadores têm pecado bastante. E que considero que poderiam melhorar o rendimento.
Os jogadores precisam fazer treinos técnicos. Talvez mais importante que os táticos são os técnicos – ao menos no momento atual do Furacão. De que adianta fazer um bom esquema tático contra outra equipe, um esquema que permita atacar bastante, sem finalizar com competência?
Renato, percebendo as carências técnicas, colocou os jogadores para treinar. Não vai fazer milagre. Mas vai ajudar. É possível esperar um bom resultado contra o Vasco? É uma das partidas mais difíceis do campeonato (afinal, é o campeão da Copa do Brasil, que não vem jogando mal e venceu seu último jogo). Mas é futebol. Nada é garantido. Até porque já empatamos em São Januário. Resta torcer. SRN