sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Eu quero o seu sucesso. Por Diogo Rodrigues Manassés

Este é o lema do São Paulo Futebol Clube. Ao invés de conseguir sucesso por mérito próprio, é mais fácil se destacar com o que os outros apresentam de positivo. Explico.
Há alguns dias eles compraram o nosso técnico. Não sou adepto da versão de que isso não foi uma atitude ética – até porque a atual diretoria já agiu assim (lembram-se do medíocre Waldemar Lemos?). Por outro lado, definitivamente não é a política da “boa vizinhança”. Futebol é um negócio, é preciso ser profissional, mas, se possível evitar contratar um técnico que está bem em outro time, é preferível. Como diz Lady Macbeth, “o que está feito, está feito”. Carpegiani não está mais no CAP, agora devemos apoiar o trabalho de Sérgio Soares (amanhã teremos condições de uma avaliação justa).
O que me causou revolta é que a inveja do tricolor paulista não cessou aí. Os “bambis” (convenhamos, apelido plenamente adequado) desejam contratar, para a próxima temporada, Rhodolfo e Branquinho. São dois jogadores de qualidade e jovens, indicados por Carpegiani.
Futebol é movido pelo dinheiro. Quem tem maior poder aquisitivo terá melhores condições de se destacar. O SPFC não tem capacidade de mostrar nesta temporada um bom trabalho por méritos próprios. Diante disso, utiliza seu poder aquisitivo para se apoderar do que os outros têm de bom – logo o CAP que não compete economicamente. Tudo diante dos limites da legalidade. “Pode isso, Arnaldo?”.
CAP e SPFC possuem uma história de rivalidade, não obstante a alegada amizade atual entre as diretorias. Todavia, tentar (afinal, não conseguirão) tirar dois importantes jogadores do Furacão, além de tudo que já fizeram, é apelo. Que o tabu da Arena permaneça: eles merecem até pior.
SPFC não está conseguindo o sucesso com facilidade, achou melhor adquirir o nosso. Inveja. Atitude patética, desprezível. Fica o alento que de nada adiantará. “Que la sigan chupando”, como diria Maradona.

6 comentários:

Lininha disse...

Excelente coluna Diogo. Que sigam chupando, engolindo em seco inveja por termos jogadores bons no elenco (seja através de nossas categorias de base ou das promessas que deram certo) e terem que ficar sempre, cobiçando o que é dos outros, afinal, eu defino inveja como FALTA DE CAPACIDADE.

Freire disse...

Muito boa a coluna. O interesse no Rhodolfo e no Branquinho é normal. São dois jogadores que se destacaram e chamam atenção de outros clubes. O problema do SPFC é que ele ultrapassa limites da ética num mercado tradicionalmente competitivo. Um dos poucos times que não sabe respeitar os adversários...

OBS: jovem sou eu. O Branquinho tá perto dos 30...

Giuliano Almeida disse...

Sabe o que o SPFC tem mais que o Atlético?

Anônimo disse...

será que alguém pode responder com toda a certeza? afinal a Tof é aliada da tti (torcida tricolor independente),???????????????

Anônimo disse...

Se encararmos os clubes como empresas, isso é normal na lei da selva que é o comércio de hoje. Por outro lado, acho que nossa diretoria deveria bater no peito e dizer: "aqui não", porém, todos nós sabemos que no comando do clube temos um velho bunda mole que não é macho o suficiente para peitar os bambis. Que saudade do Petráglia.

Parabéns de novo Diogo, visão exata das coisas do nosso CAP.

Angelin

Diogo disse...

Obrigado, mais uma vez, aos queridos amigos Lininha, Fernando, Giu e Angelin pelos comentários. Isso apenas me motiva a continuar!

Fernando, 27 anos ainda é jovem, na minha opinião. Para um jogador não é o mesmo que seus 22 anos, mas ainda tem um bom tempo.

Giu, eu sei. O SPFC tem mais é que se ferrar rs
Abçs,
Diogo.