sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Escancarado e cruel. Por Diogo Rodrigues Manassés

Partida contra o ótimo Cruzeiro, fora de casa, técnico antigo. Placar termina fechado, bom jogo, mas sem gols. Partida contra o débil time do Vasco, em casa, técnico novo. Placar termina fechado, jogo fraco e sem gols. O que mais há em comum entre os dois jogos? O mesmo de todos os outros: temos uma ótima defesa, regular e estável (não perfeita, evidentemente), mas um ataque fraquíssimo.

O sistema defensivo – incluindo volantes, zagueiros, laterais e o goleiro da Seleção Brasileira – é muito bom (Rhodolfo mais que isso, espetacular). Algumas falhas individuais não muito comprometedoras (via de regra), alguns sofrimentos em certos momentos (quando o time recua), mas, ainda assim, uma boa defesa. Reflexo? Estamos há muitos jogos sem sofrer gols.

O meio-de-campo, ofensivamente, não é ruim. Não está inspirado em todos os jogos, é verdade, contudo, tem qualidade. Se não na técnica, na vontade. Não é um meio primoroso, mas agredimos o adversário, seja ele qual for. Vale dizer: são criadas oportunidades de gols.

Inegavelmente, o grande problema é o ataque. Bate à nossa porta, escancarado e cruel, o desafio de se ter um bom desempenho sem atacantes eficientes. Bruno Mineiro está devendo há muito tempo, perde gols fáceis de serem executados (ignorando o desempenho geral assustadoramente ruim nas partidas). Maikon Leite teve ótima fase, agora erra absolutamente tudo. Por fim, Nieto vem demonstrando péssima qualidade, embora, por seu porte, prenda a zaga adversária. Em suma, ataque de risos é o que temos hoje.

Os resultados positivos vinham. Os heróis apareciam. Agora ficou evidente, sem heróis, que não temos ataque. Pior, o fato possivelmente será atribuído ao novo técnico! Sérgio Soares provavelmente perde para Carpegiani em somente um aspecto: psicológico. Ambicioso e motivador como Carpa o SS não é. Resta saber como Soares solucionará este enorme problema do elenco. O fato é gritante. Precisa ser solucionado. Treino de finalizações é o mínimo, caso contrário, mais placares fechados virão – menos mal, mas ruim para um time que (ainda) quer Libertadores. SRN.



8 comentários:

Anônimo disse...

Fecho com você. Nos defendemos muito bem, mas no ataque estamos pecando muito. Falta tranquilidade ao Maikon Leite, ambição ao Bruno Mineiro e qualidade ao Nieto. Ainda quero pensar que para o Argentino falta apenas fazer um golzinho salvador pra ele desencantar. No mais é isso meu nobre. Parabéns pela visão exata do que acontece hoje. Abraço.

Angelin Junior

Barilcka disse...

discordo em dois pontos: O vasco tem um time bom e vem crescendo na tabela junto com a gente, tem boa campanha no pós copa ficando entre os primeiros e isso graças a sua defesa forte.

E Maikon Leite não teve fase ótima, mesmo nos jogos em que fez gol foi ruim, mas o gol mascara o rendimento do jogador. Nunca me convenceu.

Abraços

Blog do Trétis disse...

Concordo cara. Nossa zaga vem segurando as pontas sozinha, tanto é que o Rhodolfo cansado de ver aquela inoperância do jogo passado, foi pra frente e por pouco não resolveu sozinho. Falta um centro avante bom no time. Confesso até que gosto do Bruno mas ele tá numa fase péssima. O jeito é torcer pra algum herói surgir em Santos, pois só assim poderemos sair com uma vitória e com esperança novamente.

Michele Toardik disse...

Parabéns pela coluna, Diogo!
Deixo apenas de concordar com o aspecto "motivador" do Carpa. Na real, acho que o ponto forte dele como comandante nada tem a ver com o psicológico e sim com a parte técnica dos jogadores.
Acho também que ele tratav com muita seriedade todo esse projeto de ascensão do rubro-negro.
Apesar de ter inventado muito, percebemos que nos últimos jogos ele havia conseguido instaurar um padrão ao time do CAP e, identificado o melhor posicionamento para cada jogador.
Saudações rubro-negras.

Giuliano Almeida disse...

Discordo Diogo kkkkkkkkkkkkkkkkk

Legal sua coluna, ou seja, está muito bom e facíl falar do CAP. Estamos numa fase boa (diferente dos últimos anos), sendo assim, temos mais qualidades do que defeitos, achando um matador ou recuperando um, vamos pra liberta com certeza.

Sergio Soares sabe o que fazer, ele é um "bom" treinador, acho que igual ou um pouco melhor que o Carpa, sendo assim, acredito que podemos continuar sonhando...

Abraços e discordo!

Paulão disse...

É isso Diogo. Boa análise. Só "discordo" que o Soares não é ambicioso. Não temos como afirmar isso ainda, pouco conhecemos do novo treinador para dizer que não é motivador e ambicioso. SRN

Anônimo disse...

Diogo, lamentavelmente mais uma vez tenho que discordar de você! Digamos que nos últimos 55 comentários você foi péssimo em 54 e horrível em 01. Portanto, seu indice de mediocridade em termos de comentários é de 99% abaixo do péssimo! Dizer que és colunista é o mesmo que falar bem do Givanildo!!!

Diogo disse...

Obrigado aos queridos amigos Angelin, Barilcka, Henrique, Michele, Giu e Paulão pelos comentários.

Em relação ao Sérgio Soares, eu não quis dizer que ele não é ambicioso. Provavelmente o é. Que técnico não assumiria o CAP querendo Libertadores!? O que eu quis dizer é que Carpegiani era extremamente ambicioso e exigente. Queria ganhar e convencer, exigia 200% de dedicação do grupo. Era além do normal nesse quesito. SS, ao que parece, é normal. Se fosse Carpegiani após o jogo contra o Vasco, falaria que perdemos dois pontos, não podíamos. SS pareceu menos descontente. De todo modo, acredito que o novo técnico poderá fazer um bom trabalho. Soares não é ruim. Não é top, mas não é ruim.

Por fim, em relação ao "Anônimo". Primeiramente, obrigado pelo prestígio: se deu ao trabalho de me criticar. Sem fundamento, mas """"""criticar"""""". Discordar é plenamente possível, cada um terá a sua opinião. Todavia, mais uma vez, você é minoria. Recebi seis comentários positivos, dois deles de colunistas da furacao.com. Você é minoria, não acha? E pior, nem fundamenta. Interessante, sou tão medíocre que eu estou aqui escrevendo, enquanto você se realiza me criticando sem nenhuma justificação.