sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Heroísmo em cada jogo. Por Diogo Rodrigues Manassés

Como era evidente, o time do Furacão, embora não seja impecável tecnicamente, mostra-se bem arrumado taticamente pelo técnico Paulo César Carpegiani e, em decorrência da ambição do técnico e (principalmente) da vontade dos jogadores, está fazendo uma ótima campanha. A vontade, como previsto, vem sendo fundamental.

Não menos fundamental vem sendo o herói que temos a cada partida. Contra o Ceará, o bom volante atleticano Chico. Contra o Avaí, o “muleke” Maikon Leite. Contra o Atlético-MG, meu amigo atleticano Ivan González. Contra o Atlético-GO, o grande nome da partida, Branquinho. Nesta quarta, contra o ótimo Internacional, nosso querido Maestro Paulo Baier. Um herói a cada partida, fazendo ao menos um gol decisivo. Em cada um desses jogos, 3 pontos perfeitamente atribuíveis a um nome específico. Ou não?

Tivemos, sim, um herói a cada jogo, pelos importantes gols. Vejo isso como positivo, time que faz boa campanha tem sempre destaques individuais, jogadores que se tornam decisivos em determinadas partidas. Contudo, destaco também o grupo inteiro.

O heroísmo a que me refiro vai além dos lances individuais imprescindíveis para os 3 pontos das partidas citadas (dentre outras). O time é de heróis. Se não na qualidade técnica, na garra e na raça. É isso que queremos ver. Heróis em campo, se doando ao máximo. Um grupo de heróis. Um bom time de futebol. O Clube Atlético Paranaense que todos gostamos de ver.

Contra o Botafogo nossos heróis terão mais um desafio. Pessoalmente, acho o time do Bota fraco, ainda mais com os vários desfalques que terão. Contudo, não será um jogo fácil. Mas a vitória será nossa – se não na técnica, na garra e no heroísmo que estamos vendo. A vaga na Libertadores de 2011 está logo ali. SRN.



6 comentários:

Lininha disse...

''Mas a vitória será nossa – se não na técnica, na garra e no heroísmo que estamos vendo. A vaga na Libertadores de 2011 está logo ali''

Disse tudo Diogo.

VAMOS FURACÃO *-*, Libertadores 2011? eu acredito.

Everton Furtado disse...

é diogo, lembra que 2001 começou assim, se ainda tivesse eliminatorias, teria certeza que o furacão seria bi, mas vamos acreditar, abração

Giuliano Almeida disse...

Fala meu querido!

Olha, eu conheço e torço pelo Atlético pelo simples fato de ser o "Furacão da Baixada", isto mesmo, raramente temos um time acima da média, talentoso, bem taticamente, mas, quando aliamos a raça e a determinação, ficamos imbatíveis.

Este ano está dando gosto de ver, um time aguerrido, que busca a vitória, que sabe ao menos jogar um futebol feijão com arroz, nosso querido estimado treinador não está mais inventando, acordou a tempo.

É certo que não temos o melhor time do campeonato brasileiro, mas estamos com um elenco bom, que sabe o que quer e que merece ser premiado com uma classificação para a libertadores.

Sonhar não custa nada, mas me sinto muito feliz e satisfeito, pois este ano terminaremos o brasileirão entre os 5 melhores, pode escrever aí.

Mais uma vez parabéns pela coluna!

Sempre muito boa!

Abraços

Freire disse...

Boa coluna. E interessante essa questão de um 'herói' por jogo... Mostra que todos os jogadores (tanto titulares quanto reservas) têm condições de ajudar o Atlético quando for necessário. E domingo será a vez do Bruno Mineiro!

Elaine Novak disse...

O nossop Furacão tem essa característica mesmo, os heróis da raça, quase nunca um time perfeito tecnicamente, mas com muita vontade! Como o Freire disse, espero que domingo seja a vez de Bruno Mineiro, que não mostra um excelente futebol, mas mostra muita vontade de acertar!
SRN! Bjus a todos.

Vanessa Oliveira disse...

Cara vcs ja perceberao o que o atletico nos causa, a cada jogo é um sentimento diferente no começo do campeonato todos diziam que nos eramos candidatos a rebaixado e nos, querendo ou não tinhamos de levar um pouco em consideração pois estavamos mal, mas, e agora, sulamerica? libertadores? titulo? O que esperar desse time, que a cada rodada me faz ter mais e mais orgulho de vestir a camisa rubro negra, de ir ao jogo, sair da arena meia noite berando pelas ruas " Libertadores, Libertadores".Mas ano que vem eu quero mesmo é gritar "Campeão, Campeão".