sábado, 4 de dezembro de 2010

E cada vez te quero mais, meu Rubro Negro. Por Aline

Em abril desse ano, fui ao Palestra Itália ver o Furacão enfrentar o Palmeiras, pela Copa do Brasil. Vi um joguinho sem vergonha, sem grande técnica, com uma ajudinha do juíz (expulsando o Maestro, por exemplo) e com o racista do Danojo praticando atitudes anti-desportivas. Final de jogo: 1 x 0 para o time verde.
3 dia após isto, fui ao Couto Pereira ver o jogo que poderia ser a decisão do título estadual. Vi um Atlético que até tentou, mas, quando em um lance que poderia ser decisivo, Tartá (se eu não me engano) errou o gol, eu vi que a bola teimaria em não entrar aquele dia. E não entrou, pelo menos não para o nosso lado. Final de jogo: 2 x 0 para a segunda divisão, digo, o Coritiba. Minha tristeza era evidente, mais vim para casa com a cabeça erguida, meu time é meu orgulho, o meu amor. Nada ultrapassa esse sentimento.
Então, na quinta-feira da semana seguinte, teria o jogo de volta da Copa do Brasil. Sai de casa horas mais cedo para ajudar a pintar vários rostos para a campanha contra o ato racista do jogador do Palmeiras. Quando entrei na Baixada já estava em cima da hora do jogo... Me arrepiei dos pés à cabeça ao ver como estava um verdadeiro Caldeirão aquele lugar. Em um jogo morno, em que fizemos apenas um gol de pênalti e tomamos um gol, estava decratada a desclassificação. Chorei, fiquei tão triste, voltei para casa revoltada, eram três decepções em uma semana.
Então, haveria o último jogo do Campeonato Paranaense no domingo. A maioria das pessoas dizia que o jogo não valia nada, era um time reserva, a tristeza ainda estava dentro do peito de atleticano, mas eu disse que iria ao Templo, e fui. Pouco público, pouco ânimo, pouca coisa, nada de gols. Mais o que eu tirei de lição desse jogo foi que, ao cantar ''NESSA CAMPANHA ESTAREI SEMPRE CONTIGO'', eu assumi como objetivo de vida acompanhar o meu amor maior sempre, em toda parte, em toda situação. Mesmo que o jogo não valhia nada, ao ponto de vista dos críticos e cornetas, eu sei que vale, e muito... estar junto ao Atlético é tudo!
E domingo passado acabaram as nossas possibilidades de ir à Libertadores, mas temos que reconhecer a garra e o espírito de luta que nos levaram muito além de nossas expectativas para esse Campeonato Brasileiro de 2010. Chegamos onde foi possível, onde as diversas dificuldades nos permitiram. Conseguimos fazer uma campanha bem melhor que a dos últimos anos, e isso não pode ser esquecido em momento algum. A persistência de nossos guerreiros Rubro Negros deve ser enaltecida. Todos os que realmente vestiram nosso manto com vontade e nos permitiram sonhar com uma competição que não participamos há 5 anos, devem ser aplaudidos de pé. Eu aplaudirei e vc?! Amanhã quero ver todos no lugar mais lindo do mundo, cantando o tempo todo. Pois eu acho que o causador de sentimentos alucinantes e de tantas alegrias, merece uma grande festa nesse jogo contra o Avaí, que será a despedida da nossa casa, em 2010.

Saudações Rubro Negras para a Torcida mais apaixonada do planeta!

Um comentário:

Giuliano Almeida disse...

Lininha,

Você é ótima! Fantástico seu texto, muito bom, só o Atlético pra nos fazer tudo isto!

Absolutamente fantástico seu texto.

Parabéns!

Um beijo do Giu pra você!

@GiulianoAlmeida